Produtor diz que Metroid Prime: Federation Force (3DS) manterá clima da série

Kensuke Tanabe está otimista para que, no final, os jogadores entendam melhor sua proposta.

Provavelmente o jogo mais polêmico da Nintendo nos últimos meses, Metroid Prime: Federation Force (3DS) foi mais uma vez defendido por seu produtor, Kensuke Tanabe. O desenvolvedor falou sobre vários aspectos do jogo, como por exemplo, de que Blastball deverá servir como espécie mistura de tutorial e modo "just for fun" do jogo principal. Além disso, dentro do enredo do jogo, o esporte é parte do treinamento, uma competição para escolher os melhores alunos, de formação dos soldados da Federação Galática.

Sobre o resto do enredo do jogo, algo que Tanabe já havia falando um pouco anteriormente, ele diz mais sobre a relação entre Federation Force e os demais jogos:
O enredo propriamente dito acontece ao longo de três planetas. Em um desses planetas existe ruínas de uma antiga fábrica da Federação Galáctica, abandonada há muito. Seu personagem será um membro da Federação enviado a esse planeta para fins de pesquisa. Conforme o jogador aprofunda em sua missão, ele descobrirá que os Piratas Espaciais estão lá, tramando algo e criando um tipo de arma suprema para usar contra a Federação. É assim que tudo começa. 
A história de Basin e da Dark Samus, no meu entender, já está completa. Os jogos anteriores já deram conta dela. Mas devem se lembrar do final de Metroid Prime 3. Sylux é um dos caçadores que está em Metroid Prime Hunters. Em Prime 3 existem algumas pistas de que Sylux está, de alguma maneira, presente. Isso no sentido de criar uma potencial relação entre Samus e Sylux. Eu gostaria de ter isso em mente também durante Federation Force. 

O desenvolvedor também garantiu que Samus estará presente em algum momento durante o jogo. E ainda também diz que apesar da reação dos jogadores, Federation Force possui a mesma atmosfera e clima consagrados pela série:
Eu sei, e já esperava, que algumas pessoas reagiriam mal quando descobrissem que Samus não seria um personagem controlável. O que eu acho que está acontecendo é que uma vez que eles coloquem as mãos no jogo, eles serão capazes de entender a experiência por si mesmos e perceber o clima do jogo. Perceber que a atmosfera do universo de Metroid Prime estará lá, e que a música do jogo é bastante parecida com a da série Prime. Então, ainda que fique claro que as pessoas a primeira vista dirão "ah isso não é o que eu esperava", elas, com certeza, entenderão essa perspectiva diferenciada que estamos tentando fazer aqui. 
Por fim, ele ainda comentou que será possível também jogar a campanha sozinho (sem entrar em detalhes de como isso seria feito, se haveria redução da dificuldade ou de número de inimigos). E que, no modo de multijogador, os equipamentos carregados por cada jogador serão balanceados através de um limite de peso por personagem.

Fonte: CGM
Lucas Palma Mistrello é historiador, mestre pela Universidade Federal de São Paulo. Redator nos Blasts desde 2012, começou com os games com o Atari 2600 e é eclético em gênero e temas: vai de COD e Medal of Honor a Pokémon e Zelda com a mesma vontade. Sempre está de olho nos comentários das postagens.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais