Jogamos

Análise: Gunman Clive 2 traz mais tiroteios estilosos para o 3DS

O pistoleiro mais famoso do eShop do portátil volta em uma aventura mais extensa e colorida.


Um dos títulos mais populares do eShop de 3DS é Gunman Clive, por conta de sua jogabilidade divertida, gráficos estilosos e ótimo preço. Por conta disso, era só uma questão de tempo para que uma continuação fosse lançada. Gunman Clive 2 melhora todos os aspectos de seu antecessor e conta com ainda mais estágios, personagens, cores e variedade, sem deixar de lado o visual único, a jogabilidade precisa e a diversão.

Caçando bandidos pelo mundo todo

Depois de salvar a Srta. Johnson na aventura anterior, o pistoleiro Clive decide retornar à cidade onde tudo começou. Para sua surpresa, o vilarejo está sob ataque dos bandidos, que dessa vez contam até com um grande robô — com ele os vilões conseguem colocar fogo na cidade e espalhar o caos. Clive, mais uma vez, tenta impedir os planos dos bandidos e até consegue expulsá-los da vila. Para acabar de uma vez por todas com essa gangue, o pistoleiro decide perseguir o líder do grupo, em uma aventura que levará o herói a explorar todo o mundo.


A trama de Gunman Clive 2 já mostra que a nova aventura tem proporções muito maiores. Clive explorará lugares exóticos como montanhas geladas, castelos nipônicos e até mesmo as florestas brasileiras. A jogabilidade, porém, está intocada: os heróis só conseguem pular e atirar. Ao serem derrotados, os inimigos podem deixar armas especiais que alteram os projéteis e trazem variedade à jogabilidade. Vários personagens estão disponíveis: Clive é balanceado e não apresenta forças ou fraquezas significativas; já a donzela Ms. Johnson consegue flutuar no ar por um curto espaço — mas, em compensação, ela é mais lenta. A novidade é Chieftain Bob, um índio que usa uma lança para derrotar os inimigos com ataques de curto alcance. Jogar com ele é um grande desafio e muda sensivelmente o jogo, já que é necessário chegar perto dos oponentes e atacar no momento certo. Um personagem extra que muda drasticamente a jogabilidade também pode ser desbloqueado.

Pulando, voando e explodindo coisas

Desafio e variedade são os principais destaques de Gunman Clive 2. A maioria dos estágios do título consiste em desafios de tiro e plataforma, cujo objetivo é chegar no final do percurso. A dificuldade é na medida certa e os desafios exigem pulos precisos e reflexos rápidos — se prepare para morrer várias e várias vezes durante a aventura. Os estágios não são muito longos, mas não existem checkpoints, o que torna morrer algo muito perigoso. As fases estão repletas de trechos criativos e recursos clássicos do gênero de plataforma, como sessões na qual a gravidade é alterada e partes cujo chão é congelado e escorregadio.

A continuação tem várias situações novas e divertidas, que trazem variedade à aventura. Em um estágio os heróis usam um veículo voador para destruir inimigos, em sessões que lembram muito Star Fox; já em outra fase o tiroteio acontece em cima de cavalos, como em um tradicional filme de bang-bang; no Oriente é o momento de montar em um panda, isso enquanto tenta-se escapar de uma serra imensa. Outro destaque são as lutas contra os chefes: elas são bem desafiantes, complexas e divertidas.

Uma festa de situações absurdas

O humor e a maluquice são outras características marcantes do título. Existem coisas estranhas como pelicanos que lançam bombas do bico, um inimigo que é um hamster preso em uma roda gigante e lutadores de sumô caindo do teto. Mas nenhuma supera o que acontece nos estágios que se passam no Brasil: as florestas amazônicas são repletas de dinossauros e há um Tiranossauro Rex como chefe. É difícil não se divertir com tanta coisa absurda junta.

Mas, mesmo assim, não existem muitos incentivos para revisitar as fases. A única coisa a ser feita no jogo é terminá-lo com todos os personagens. A duração também não é das maiores: pouco mais de uma hora é suficiente para vencer todos os desafios com um único herói. Para aqueles que gostam de um bom desafio, existe um nível de dificuldade que torna as coisas ainda mais difíceis, o que pode ajudar a aumentar o tempo de jogo.

Um mundo mais colorido

Tecnicamente, Gunman Clive 2 é bem similar a seu antecessor, apresentando aquele estilo gráfico que lembra um papel sendo rabiscado o tempo todo. A novidade é que agora a aventura é um pouco mais colorida, sem deixar de lado o visual característico do título. Cada região do mundo usa uma paleta de cores que remete ao local, como o azul claro das regiões geladas e o verde nas florestas amazônicas. O resultado é um visual mais variado. Já a trilha sonora tem uma ou outra composição memorável, mas na maior parte do tempo é desinteressante.

Intenso e divertido

Gunman Clive 2 expande a fórmula já consagrada de seu antecessor com fases criativas, situações malucas e muita variedade. O desenho dos níveis está ainda melhor e a dificuldade está na medida certa — felizmente a jogabilidade continua precisa e o personagem novo adiciona mais possibilidades. Os problemas são praticamente os mesmos do primeiro título: a aventura não é muito longa e não existem muitos incentivos para revisitar os estágios — o que pode ser relevado quando se considera o baixo preço do jogo. Gunman Clive 2 é uma experiência curta, mas muito intensa e divertida, perfeita para os amantes de jogos de plataforma.

Prós

  • Jogabilidade simples e precisa;
  • Grande variedade de situações;
  • Ótima direção de arte;
  • Dificuldade na medida certa.

Contras

  • Baixo fator replay;
  • Aventura curta.
Gunman Clive 2 - 3DS - Nota: 8.5
Revisão: Alan Murilo 
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura e Motoi Sakuraba, é apreciador de boardgames, game music, fotografia, livros e animes. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais