Jogamos

Análise: Resident Evil: The Mercenaries 3D (3DS)

Fãs de Resident Evil ao redor do mundo se dividem entre aqueles que detestaram a mudança de rumo... (por Rodrigo Estevam em 15/07/11, via Nintendo Blast)

Resident Evil: The Mercenaries 3D Fãs de Resident Evil ao redor do mundo se dividem entre aqueles que detestaram a mudança de rumo tomada pela série (deixando de ser um survival horror e passando a ser um jogo de ação) e aqueles que, de certa forma, curtiram essa nova direção. Pensando nisso, a CAPCOM resolveu lançar no 3DS dois títulos diferentes da franquia: Resident Evil: Revelations para agradar aos fãs do terror de sobrevivência e Resident Evil: The Mercenaries 3D para aqueles que não dispensam uma boa ação. Revelations ainda não tem uma data de lançamento exata marcada, mas sabemos que o jogo deve sair em 2012. Já o Mercenaries não apenas foi lançado como será analisado agora pela equipe do Nintendo Blast.

Vamos direto ao ponto: Mercenaries 3D não é o tipo de jogo que vai agradar a todos os públicos. Consistindo basicamente do esquema corre/atira/corre-mais-um-pouco, o game é mais indicado para aqueles que gostaram de Resident Evil 4 e 5. Não apenas pelo foco na ação, mas porque a maior parte dos personagens e fases foram tirados destes jogos. Além disso, os controles são semelhantes aos de RE4; é muito fácil correr, pegar abjetos e atirar nos inimigos. Talvez a parte mais complicada seja conseguir andar e atirar (e acertar o tiro), nova adição ao gameplay da série que pode precisar de um certo tempo até que os jogadores menos experientes consigam dominar.

Isso aí, Barry, acaba com ele! Graciosidade até para surrar os inimigos

Ninguém pra contar a história

Chris Redfield, com sua roupa da BSAA RE Mercs também não tem história. Você apenas seleciona um personagem, uma fase e joga até o tempo (ou a vida do personagem) acabar. Pois é, o jogo é bem focado na ação e tem um ritmo pra lá de rápido. Pra facilitar àqueles recém iniciados na franquia, as primeiras missões servem como um tutorial: você vai aprender a andar, mirar, atirar, correr, e o jogo ensinará até mesmo alguns elementos de estratégia. Conforme o jogador vai avançando, o nível de dificuldade vai gradualmente aumentando até o momento em que termina o tutorial e começa a coisa séria.

O jogo conta com oito combatentes: Chris Redfield, Jill Valentine, Claire Redfield, Barry Burton, Jack Krauser, Rebecca Chambers, Albert Wesker e HUNK. Cada um deles conta com uma roupa secreta e um arsenal próprio (contendo até 3 armas), e é possível usar as armas de um personagem em outro; para isso, basta terminar o jogo com um deles para que suas armas sejam disponibilizadas para todos os outros mercenários. Você pode, ainda, gastar algumas moedas (obtidas ao se andar por aí com o 3DS em modo de espera) e comprar as armas dos outros personagens ou um set especial que vem com uma Red 9 e uma Granade Launcher (2-Way) e que custa “apenas” 15 moedas.

Claire e HUNK em uma partida multiplayer Shotguns são um ótimo meio de derrotar os inimigos mais rápido Boa sorte, Chris, você vai precisar. Isso é uma metralhadora ou uma bazuca!?

Cheio de habilidades

Jill, usando suas roupas de Resident Evil 3 Mercenaries 3D traz também um novo esquema de distribuição de Skills. Conforme o jogo vai avançando, o jogador vai liberando habilidades que podem ser equipadas e aprimoradas. Algumas dessas habilidades recebem efeitos extra quando chegam ao seu nível máximo, e cada personagem pode equipar até três habilidades. É possível, por exemplo, usar uma skill que dá acesso a ataques físicos muito mais fortes quando a vida do personagem está acabando. Ou a uma que reduz o dano recebido.

Por ser um jogo de ritmo muito corrido, pode ser que em questão de poucos dias (ou talvez até mesmo de poucas horas) o jogador termine os cinco níveis de missões. Mas é aí que a coisa esquenta: após a sequência de créditos, um novo nível com oito missões é liberado, chamado Level EX, onde a dificuldade é muito maior. Pode se preparar para enfrentar diversos Garradores e Executioners ao mesmo tempo. Isso sem contar os majinis, ganados e eventuais B.O.W.s.

O B.O.W. que provavelmente vai te dar mais trabalho... A menos que você esteja jogando com mais alguém, é claro!

Um dos grandes trunfos do jogo, porém, está no modo para dois jogadores, o Duo. Permitindo que a jogatina aconteça tanto em multiplayer local quanto pela internet, Mercenaries 3D oferece a oportunidade de não apenas conseguir rankings mais altos, como também a de receber uma mãozinha para passar daquela fase que estava extremamente complicada. O chato desse modo é que ao final de cada missão a sala criada pelo host é fechada e outra precisa ser aberta. Ou seja, as chances de jogar de novo com aquele cara praticamente profissional que você achou sem querer na internet é praticamente nula. A menos que ele esteja na sua lista de amigos.

Console de mesa de bolso

HUNK, usando sua roupa extra de Ceifador Jogar RE Mercs no 3DS faz você pensar “oh meu Deus, tenho um [insira o nome de um console HD aqui] de bolso!!”. Os gráficos são, sem dúvida alguma, um dos mais bonitos e melhor trabalhados do portátil até agora. Os detalhes nos personagens e nos cenários é incrível, os efeitos de iluminação são fenomenais. O efeito 3D, apesar de não passar tanto uma sensação de profundidade, é muito competente. É possível ter uma boa noção da distância entre os elementos na tela sem forçar a vista. E por ser um jogo onde o jogador inevitavelmente vai se mexer algumas vezes, ter um nível de 3D um pouco abaixo da média ajuda a não perder tão facilmente o efeito.

Talvez o único real problema do jogo (sem levar em conta a falta de história, mas isso foi proposital) sejam as vozes um tanto abafadas. Por vezes você acaba não entendendo uma palavra sequer dita por um majini. Parece que exageraram na compressão dos arquivos de áudio das vozes dos personagens. Mas no geral os sons de disparos e explosões não são ruins. E as músicas ajudam a dar um climão de correria.

É sério mesmo que ele vai usar um bastão? Ele não viu que ela em uma metralhadora?? Destrua os cristais para ganhar mais tempo de jogo

Como dito lá no início do texto, Resident Evil: The Mercenaries 3D não é um jogo feito pro grande público. Mas se você é fã de Resident Evil e sentiu uma pontinha de curiosidade sobre este jogo, procure mais informações, vídeos de gameplay e, de preferência, tente experimentá-lo. Pode ser que você acabe descobrindo que nem sempre não ter uma história e precisar correr contra o tempo é uma coisa ruim. E você ainda vai poder conferir a (curtíssima) demo de Resident Evil: Revelations.

Prós

  • Ótimos gráficos
  • Controles simples e funcionais
  • Sistema de medalhas aumenta o replay
  • Personalização de arsenal e skills
  • Demo de Resident Evil Revelations

Contras

  • Não tem um modo história (apesar de propositadamente)
  • Vozes abafadas
  • Não tem DLC algum; nada de novas fases e/ou personagens
  • A demo de Revelations é muito curta

Resident Evil: The Mercenaries 3D – Nintendo 3DS – Nota Final: 7.5

Gráficos: 8.0 | Som: 6.0 | Jogabilidade: 8.0 | Diversão: 8.0

Rodrigo Estevam é formado em Administração, mas seu negócio mesmo é jogar videogames. Além de escrever no Nintendo Blast, também é colaborador e colunista da Revista Nintendo World. Está no Facebook e no Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais