Blast Log

Super Paper Mario (Wii): Parte 4 – Frustrações, desafios e resgates

Mario e companhia despedem-se do mundo aquático do jogo para continuar no resgate à Pixl Tippi.

Com Tippi sequestrada por um camaleão geek, a minha jornada fica um pouco mais agitada. Tenho uma meta e ainda uma dica, então a única coisa a fazer é prosseguir na aventura. Vamos continuar de onde paramos nosso Blast Log na semana passada!

Chapter 3 – 3: Escalada para outra dimensão

Estou agora na The Dotwood Tree, uma árvore gigante no meio das Bitlands. O que encontro a seguir é com certeza a parte mais frustrante até agora: ter que escalar por plataformas, periodicamente trocando de personagens para poder acessar o 3D com Mario ou flutuar com a ajuda de Peach. A primeira parte dá uma certa dor de cabeça por causa do fato de algumas plataformas não existirem no 3D, fazendo com que eu caia e tenha que começar tudo de novo.
Flutuar com a ajuda de Peach é a peça chave para evitar cair daqui.
Ao realmente entrar na árvore, o desafio continua o mesmo, mas um pouco mais intensificado pelo conjunto de puzzles envolvendo botões a serem pressionados. Além disso, vários inimigos enjoativos povoam o interior da árvore, fazendo-me perder HP rapidamente. Até me acostumar com o ambiente, recebo meu primeiro game over. Felizmente, salvei o jogo já no interior; infelizmente, já contava com pouco HP e nenhum item de restauração a este ponto.
E foi assim que consegui meu primeiro Game Over.
Por não querer ter que retornar a Flipside e então ter que passar pelos dois primeiros subcapítulos novamente, continuo insistindo até chegar ao topo. Tudo isso para me deparar com Dimentio, que agora vai realmente me enfrentar cara a cara. E claro, como “mestre das dimensões”, ele cria uma ambiente para ser o palco de nossa batalha.

A Dimensão D faz com que os poderes de Dimentio sejam multiplicados em 256 vezes, ou ao menos é o que ele diz. O duelo começa com seus ataques mágicos, mas pelo visto essa multiplicação de seu potencial de ataque não o torna invencível, e nem ofensivo. Mesmo assim, ele me permite a batalha mais empolgante até o momento, com truques de ilusão e ataques bem planejados.
A desculpa de sempre...
Claro que seu insucesso “estava em seus planos”, e fico com a velha promessa de revanche. Depois de alguns Lakitu pelo caminho, encontro o vento vermelho, indicado por Barry no começo do capítulo. Subo (literalmente) nele para chegar a um cano e então o Star Block está logo à frente.

Chapter 3 – 4: O resgate

Alcanço finalmente o Fort Francis, onde poderei recuperar Tippi. A porta de entrada estava trancada, mas a chave estava engenhosamente colocada em um cano visível no 3D. Do lado de dentro, dou de cara com a sala onde Francis está tirando fotos de Tippi para publicar em um fórum. Infelizmente, não posso entrar agora pois a porta está trancada e precisarei de duas chaves para destrancar.

Explorando o resto do forte, encontro duas portas. A da direita por enquanto não pode ser explorada, pois apresenta vários espinhos no chão, então decido optar pela da esquerda. No final, sou interrogado com perguntas para confirmar minha identidade, mas falho ao não saber o código de acesso e caio num alçapão. Este erro veio bem a calhar, pois com isso encontro o código a ser usado pelo caminho e no final mais um companheiro Pixl.

Carrie vai me ajudar a passar por plataformas cobertas de espinhos, e também dará um pequeno boost de velocidade que será útil para retornar à porta e inserir o código correto. Agora posso passar também pela porta da direita e dizer o outro código encontrado. Com os dois, encontro duas chaves para abrir a porta do quarto de Francis e salvar Tippi.

Depois de confirmadas as duas chaves, por estar como Mario e ele não ser nem Francis nem uma garota, sou chutado para fora com fogo. Literalmente. Retorno como Peach e ainda sou interrogado (mas como são afirmações nerds, só responder “True” a tudo). Ao entrar, Francis fica completamente desconcertado por ver uma garota como Peach. E então, ele inicia um software de relacionamentos virtuais (Swoon.exe) para facilitar sua comunicação. É, não poderia ser mais estranho.

Ele me faz perguntas através de seu programa e posso selecionar as respostas — especialmente as que demonstram que estou incomodado. Quando pergunto por Tippi, o fato de não haver dados a respeito dela no seu sistema deixa-o sem palavras e Peach usa Boomer para causar uma explosão no sistema.

Seguindo uma conversa sobre “Francine”, chego à oportunidade de batalhar contra Francis, que pode usar seus poderes de camaleão para ficar invisível. Mesmo assim, não é complicado fazer Francis fugir e ter Tippi de volta. Com isso, nossa Pixl fica tão feliz que brilha e faz surgir… O quarto Pure Heart de nossa aventura. Depois deste misterioso acontecimento, é o fim do capítulo!
It's dangerous to go alone... Take this!

Chapter 4: Prologue

Dimentio descreve sua derrota a Count Bleck, que planeja com Nastasia o próximo inimigo a ser enviado para interferir em minha aventura. De volta aos protagonistas, Merlon descobre sobre minha vitória e fala que devo buscar o próximo Heart Pillar. Mas antes disso… Lembro de Barry, que pediu que eu voltasse quando resgatasse Tippi. Vou dar uma breve passada no Chapter 3!

Ao chegar lá, Barry pergunta se queremos ouvir aquelas três dicas novamente — o que não é mais necessário, pois Tippi está conosco. Como ele não tem mais o que fazer, decide vir comigo e ajudar na jornada! Com ele, posso criar uma barreira de espinhos temporária ao redor do personagem que controlo no momento, útil para me defender, atacar e ainda rebater projéteis! Uso o Return Pipe para voltar rapidamente a Flipside e encontro o quarto Heart Pillar. Hora de explorar mais um mundo!

Chapter 4 – 1: Ao infinito e além

A nova dimensão é a mais interessante até agora: o espaço. Mas, como Mario não consegue respirar, é inútil continuar ali; logo, voltamos a Flipside para perguntar a Merlon uma maneira de se manter lá (e vivo). Vou precisar de um capacete especial — na verdade, um vaso em formato de capacete. Após encontrá-lo e resolver um pequeno problema, vou começar novamente.
Pelo visto, sim.
É, com uma tigela dá para improvisar um capacete espacial (não recomendo que tentem isso, entretanto). Com a ajuda de Tippi, encontro uma pequena espaçonave na imensidão de estrelas. Squirps, que estava dentro da máquina, curiosamente sabe de nossos objetivos e promete ser nosso guia espacial. Não estou em condições para recusar isso ainda…

Com minha ajuda, Squirps abre um portal para levar-me diretamente ao Pure Heart… Ou não. Pelo visto, não há poder suficiente para uma viagem direta, então precisaremos seguir “a pé” em frente, usando outros portais para avançar. No pequeno labirinto que se segue, o final é o Star Block.

Chapter 4 – 2: Emergência de papel

O novo local é o pacato Planeta Blobule, que leva ao Space Byway, atalho para o próximo Pure Heart. Entretanto, Squirps tem uma… emergência a caminho. O banheiro local está ocupado, e pelo visto, falta papel. Então, temos que procurar por algum pedaço de papel para lhe entregar.
Bem, ninguém é de ferro.
Explorando o local para resolver o problema imediato, tiro proveito da habilidade de salto aumentada pela gravidade do espaço para alcançar novos locais. Os Pixls e o Flip também são muito utilizados para chegar à casa de um senhor que entrega a Ancient Clue, uma raridade com um enigma escrito. Infelizmente, ele perde qualquer utilidade quando entregamos no banheiro do planeta… A um Pixl!


Fleep tem todo um entusiasmo italiano, prontificando-se a ajudar nos desafios que virão a seguir. Com ele, posso girar seções do plano de fundo para descobrir segredos e itens e já sei o lugar suspeito a explorar! Com a chave que estava oculta em mãos, abro uma porta que leva direto ao Star Block.

Chapter 4 – 3: Fome de outro mundo

Squirps continua guiando o caminho pelo Outer Limits com a nova meta de encontrar a Whoa Zone. Pelo visto, o jovem alienígena está com fome agora… Mas não importa por enquanto; vamos seguir em frente. Ao chegar a outro local suspeito, uso Fleep para encontrar uma abertura para abrir uma porta gigantesca, e nesta fenda, Squirps se encaixa perfeitamente, dando acesso a outra área.
Que vontade estranha...
Novamente, uma porta surge à minha frente, mas agora com duas fendas no formato de Squirps. Ao encaixá-lo em uma delas, ele declara que não irá mover-se um centímetro até comer alguma coisa deliciosa. Alien esperto, não? Numa placa logo ao lado, vejo que algo começando com “cho” e terminando com “late” deverá abrir o caminho. Mas não faço ideia do que seria… E você?
O guia mais exigente de todos.
Claro que após uma curta exploração ao redor, descubro uma loja intergaláctica de chocolates, estrategicamente posicionada para resolver meu problema. Pego um dos doces da loja e levo a Squirps, que fica tão realizado que se duplica (?) para poder abrir caminho. E logo a seguir está o Star Block!

Chapter 4 – 4: O trovão verde

A Whoa Zone é uma espécie de labirinto imenso, trazendo puzzles que envolvem mudanças na gravidade local. A exploração do local é bastante interessante, especialmente por envolver ter que ir e voltar, mas sempre vendo as salas sob novas perspectivas. Depois de vários minutos de tentativas, um Save Block denuncia que o desafio maior está a seguir.

Depois de reencontrar-me com Squirps, que havia decidido ir mais rapidamente em frente (embora deva ter esquecido de deixar várias portas destrancadas pelo caminho), ele anuncia que o Pure Heart está logo à frente. Não dá tempo de pensar em pegá-lo até que um novo vilão surja: Mr. L! Sinceramente, pela arte oficial dele você já deve saber quem é ele, mas vamos manter o clima de suspense.
Entrada em alto estilo!

Anunciando-se como um dos servos de Count Bleck (o mais promissor), ele não perde tempo para partir para batalha. Infelizmente, o potencial baixo que se espera que ele tivesse é confirmado em menos de dois minutos. Então, ele invoca uma máquina gigantesca no formato de sua cabeça: o Brobot!

O cenário muda novamente para o espaço e Mr. L parte para uma revanche imediata. Para falar a verdade, apesar do HP enorme da máquina, seguir atacando sem parar com Squirps resolve o problema rapidamente. Nosso amigo (ou melhor, inimigo) se retira, deixando o caminho livre para mim.


Chegamos a uma estátua, a mãe de Squirps, que revela na verdade ser o príncipe de Squirpia. Seu nome verdadeiro é Squirp Korogaline Squirpina, mas ainda prefiro poder chamá-lo pelo apelido. Ele conta que há muito tempo sua mãe havia sido alertada da destruição do mundo que estaria a caminho, e recebeu um Pure Heart para entregá-lo ao herói da profecia. Squirps faz as honras de entregá-lo, e é o fim do quarto capítulo!
Vamos ficar por aqui, pessoal. Obrigado a quem está acompanhando o Blast Log! Já jogou ou quer jogar Super Paper Mario? Deixem suas impressões, sugestões, críticas e elogios nos comentários. Até a quinta parte!
Revisão: Luigi Santana 
Capa: Felipe Araujo
Robson Júnior é graduando em Ciência da Computação pela UFCG. No Blast, atua como diretor de redação e revisor. Reserva algum tempo para jogar, ler e escrever, algumas de suas paixões. Você pode encontrá-lo no Twitter e no Alvanista.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais