Jogamos

Análise: Pescaria Lendária e Missão Z trazem mais diversão StreetPass ao 3DS

Os novos minigames da Praça Mii oferecem experiências bem diferentes e completas.


Uma das características mais divertidas do 3DS é a Praça Mii StreetPass. Nesse aplicativo, que já vem instalado por padrão no console, é possível receber o Mii de outros proprietários do portátil e os utilizar em vários minijogos. Depois de algumas atualizações, a Praça Mii recebeu conteúdo extra na forma de quatro jogos pagos, o que deixou o aplicativo ainda mais interessante. Pescaria Lendária e Missão Z são as últimas adições e são bem diferentes dos títulos do pacote anterior. A atualização também incluiu um recurso chamado Sala VIP, no qual é possível guardar alguns Mii e coletar suas datas de aniversário.Será que vale a pena fazer StreetPass para aproveitar essas novas aventuras?

Uma pesca inusitada

Pescaria Lendária (Ultimate Angler), como o nome implica, é um jogo de pesca. O objetivo é explorar inúmeros pontos de pesca e capturar peixes com a ajuda de outros Mii — cada visitante da Praça provê uma isca de acordo com a cor da camiseta e também ajudam a fisgar as criaturas maiores. A jogabilidade é simples: jogue a isca na água, espere a boia afundar e em seguida puxe a linha. As partidas são rápidas e sem complicações.


Minha parte favorita em Pescaria Lendária são os confrontos contra as “criaturas lendárias”. São realmente confrontos: no final de cada ilha está localizado um bicho imenso e o minigame de pesca muda um pouco. Ao invés de simplesmente puxar o peixe, é necessário cansá-lo para só depois conseguir fisgá-lo. Essas batalhas são intensas e bem divertidas — ter vários Mii para ajudar a puxar a presa faz muita diferença.

A premissa básica desse jogo é simples, mas existem várias nuances que deixam as coisas mais divertidas. A primeira delas é a possibilidade de combinar iscas para atrair peixes maiores — uso esse recurso o tempo todo, pois muitos dos peixes só podem ser pescados assim. Outra mecânica legal diz respeito às varas de pescar: elas podem ser melhoradas e combinadas, com direito a habilidades especiais únicas. O dinheiro obtido com a pesca pode ser utilizado para comprar e decorar aquários nos quais os peixes capturados podem ser exibidos.

Conteúdo abundante e ritmo quebrado

Pescaria Lendária tem muito conteúdo: existem várias missões para serem concluídas, varas para serem criadas e muitos pontos de pesca a serem explorados. Contudo, tudo isso pouco contribui para deixar as coisas mais interessantes. As varas de pescar, por exemplo, têm características similares — eu mesmo encontrei um equipamento forte logo no início da aventura e não precisei trocar por um novo até agora. Já as missões são tarefas simples, como capturar um determinado número de peixes. De qualquer maneira, quem desejar completar tudo terá muito trabalho pela frente.

O principal defeito do jogo tem a ver com o ritmo em que se avança na aventura. Cada conjunto de visitas lhe dá o direito de visitar um único ponto de pesca e para desbloquear o próximo é necessário capturar algum peixe específico. Acontece que nem sempre você tem as iscas que atraem tal peixe e não consegue avançar. A aleatoriedade também irrita: foram inúmeras as vezes que combinei iscas para atrair um bicho grande e acabei pescando um galho de madeira.

Outro fator que afeta o ritmo são as ilhas distantes: para visitá-las você precisa de um tíquete especial que só é obtido ao encontrar jogadores de outro estado ou país — um feito difícil pelos meios normais aqui no Brasil. Também é possível comprar esses tíquetes com Moedas de Jogo, mas os preços são bem salgados: o prateado custa 20 moedas, enquanto o dourado custa absurdas 50 moedas. O problema é que cada tíquete só permite uma única viagem para a ilha em questão — como cada localidade tem por volta de cinco pontos de pesca, é necessária uma fortuna de Moedas de Jogo para completar esses trechos.


Sobrevivendo a um apocalipse zumbi

Missão Z (Battlefield Z) é o outro jogo do pacote e é uma experiência completamente diferente do jogo de pescaria. Na pele de um dos poucos sobreviventes de um apocalipse zumbi, sua missão é derrotar hordas de mortos-vivos ao mesmo tempo que ajuda outros Mii e tenta descobrir uma cura para a epidemia. Os sobreviventes encontrados provêm armas que são utilizadas com o botão A e contam também com ataques especiais carregados.

Em um primeiro momento, Missão Z parece simplório: basta apertar repetidamente o botão de ataque, derrotando todos os zumbis que aparecem no caminho. Mas as coisas não são tão simples, pois cada estágio tem um objetivo diferente. Em um deles, por exemplo, a missão é sobreviver até que a ajuda chegue. Já em outro local é necessário encontrar rodas para poder fugir em um carro. Em uma terceira situação existem personagens que precisam ser protegidos. Além disso, todos os estágios contam com missões extras, que provêm medalhas para abrir mais estágios. Por conta dessa variedade, cada fase é uma experiência bem distinta.

Uma aventura bem humorada

A característica mais legal de Missão Z é a ambientação e bom humor. Ao contrário dos outros jogos da Praça Mii, que utilizam a cor da camiseta dos personagens para definir itens e habilidades recebidos, Missão Z leva em consideração o hobbie da pessoa na hora de escolher as armas. Os armamentos são criativos e malucos e têm a ver com o passatempo do Mii. O hobbie estudar tem como arma um lápis gigante e seu especial coloca todos os zumbis para enlouquecer em uma aula de cursinho. Quem gosta de viajar dá uma mala como arma, que em seu especial coloca os inimigos em um ônibus e os despacha para a viagem dos sonhos. No total são 26 armas que abrangem coisas como um Wii Remote que funciona como espada, sacolas repletas de compras, uma mochila de acampamento e até mesmo um tablet que gera hologramas de páginas da internet. Os inimigos também contam com fraquezas a certos tipos de armas, logo é importante sempre trocá-las durante a ação. Me diverti muito vendo os ataques malucos e tentando descobrir as vulnerabilidades dos zumbis.

Além das missões extras e confrontos com chefes, Missão Z conta também com zumbis raros que podem ser encontrados nos estágios. Acontece que o jogo não dá nenhuma dica de como encontrá-los. Procurei muito até descobrir que para eles aparecerem é necessário usar o ataque especial de certas armas em momentos específicos. Isso leva ao principal problema desse jogo: algumas coisas não são explicadas direito, o que pode ser frustrante. Em uma missão, por exemplo, eu precisava encontrar um cachorro dentro de um limite de tempo. Explorei o estágio todo e nada de encontrar o animal… até que descobri, por acaso, que eu precisava interagir com elementos do cenário. Algumas opções, como travar a mira em uma direção e dar comandos aos aliados, não estão explicitadas — descobri muitas dessas ações por acaso. Felizmente isso atrapalha pouco a experiência de jogo.
Junto com esses dois novos jogos, a Nintendo adicionou algumas novidades à Praça Mii como novos chapéus, balões de fala e a possibilidade de esconder os minigames que você não joga mais. Foi incluído também um serviço pago chamado de Sala VIP que permite salvar certos Miis, ganhar tíquetes ao coletar datas de aniversário e pular o diálogo na entrada da praça. Esse serviço custa o mesmo valor que um dos jogos novos e pela quantidade reduzida de conteúdo só deve agradar os fãs mais fervorosos da Praça Mii.

Ótimos incentivos para fazer StreetPass

Pescaria Lendária e Missão Z são ótimas adições à Praça Mii. Os dois jogos oferecem experiências bem diferentes dos títulos do pacote anterior e são bem divertidos e repletos de conteúdo. Algo importante nos novos jogos é que o ritmo é bem melhor e as partidas são mais rápidas — os outros quatro títulos anteriores consumiam facilmente mais de 15 minutos para serem jogados, o que era problemático principalmente em eventos e encontros de jogadores. Algo a se considerar é que os jogos exigem grandes quantidades de encontros StreetPass por conta do volume de conteúdo. Quem não consegue encontrar outros Miis com frequência vai ter dificuldades para avançar em ambas aventuras, já que o custo de Moedas de Jogo é alto — principalmente no Pescaria Lendária. Se gosta da Praça Mii e de suas interações StreetPass, não deixe de conferir Pescaria Lendária e Missão Z.

Prós

  • Pescaria Lendária tem jogabilidade simples, mas divertida;
  • Missão Z tem muito humor e variedade de situações;
  • Os dois jogos, juntos, trazem grande quantidade de conteúdo.

Contras

  • Pescaria Lendária exige quantidade exorbitante de moedas para acessar certos estágios;
  • Missão Z não é claro sobre alguns objetivos e opções.
Pescaria Lendária e Missão Z — 3DS — Nota: 8.0
Revisão: José Carlos Alves
Capa: Victor Pereira
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura e Motoi Sakuraba, é apreciador de boardgames, game music, fotografia, livros e animes. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais