Blast from the Past

Blast from the Past: River City Ransom (NES)

  Um vilão chamado “Slick”, juntamente com sua gangue de estudantes e chefes malignos, ap... (por Alberto Canen em 17/06/11, via Nintendo Blast)

 

River Capa

Um vilão chamado “Slick”, juntamente com sua gangue de estudantes e chefes malignos, aprisionou a cidade de River City, e mantém a namorada de Ryan – um dos heróis – como sua refém. Ainda enviou uma carta intimidadora, na qual avisa que Alex e Ryan, caso interfiram, terão a luta de suas vidas. Claro que isso não soa como uma ameaça para dois estudantes muito bons de briga, mas como um convite para detonar alguns malfeitores.

 

A história pode não ser muito original, mas os personagens foram feitos com muito humor, e a jogabilidade, que mistura um clássico beat'em up com elementos de RPG, foi bastante inovadora pra a época.

 

O jogo foi lançado originalmente no Japão, com o nome de Downtown Nekketsu Monogatari, em 25 de abril de 1989. Depois na Europa – Street Gangs – e Estados Unidos – River City Ransom. Foi desenvolvido pela Technōs Japan, a mesma produtora do famoso clássico Double Dragon. O game foi portado para diversas plataformas, incluindo uma para o Virtual Console do Wii, e uma versão especial para Game Boy Advance, chamada River City Ransom EX.

Ryan

AlexO jogador pode escolher entre Alex e Ryan (Kunio e Riki, no Japão). Podem ser escolhidos ambos também, caso se jogue de forma cooperativa. O que chama logo a atenção é a qualidade da jogabilidade. Ainda mais considerando que são apenas dois botões. Diversos golpes, e voadoras com chutes e socos, podem ser desferidos com facilidade. Correr também é bem simples, bastando dois toques rápidos no direcional. Além disso, existe uma vasta quantidade de armas a serem utilizadas, como correntes, latas de lixo, pedaços de madeira, pedras, e tem até soco inglês, para usar ou arremessar nos inimigos.

River PauladaRiver Correntada

Apesar da jogabilidade ser interessante, ainda é típica dos jogos beat'em up. O grande diferencial do jogo é a sua parcela de RPG, que o torna menos linear que os demais da sua categoria. Cada adversário derrotado deixa uma quantidade determinada de dinheiro, que pode ser usado nas diversas lojas dos cenários para comprar itens fundamentais para recuperar a energia, como pizzas e sushis – que também servem para aumentar o nível dos atributos dos personagens. Outra possibilidade é comprar livros para aprender golpes especiais, que vão deixar bem mais divertidas as lutas, e mais tranquilo de se terminar a partida.

River Loja191133-river_city_ransom_nes_screenshot4_super

O humor é outra peça-chave no jogo, e pode ser percebido do início ao fim. Principalmente nas conversas dos membros das gangues. Quando eles estão em maioria ou batendo nos protagonistas, eles gostam de soltar frases como “Is this fun yet?” (algo como: “Ainda está divertido?”). Mas quando eles são derrotados é que as frases são hilárias, inclusive gritando pela mãe – “Mamaaa!” – e o famoso “BARF!”. Outra cena engraçada é na sauna, em que o personagem aparece se enxugando com a toalha.

BARF!vcmm_rcr_sauna_lg

O som do jogo não é ruim, mas é um pouco repetitivo. Ainda assim não chega a incomodar. Os gráficos, por outro lado, são melhores, e a interação com o cenário é marcante. Os heróis podem subir nos muros e dar voadoras nos adversários, ou correr sem preocupação alguma. Os personagens são feito no estilo Super Deformed – um tipo de caricatura japonesa, onde o desenho é feito de forma exagerada – e são bem engraçados e muito expressivos.

Cyndi

Um ponto negativo é o final, pois depois de “dar tanta porrada” em vários membros de gangues e chefões, salvar a cidade e a Cyndi (namorada do Ryan), o mínimo que se poderia esperar seria aparecer alguém para agradecer devidamente. Quem sabe receber a chave da cidade, ou, pelo menos, que a namorada salva desse um merecido beijo pelo esforço.

Os chefes do mal

Os chefes não são difíceis de serem vencidos, com exceção dos gêmeos, que são os mais fortes entre os adversários – é bom não ficar entre eles. Quem quiser sair correndo para chegar até o final rapidamente, vai ter uma ingrata (e merecida) surpresa. Os chefes só aparecem depois que alguns de seus capangas são derrotados. Também existe, como num bom RPG, uma certa ordem a seguir, o que significa que determinados vilões devem ser vencidos antes de outros. Sendo assim, é bom ir devagar, senão vai ter que voltar para descobrir qual desafio “passou batido”. A ordem é mais ou menos a seguinte (da esquerda para a direita):

01_mooseRCR_Benny&ClydeRCR_RockoRCR_BladeRCR_TurkRCR_MojoRCR_ThorRCR_Benny&ClydeRCR_IvanRCR_Otisimages12_randy_&_andy13_slick

Curiosidades

  • Os chefes gêmeos – Randy e Andy – sao baseados nos irmãos Billy e Jimmy, de Double Dragon, tanto que a música tema do jogo aparece ao enfrentá-los.
  • A versão original japonesa faz parte de uma série de jogos, onde Kunio (Alex) é o protagonísta, e Riki (Ryan) é um de seus rivais. Sendo que, em Downtown Nekketsu Monogatari (River City Ransom), foi a primeira vez em que eles lutaram ao mesmo lado.
Alberto Canen é formado em Direito pela UFRN. Joga videogame desde os tempos do Atari e sempre acompanha as novidades na indústria de jogos. Está no Facebook e no Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais