Crônica

O dia em que comprei The Legend of Zelda: Metroid Prime Hunters

Minha aventura pelo fantástico universo de Link e Zelda começou tarde, infelizmente. O primeiro ... (por Luís Antônio Costa em 11/05/13, via Nintendo Blast)


Minha aventura pelo fantástico universo de Link e Zelda começou tarde, infelizmente. O primeiro jogo da franquia que joguei foi Skyward Sword. Muitos podem se perguntar: mas o que ele ficou jogando durante todo esse tempo? Até o momento em que encarnei Link pela primeira vez, eu simplesmente não conseguia compreender o porquê da série ser tão famosa. Bem, não precisaram muitas dungeons ou chefões para me conquistar e, logo ao acabar esse jogo fantástico queria rapidamente recuperar o tempo perdido e redimir minha alma gamer desse terrível lapso! Assim sendo, comecei a fazer algumas economias e comprar os jogos da franquia que faltavam. Tudo ia bem, tinha até conseguido um 3DS para minha coleção quando uma louca busca por Spirit Tracks me levou a uma situação bem inusitada.



Para aqueles que não sabem, The Legend of Zelda: Spirit Tracks é um dos grandes clássicos do rapaz de gorro verde para o Nintendo DS. Junto de Phantom Hourglass, esses dois jogos mostraram tudo de que o portátil da Big N era capaz. Poxa, um jogo desses não poderia faltar na coleção de alguém que está querendo jogar e conhecer mais sobre o universo de Zelda, não é? Pois foi o que eu pensei. Como tinha uma graninha sobrando, pensei em fazer um combo, procurando e comprando os dois títulos: Phantom Hourglass e Spirit Tracks. E lá fui eu, procurando por esses dois itens preciosos na internet. Por serem títulos famosos, imaginei que não teria muito trabalho em encontrá-los em qualquer grande loja varejista (como já acontecia com outros jogos que comprava). Infelizmente, se eu achava que isso seria apenas um clique, cartão de crédito, clique, eu estava redondamente enganado.

Uma coleção modesta. Mas os dois Zeldas seriam uma bela aquisição!
Procurei por todos os sites inimagináveis da grande rede. Cheguei a cruzar pela quinta página de resultados do Google (para vocês verem como eu estava desesperado). Mas nada. Absolutamente nada. “Indisponível no momento”, era a única mensagem que eu encontrava em qualquer loja virtual. Mesmo em sites internacionais, não era possível encontrar os títulos. Estava ficando frustado. Por um momento, cheguei a cogitar a hipótese de procurar cartuchos piratas, vasculhando o mercado-negro dos games. Mas minha moral (e meu bom-senso de não me arriscar com meu 3DS novo, também) falaram mais alto e, contra todas as expectativas, insisti na busca virtual.

Em busca de qualquer pista dos jogos
Porém, o resultado era sempre o mesmo: nada. E então, quando toda a esperança parecia perdida, voltei algumas páginas atrás nas minhas pesquisas e vislumbrei uma luz no fim do túnel. Havia um site que eu não havia verificado. Um local que aparecia até muitas vezes nos resultados de pesquisa, mas eu simplesmente ignorava. Era o MercadoLivre. Eu não havia me dado ao trabalho de procurar os jogos por lá por causa da má fama que amigos e conhecidos meus me passavam do site. Mas, quando esse caminho parece o único a se tomar, por que não arriscar, não é mesmo?

Finalmente eu tinha achado o jogo!
No site, existiam algumas ofertas dos jogos. Existiam títulos usados, lacrados, americanos e até japoneses. O melhor era que os preços não eram tão abusivos quanto os da maioria das outras lojas virtuais. Parecia que eu poderia realmente fazer um bom negócio. Então, com um pouco de receio (mas muita vontade de ter os jogos), fiz meu cadastro no site e encontrei um vendedor que estava ofertando os dois títulos separados por preços camaradas. As fotos eram bonitas, os itens estavam lacrados e o vendedor tinha bons qualificadores. Hesitei na hora de clicar no botão de compra mas provavelmente o espírito da Triforce falou em meu ouvido e efetuei a compra dos dois jogos. Fiz o pagamento no boleto e combinei com o vendedor o endereço de entrega dos produtos. Tudo bem simples e rápido, para minha surpresa.

Primeiramente, comprei Spirit Tracks e, no momento que o pagamento foi efetuado e o vendedor disse que estava me enviando o produto, percebi que tinha feito um bom negócio e corri para comprar Phantom Hourglass também. Pelo intervalo de tempo entre as compras, Spirit Tracks chegaria primeiro e, enquanto eu ficava a cada dia conferindo a localização da minha encomenda pelo site dos Correios, minha ansiedade aumentava. Será que o produto chegaria intacto? Será que iria funcionar? Será que eu iria parar de fazer tantos questionamentos? Enfim, após 6 longos dias de espera, chego na minha casa e vejo que tem uma encomenda para mim. Agarro o pequeno pacote com a etiqueta do Mercado Livre como se fosse um zumbi roubando um cérebro suculento e, como tinha um happy hour no xis marcado com alguns amigos, não resisti e fui com meu precioso item pra lá. Não conseguia esperar mais! Tudo bem que um xis não parece exatamente o melhor lugar para se levar um jogo novinho em folha para ser aberto mas, como estava muito ansioso e com fome, resolvi unir o útil ao agradável. O que viria a acontecer a seguir pode ter sido ruim, mas pelo menos o xis estava muito bom (apesar de uma simpática barata no chão que nos fazia companhia).

Tudo perfeitinho!
Rasgo o pacote, com delicadeza (o máximo que seria possível para uma pessoa hiperansiosa) e, lá dentro, encontro a minha bela aquisição. O jogo é lindo. A caixa estava em perfeito estado, envolvida por um grosso plástico. O papel era tão difícil de abrir e estava com tanta pressa que minha amiga se voluntariou para cortá-lo com suas unhas. Isso que é poder feminino! E agora, enfim com o jogo livre em mãos, abri a caixa e tirando o cartucho do interior, liguei meu 3DS e inseri o jogo. O cartucho estava correto, tinha até a etiqueta com o nome do jogo e tudo o mais, mas no momento que meu 3DS se iniciou, o título do game que aparecia no espaço do cartucho era: Metroid Prime Hunters- Demo Version... Com a bela cara da Samus em sua armadura me olhando. Ok, eu gosto de Metroid. Mas alguma coisa não estava certa. Já com um pé atrás, clico no jogo para iniciá-lo pensando “Ah! Isso não deve ser nada! Apenas um errinho de configuração de fábrica! Não dá nada!”. E não é que era um erro mesmo? Um baita erro. Tão grande que travou meu 3DS e tive que reiniciá-lo.

Hora de jogar Zelda...Metroid Prime Hunters?!
Ah! Como minha decepção foi grande quando tentei várias vezes reiniciar o aparelho, recolocar o cartucho, até mesmo assoprá-lo, para apenas ver o problema do erro se repetir. Fiquei desiludido...e furioso. Já no dia seguinte, com a raiva amansada, enviei um e-mail ao vendedor explicando a situação. Dois dias depois ele me respondeu, muito educadamente, me pedindo desculpas e me pedindo para lhe enviar fotos demonstrando o problema para que ele pudesse me enviar um outro cartucho enquanto eu o devolveria o problemático. Tirei as fotos e enviei o cartucho defeituoso de volta a sua origem. Pelos e-mails trocados entre mim e o vendedor, minha esperança retornava de que o problema seria resolvido e em breve eu teria o Spirit Tracks. Mas não foi bem assim. Um dia depois de enviar o cartucho de volta, recebo um e-mail do vendedor me dizendo que todos os Spirit Tracks que ele possui em estoque estão com o mesmo problema (pobres de outros compradores). Disse que até tentou ver com outro vendedor, mas não conseguiu encontrar o jogo. Ele me desestimulou a esperar outro carregamento de seu fornecedor pois provavelmente os cartuchos apresentariam o mesmo problema. Comecei a imaginar até que os cartuchos vinham de uma obscura fábrica vietnamita, ou algo precido. Mas sem muita paciência, acreditei na história. Era uma situação triste. Muito triste.

Tchau-tchau, Spirit Tracks
Sendo assim, sem mais opções, só me sobrou uma coisa a fazer: pedir o reembolso. Ainda estou aguardando por ele, mas esse acredito que não virá com defeito. Fiquei realmente decepcionado e irritado com tantos problemas envolvendo um único jogo. Talvez isso me ensine a não querer mais jogos do que eu posso jogar, ou que não devo me atirar de cabeça na última oportunidade de compra que aparecer pela frente (sendo ela de uma fonte tão duvidosa). Ou quem sabe eu só tenha ficado sem o jogo que eu queria mesmo e estou divagando demais.

À propósito, o Phantom Hourglass chegou uma semana depois do Spirit Tracks: Metroid Hunters. Para minha alegria, o jogo veio normal, intacto e funcionou maravilhosamente. Alguma coisa tinha que dar certo comigo, não é? Algumas vezes você ganha e outras você perde, mas no final, o universo sempre dá um jeito de arrumar as coisas... Mesmo para um gamer inveterado.

No fim das contas, pelo menos o Phantom Hourglass funcionava...

Revisão: Leonardo Nazareth
Capa: Felipe Araujo
Luís Antônio Costa é graduando em Ciência da Computação pela UFRGS. Apaixonado por games e ciência desde pequeno, além de um leitor ávido de ficção. Redator do Nintendo Blast, além de criador e escritor do blog Ad Infinitum, podendo ser encontrado no Facebook e Twitter.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais