Pokémon Blast

Cartas na Mesa: análise dos baralhos Ventos Ardentes e Tornado de Raios

Tempestades de fogo e de raio chamam a atenção na quarta expansão da era XY do TCG, e analisamos o poder desses decks!

E aí pessoal! Bem-vindos a outro Cartas na Mesa, novamente analisando os baralhos de uma expansão ao invés de suas cartas em si. Com a chegada de Força Fantasma, não são só os espectros sombrios que encontraram destaque. O poder de fogo de Talonflame e sua turma e Galvantula e sua trupe também brilham com seus decks temáticos, então vejamos do que eles são capazes no metagame de baralhos com temas e o que podemos tirar de bom deles!

Céu em chamas

Logo que abrimos o baralho, Talonflame mostra que tem uma relação de amor com o perigo. O pássaro de fogo pode bater de 30 a 90, dependendo de duas jogadas de moedas para atingir o dano máximo, e é um valor bacana para uma única energia como custo. Seu segundo golpe já é mais intenso: com 120 de dano, ele deixa Talonflame disposto a receber 40 extra no turno seguinte por ataques do oponente. Ou seja: não use isso se não estiver disposto a deixar sua galinha assada na pilha de descarte!

Pyroar não é um atacante tão robusto, tendo seu único golpe batendo 110 e devolvendo 30 para si mesmo com um custo alto. Seu verdadeiro uso é em sua habilidade, que pode trocar o Pokémon Ativo do inimigo ao descartar uma energia de fogo, algo muito útil para interromper avanços ou simplesmente nocautear alguém no banco. Yanmega já é útil pelos seus golpes mesmo: o primeiro permite que você recicle sua mão, a devolvendo para o baralho e puxando 6 novos cards, além de poder bater 100 no seu primeiro turno como Pokémon Ativo e 50 nos subsequentes.

Swadloon é o que já conhecemos como o Pokémon “ganha tempo”, evitando dano e qualquer outro efeito sobre ele com o jogar de uma moeda em seu primeiro ataque. Venomoth pode ser bastante perigoso, já que pode impedir o oponente de usar suas cartas de Treinador com uma moeda em seu primeiro ataque e, além de bater 50, seu movimento ofensivo deixa o inimigo Confuso e Envenenado, uma combinação letal.

Os incolores são representados por um Pokémon muito bom e outro muito situacional. Loudred pode não ser uma forma final, mas seu Energy Press bate 30 e mais 30 por energia ligada ao Pokémon adversário, o que pode ser letal contra aqueles que tem custos de ataques muito altos. Chansey é a carta mais bizarra do pacote; seu Lucky Punch atinge o inimigo com 100 pontos de dano, mas se e somente se você tiver exatas 7 cartas na mão. Em um metagame onde você está constantemente gastando seus recursos, é uma situação muito improvável para compensar o seu uso.

Nos Apoiadores, temos alguns já familiares, como Pokémon Center Lady, Professor Sycamore, Pokémon Fan Club e Tierno. A novidade está em Shauna, que embaralha as cartas de sua mão e te faz sacar cinco novas. Os Itens também estão cheios de figurinhas marcadas, como Evosoda, Potion, Professor’s Letter e Roller Skates. O destaque é para a Ultra Ball, que sacrifica dois cards na mão para buscar qualquer Pokémon do deck, e Trick Coin, que pode ser ligada a um Pokémon e jogar novamente as moedas de seus ataques, revertendo um possível azar.

Com 10 energias de fogo e 8 de grama, Ventos Ardentes é um baralho que falta um pouco de liga entre si. Temos algumas cartas que isoladas até fazem um bom trabalho, mas não tem muita sinergia. Exige muito esforço da parte do jogador tirar pleno proveito de seu time.

Conduzindo a pancadaria

Galvantula abre o deck mostrando que, diferente do seu rival voador, não está para brincadeira. Seu primeiro golpe força o oponente a trocar e faz o novo Pokémon Ativo ficar Confuso, enquanto o segundo bate 60 e o impede de recuar o Ativo. Essa combinação prende em campo um Pokémon em condições negativas, o que deixa o adversário à mercê das jogadas de moedas para não ser massacrado pelo próprio azar.

Curiosamente, Heliolisk é o único Pokémon além de Galvantula a representar a cor amarela, e não o faz tão bem quanto o líder do deck. Seu primeiro golpe bate apenas 30, enquanto o segundo te faz descartar energias elétricas de seus Pokémon e bater 30 vezes o número de descartadas. É uma alternativa para finalizar rapidamente um adversário perigoso, mas irá descarregar suas alternativas de golpes com rapidez, então é preciso cautela.

Migrando de eletricidade para água, nada conduz melhor o poder desse time do que Feraligatr. Compensando seu status como Estágio 2, o crocodilão tem alguns artifícios bem fortes na manga; seu primeiro golpe te faz jogar moedas até tirar coroa e remover energias do Ativo do oponente igual ao número de caras, isso sem contar os 60 de dano. Quer mais? Seu segundo golpe bate 80, mas se o inimigo já possuir um contador de dano sequer, o valor sobe para 160. Está aqui o grande matador.

Kingler tenta brincar de resistente, mas não é tão durão. Seu primeiro golpe reduz em apenas 20 o dano recebido, o que dificilmente será notado. Ao menos seu outro ataque bate 100, o que é um ótimo número apesar do custo alto. Jellicent é um Pokémon curioso; seu primeiro golpe permite que você pegue três energias na pilha de descarte do oponente e ligue nos Pokémon dele da maneira que quiser, o que pode inutilizá-las e impedir reciclagem fazendo isso da maneira correta. O segundo fecha o combo: são 50 pontos mais 10 para cada energia no Ativo do oponente. Está disposto a armar o inimigo para bater mais forte? Muitas vezes pode compensar!

Fearow representa os incolores de maneira razoável até, já que é muito bom para ganhar tempo. Seus golpes batem 40 e 60, respectivamente, mas o primeiro tem um excelente efeito colateral de forçar o inimigo a jogar uma moeda antes de atacar: se o resultado for coroa, ele não causará dano ou efeito algum.

Os Itens dos dois baralhos são literalmente iguais, então tudo que influencia é a distribuição de energias, que aqui temos 7 elétricas e 11 aquáticas. Ficou claro que o Tornado de Raios é muito mais consistente do que seu gêmeo de geração, tendo cartas bem mais potentes e úteis para as mais diversas situações, batendo tão forte quanto e com menos efeitos colaterais. Parece que temos um vencedor!

Hora de garimpar!

E cá vamos nós ver o que podemos tirar de bom desses baralhos para outros decks competitivos! Ventos Ardentes tem Pyroar uma boa mecânica para girar os Pokémon do inimigo com baixo custo, especialmente porque os decks de fogo reciclam muita energia, mas nem pense em usá-lo ofensivamente. Yanmega também pode ajudar em decks de grama, ajudando a ciclar sua mão e buscar cartas mais adequadas, mas o papel acaba no suporte.


Bolt Twister oferece Pokémon muito mais confiáveis, como Feraligatr e Galvantula, embora seja difícil usá-los em um metagame lotado de Pokémon-EX. É nos Itens que ambos os decks se mostram boas minas de ouro, com praticamente todos os Apoiadores podendo ser usados em algum tipo de baralho, bem como todos seus Itens - com destaque para Ultra Ball, usada em quase todos os baralhos competitivos, e Flip Coin, que pode dar uma nova sorte para o seu azar.
E é isso aí pessoal, isso conclui nossa análise dos baralhos de Força Fantasma. Nos vemos novamente quando chegar a próxima expansão e seus baralhos únicos também. Até lá!
Capa: Ana Carolina Rocha
Fellipe Camarossi é graduando em Ciências Contábeis e amante de uma boa discussão sobre videogames. Além de escrever para o Nintendo Blast, também é redator nas revistas Nintendo World e EGW. Para elogios e críticas, pode encontrá-lo no Facebook ou Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais