Blast from the Past

Blast from the Past: Paper Mario: The Thousand-Year Door (GC)

Super Mario RPG (SNES) mostrou que Mario podia estrelar um RPG ao invés de apenas jogos de plata... (por Rafael Neves em 07/07/11, via Nintendo Blast)

250px-PMTTYDSuper Mario RPG (SNES) mostrou que Mario podia estrelar um RPG ao invés de apenas jogos de plataforma. Paper Mario (N64), levou Mario aos combates em turno outra vez, mas com uma mecânica que explorava o lado “Paper” do jogo. Quando o GameCube chegou, todos esperavam por um novo capítulo da série. E eis que a Inteligent Systems traz a sequência do sucesso para N64: Paper Mario: The Thousand-Year Door! Enquanto Paper Mario 3DS não chega, vamos dar uma olhada na versão definitiva de um RPG do Mario!

The Thousand-Year Door foi anunciado, pela primeira vez, como Paper Mario 2 numa E3 e só recebeu o nome definitivo depois. “The Thousand-YearDoor”… Isso soa mais como nome de um Zelda, não? Jogos de Mario normalmente tem “Super” ou algum número seguido ou antecedendo o nome “Mario”. Acontece que The Thousand-Year Door não é um Mario comum. Bowser não rapta a Peach, os vilões vivem na lua e o estágio principal do jogo não é o castelo da Peach ou Delfino Plaza, mas, sim, um lugar bem sujo e violento. Trata-se de um RPG muito bem feito, com mecânicas sólidas vindas do antecessor e incrementos muito bem sucedidos. Some tudo isso a humor, carisma e uma trama interessante para um jogo da série Mario e temos um game brilhante!

MarioAMenos “Mario” e mais “Paper”

Como já dito, este não é um Mario nada convencional. No início, Mario e Luigi estão em sua pacata casa quando recebem (pela milionésima vez) um convite da princesa Peach por correspondência (o carteiro é Paracarry, aliado do primeiro Paper Mario). Mas não é para um bolo que Mario é convocado, mas para uma expedição ao tesouro. Até ai, tudo bem. Chegando ao ponto de encontro com a princesa Peach, você se depara com Rogueport. O porto tem todas as paredes pixadas, lixo por toda a parte, cartazes de procurado, ladrões e muita bagunça. Que lugar ótimo para uma princesa, não? Se ela consegue ser sequestrada na segurança de seu castelo, imagine num lugar onde a lei tirou férias. Não é de se surpreender que Peach foi capturada. Pelo Bowser? Não, o grandalhão chegou tarde, pois os X-Nauts já a levaram. O objetivo do líder Grodus é abrir o Thousand-Year-Door, um portão milenar repleto de mistérios, e liberar seu demônio interior. O problema é que Mario não deixará que os X-Nauts ponham as mãos nas Crystal Star, que são as chaves para o portão de mil anos. Quem diria que este é o roteiro de um jogo de Mario, hein?

hqdefaultMas o fator “Paper” de The Thousand Year Door é que Mario agora pode realmente ser o que realmente deveria ser: papel. Os personagens não são apenas estampas 2D em um mundo 3D, mas eles são realmente bonecos feitos de papel, divididos em várias partes e coladas em um só boneco. Inimigos são feitos de dobraduras de papel, pedaços do cenário rasgam e Mario pode se transformar em avião de papel ou barquinho, além de virar de lado, o que lhe permite ficar fininho, ou se enrolar em um rolinho de papel.

pmt3Outro ponto legal do jogo é que o hardware mais avantajado do Game Cube em relação ao N64 permite que o game rode vários personagens em uma mesma cena. É comum aparecerem centenas de inimigos poluindo a tela e você martelando aos montes para que a cena fique mais limpa. Os gráficos são, de fato, uma vantagem colossal em relação ao primeiro game. Tudo aqui é muito mais “fofo”.

 

 

pEACHSob os holofotes

Para coletar as Crystal Stars, Mario visitará cada canto do mundo, enfrentará inimigos, conhecerá personagens e solucionará puzzles. Tudo no bom e velho esquema de RPGs em turnos incrementado com mecânicas da série Paper Mario. Mario pode atacar com o martelo, com seu salto ou usar as habilidades de seus parceiros, mas é necessário mais do que estratégia, mas também habilidade com as mãos. Apertando o botão A na hora certa, é possível realizar Action Comands, que aumentam o dano infligido aos inimigos e fazem a plateia vibrar. Nesse quesito, o jogo virá quase um game de ritmo. Mas espere, você disse “plateia”? Sim, The Thousand-Year Door coloca Mario e seus amigos em um palco durante a luta, e os espectadores do show variam a cada lugar visitado. Eles não só vêm o combate, como também torcem, vaiam, jogam pedras, latas e até itens. Também é comum ver partes do cenário caírem sobre os lutadores ou espirrarem neblina no campo de batalha.

pmt2The Thousand-Year Door também dá mais foco ao parceiro de Mario, que, em Paper Mario (N64), era apenas um ajudante. Nesta sequência ele tem seu próprio HP, pode usar itens e existem Badges feitas especialmente para eles. Badges? São um ponto alto do jogo e responsável pelo nível de estratégia de Paper Mario. Trata-se de insígnias que concedem habilidades e outros efeitos para Mario ou seu parceiro. É possível colocar uma Badge que gera um ataque com o martelo congelante ou uma que permite que Mario veja o HP dos inimigos sem usar a habilidade Tatle. E é assim de graça? Não, é necessário BP para equipar Badges. O BP é aumentado quando o jogador sobe um nível, mas ele precisa decidir entre incrementar o HP, FP (Flower Points, gastos quando se usa uma habilidade mais poderosa) ou BP. A decisão entre os 3 é tão fatídica quanto a escolha entre os 3 Pokémons iniciais.

66273-Paper_Mario_The_Thousand_Year_Door-5Os puzzles também são parte importante de The Thousand-Year Door. São muito comuns nas dungeons do jogo, que se assemelham às da série Zelda. Os enigmas são relativamente simples e usam a interação com o cenário para serem solucionadas. É claro que a habilidade de cada parceiro de Mario também é importante, além de saltos e marteladas do bigodudo. Kooper lança seu casco, o que o faz pegar itens que estão ao longe, Vivian torna Mario invisível e intocável, Yoshi permite pequenos vôos e por ai vai… É sempre uma experiência diferente e divertida, só não é tão desafiadora assim…

A partir daqui, tome bastante cuidado com spoilers!

BowserPMTTYDUma volta ao mundo

Em relação ao primeiro Paper Mario, The Thousand-Year Door traz uma significante melhora no visual. Tudo é mais “fofo”. Sejam os personagens feitos de papel, seja o cenário em 3D, sejam os efeitos de luz. É um game ainda mais apaixonante pelo visual e você vê como cada cenário é lindo na lista abaixo, que traz uma viagem por cada capítulo do jogo. O interessante é que os temas de cada capítulo também não são nada convencionais para um jogo Mario, uma boa dose de originalidade para o game A trilha sonora segue o mesmo estilo do primeiro jogo, ou seja, muito boa. As músicas são viciantes e há uma para cada estágio. Não só isso, mas cada batalha especial (aquelas contra chefes) possuem suas próprias canções.

  • pmch1Capítulo 1: Castle and Dragon – A primeira Crystal Star está sob o domínio de Hocktail, um dragão feito de dobraduras de papel que ameaça a vida na vila Petalburg. Para chegar ao castelo do monstro, Mario se junta a Koops, uma tartaruga tímida e covarde, mas que precisa salvar o pai das garras de Hocktail. O capítulo conta com clássicas planícies tranquilas e o castelo horroroso do dragão.

 

  • pmch2Capítulo 2: The Great Boggly Tree – Este é um dos capítulos mais bonitos. Nele, Mario passa por uma floresta totalmente em preto e branco, mas com efeitos florescentes no chão. Os Punies estão sendo alvo da maldade dos X-Nauts e, para poderem viver mais uma vez na grande árvore, contam com a ajuda de Mario. O herói terá de unirá-se a Flurrie para conseguir essa Crystal Star.

 

  • pmch3Capítulo 3: Of Glitz and Glory – Mario terá de provar o quão forte é indo a Glitzville, uma cidade flutuante que é palco de um grande torneio de lutas. Começando com adversários fracos até galgar o campeão Hawk Rawk, Mario derrotará todos para alcançar a Crystal Star. O problema é que o torneio não é um lugar tão “seguro” assim e um mistério sobre o sumiço de competidores assombra Glitzville.

 

  • pmch4Capítulo 4: For Pigs the Bell Tolls – Assim que põe os pés em Twilight Town, o jogador não sente que está em um jogo de Mario. A cidade é assombrada, muito escura, com personagens macabros e a música contribui bastante com o clima. Mas a pobre vila não é tão má assim, ela só é alvo de uma maldição que está transformando seus habitantes em… porcos! Mario terá de dar um fim no encanto para conseguir a Crystal Star. O problema é quem é o verdadeiro Mario

 

  • pmch5Capítulo 5: The Key to Pirates – A próxima Crystal Star está em Keelhaul Key, uma ilha afastada. Para chegar até lá, Mario precisa convocar uma expedição atrás do tesouro escondido na ilha, mas só o que o encanador quer mesmo é a Crystal Star. No entanto, a viagem não é tão tranquila. Os heróis naufragam e chegam a Keelhaul Key nas piores condições possíveis.

 

  • pmch6Capítulo 6: 3 Days of Excess – Para chegar a Pooshley Sanctum, o lar da próxima Crystal Star, Mario terá de pegar um trem.  O problema é que, até chegar ao seu destino, Mario (ou Luigi, como o detetive o chama) terá de solucionar o mistério por trás do roubo de itens de diversos passageiros e enfrentará inimigos igualmente terríveis.

 

  • pmch7Capítulo 7: Mario Shoots the Moon – Após conseguir a permissão para usar o canhão, Mario alcança a lua (isso mesmo, a lua), onde está a próxima Crystal Star. No entanto, Mario não ficará brincando na gravidade zero, ele terá de invadir a fortaleza dos X-Nauts e tirar a última Crystal Star das garras de Grodus, o líder dos X-Nauts.

 

  • pmch8Capítulo 8: The Thousand-Year Door – Com as 7 Crystal Stars, chega a hora de abrir o portão milenar. Lá dentro, muitos inimigos e truques desafiarão Mario e todos os seus parceiros. O grupo enfrentará vários chefes como Gloomtail (irmão mais velho de Hocktail), Bowser, Grodus, Doopliss e outros. Será que o espírito maligno encontrado no interior do Thousand-Year Door será despertado?

Amigo estou aqui

Como já dito, os parceiros de Mario tem papel fundamental no jogo, tanto para derrotar inimigos quanto para solucionar puzzles. Vamos listar aqui todos eles? Só tenha cuidado com spoilers!PMTP1

  • Goombela – Assim como no primeiro Paper Mario, o parceiro que primeiro entra no grupo de Mario é um Goomba. Goombela é uma estudante da Universidade Goom, ela entra para o time para ajudar Mario na busca pelo Thousand-Year Door. Suas habilidades se assemelham às de Goombario, do primeiro jogo

 

  • PMTP2Koops – Este tímido Koopa entra para a equipe de Mario para salvar seu pai das garras de Hocktail, mas continua viajando com o encanador mesmo depois do resgate. Apesar de ser bem covarde, é de grande ajuda nos combates com habilidades semelhantes às de Kooper do primeiro Paper Mario

 

  • pmtp3Madame Flurrie – Após ter seu pingente resgatado por Mario, essa vaidosa atriz junta-se ao bigodudo em sua jornada. Flurrie é bem estranha para o padrão de parceiros do Mario, essa nuvem difere em tamanho e forma dos demais ajudantes. Flurrie pode soprar uma ventania que revela passagens escondidas por folhas de papel camufladas.

 

  • PMTP4Yoshi – Mesmo eu colocando o nome “Yoshi”, o nome desse parceiro é dado pelo jogador, um recurso inédito, mas que combina com a forma como você o conhece. Mario encontra um ovo estranho em Glitzville, e dele nasce um Yoshi meio punk. A cor da pele (ou seriam escamas?) e do cabelo são definidos no tempo, mas é quase aleatório. Quando Mario monta nele, a velocidade de locomoção aumenta e a dupla pode dar pequenos voos (ou tentativas de voar). pmtp4.2

 

 

  • PMTP5Vivian – Depois de ser maltratada por seus amigos, Vivian deixa de tentar dar um fim em Mario ao lado das Shadows Sirens e alia-se a ele. Vivian pode fazer Mario invisível e intocável (tanto em batalha quanto na resolução de puzzes), uma habilidade executada pela fantasma Bow no primeiro Paper Mario.

 

 

  • pmtp6Admiral Boberry – Transtornado pela morte precoce da amante e se culpando por não estar presente em seu falecimento, Boberry vive em Rougueport. Ele junta-se a Mario na expedição a Keelhaul Key como navegador, mesmo já se aposentando. Suas habilidades são bem parecidas com a de Bombette (Paper Mario para N64), já que é capaz de explodir revelando passagens secretas.

 

  • PMTP7Ms. Mowz – Essa ladra de Badges é uma parceira opcional, não é necessária para zerar o jogo, confesso que só soube da possibilidade incluí-la na equipe depois de completar o game. Depois de completar o Capítulo 3, vá no serviço de problemas de Rogueport e selecione o cidadão ???? para ajudá-lo. Esta é Ms.Mowz, que está em cima do telhado da cozinha de Rogueport. Ela quer a Badge que está na sala onde você derrotou Hocktail, basta ir até lá e procurar usando o sopro de Flurrie. Quando entregar a insígnia a ela, Ms. Mowz entrará em seu time. Seu poder? Detectar itens escondidos nas salas, ela só não diz a localização exata destes segredos.

Mil anos de diversão

pmt1Se você não aguenta a espera por Paper Mario 3DS, melhor tirar a poeira do seu GameCube e jogar The-Thousand-Year-Door ou então usar a retrocompatibilidade do Wii para aproveitar o que esse clássico pode oferecer. The Thousand-Year-Door conta com tudo o que um RPG que se preze possui, novidades únicas na série e, como se já não fosse o bastante para jogar, ainda contem muito humor e gráficos extremamente legais, não é a toa que a versão para 3DS usa e mesma engine.

Rafael Neves é estudante de psicologia na UFBA e planeja ingressar no mundo da literatura como escritor. A paixão por videogames e a vontade de escrever unem-se na experiência como jornalista do ramo. Também trabalha em sua HQ virtual. Encontre-o no Facebook.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais