Blast from the Past

Em Pokémon Mystery Dungeon: Red/Blue Rescue Team (GBA/DS), descubra o seu lado Pokémon

Primeiros jogos da série Mystery Dungeon trouxeram uma forma de explorar o mundo Pokémon nunca antes vista: tornando-se um deles.

A série Mystery Dungeon comemorou recentemente seu aniversário de dez anos no Japão. Os dois primeiros jogos dessa série foram lançados nas terras nipônicas em 17 de novembro de 2005, chegando quase um ano depois aos Estados Unidos. O novo mundo dos tão queridos monstrinhos proposto pela Chunsoft era completamente diferente do visto na linha principal da franquia. Houve a habitual dupla de jogos no lançamento, mas a semelhança desses spin-offs com os jogos da linha principal quase se limita por aqui.

Red Rescue Team e Blue Rescue Team, lançados para GBA e DS, respectivamente, foram os primeiros games a permitir que descobríssemos o que se passa na cabeça dos monstrinhos de bolso. Com o lançamento recente de Pokémon Super Mystery Dungeon (3DS), vamos relembrar as origens de uma série única e que tanto divide a opinião dos fãs da franquia da Game Freak.

Quem precisa de humanos?

Logo no começo, o jogador tem que responder a um quiz com diversas perguntas referentes ao seu comportamento diante de situações do cotidiano. Ao final do teste, o aspecto mais marcante de sua personalidade e seu sexo determinarão o Pokémon que se encaixa à sua visão de mundo. São dezesseis possibilidades ao todo, contando com os iniciais de Kanto, Johto e Hoenn e alguns extras, como Pikachu, Skitty e Eevee. Após a escolha do personagem principal vem a escolha do parceiro, que não pode ser do mesmo tipo do primeiro.
O que você faria?
A história começa com o protagonista acordando e se vendo em um mundo completamente diferente. Ele deixara de ser humano e se tornara um Pokémon — e o pior, sem lembranças de seu passado e do que aconteceu para chegar ali. Nesse novo universo, é possível interagir com outros monstrinhos, sendo o primeiro o seu parceiro, que irá te acompanhar por toda a aventura. Logo de cara, a nova dupla aceita sua primeira missão: resgatar um Caterpie para sua mãe Butterfree na primeira dungeon do jogo. Esse é o passo inicial para que os Pokémon formem um time de resgate, tendo em vista auxiliar os demais monstrinhos necessitados de ajuda. Infelizmente, isso tem se tornado mais frequente devido a um desequilíbrio natural, com desastres acontecendo a todo instante.
É o primeiro desafio que motiva os dois recém-conhecidos a formar seu próprio time de resgate.
A partir de então, seguem-se várias explorações de dungeons de acordo com os pedidos de ajuda de outros Pokémon. Cada trabalho rende recompensas e pontos para eventuais ascensões no rank do time. Todos os Pokémon das três primeiras gerações podem ser encontrados e recrutados para o time, a maioria deles espalhada como Pokémon selvagens nas dungeons, mas com outros encontrados no modo história.

Uma jogabilidade diferente

As dungeons de ambas as versões são geradas pelo computador, fazendo com que cada vez que se entre em uma mesma localidade haja sempre um layout diferente. Os jogos se caracterizam por serem RPGs cujas batalhas se dão em turnos. Ou seja, cada ação feita pelo Pokémon que você está controlando no momento (um passo, usar um item ou atacar) conta como um turno. Daí, a cada ação do seu personagem, os demais Pokémon podem agir. Para complementar, ao zerar o HP do personagem, ele perde todo o seu dinheiro e diversos itens, além de ter que retornar ao primeiro nível da dungeon atual. Essas características tornam a série Mystery Dungeon como pertencente ao gênero roguelike, pois diversos aspectos foram herdados de Rogue (PC), um clássico de 1980.
Não há boas intenções por atrás de todos os times de resgate...
Embora não seja de conhecimento geral, a série Mystery Dungeon começou muito antes do lançamento dessas duas versões. Em 1993, a Chunsoft lançou Torneko no Daibōken: Fushigi no Dungeon para o SNES, um jogo baseado na série Dragon Quest e sendo o marco do nascimento dos Mystery Dungeon. A série ainda retrataria diversas outras franquias antes de chegar doze anos depois aos primeiros jogos baseados em Pokémon.

Azul versus (ou mais) Vermelho

Embora muito semelhantes, Red Rescue Team e Blue Rescue Team trouxeram algumas diferenças interessantes. Para começar, como em diversos jogos da linha principal da franquia Pokémon, havia monstrinhos exclusivos para cada versão. Somente através de códigos encontrados no outro jogo era possível desbloquear os exclusivos. Além disso, a potência gráfica superior da versão de DS permitiu gráficos melhores que os encontrados na versão de GBA.

A diferença maior entre os dois jogos é que as duas telas do DS permitiram que houvesse um melhor aproveitamento do espaço de cada uma. Por causa desse detalhe, era possível visualizar o mapa na tela superior e realmente explorar na tela de baixo, o que não poderia ser feito no GBA. A tela superior do DS também poderia mostrar informações sobre o time e as ações feitas no jogo (os ataques realizados, pontos de experiência adquiridos). Em suma, entretanto, as melhorias encontradas em Blue Rescue Team não prejudicavam a experiência em Red Rescue Team, embora tornassem a do DS mais rica.


Versões iguais poderiam se conectar entre si (através do Cabo Link, no caso do GBA, e por wireless, no caso do DS), além de que versões diferentes também poderiam comunicar-se pelo Dual-Slot do Nintendo DS. Essa última interação permitia a troca de itens e o resgate entre os times, que era uma forma de evitar perder o dinheiro e os itens adquiridos na exploração de uma dungeon. O DS saía na frente por causa do wireless, que permitia ainda outros recursos como as Unknown Dungeons, que poderiam ser exploradas com ajuda de outro amigo.

O legado

Talvez pela dupla de jogos ter sido lançada para GBA e DS, eles não receberam aclamação geral da crítica. Blue Rescue Team, principalmente, foi tido como apenas bom por ser muito parecido com a versão para GBA. Isso foi considerado um ponto negativo, uma vez que se tratavam de consoles de gerações diferentes. Apesar de problemas pontuais e de aspectos que poderiam ser melhor explorados, os jogos foram considerados viciantes, receberam boas notas e estão entre os mais vendidos da história de seus consoles.

Pokémon Mystery Dungeon: Red Rescue Team e Blue Rescue Team foram os primeiros a nos permitir saber o que os monstrinhos tinham falar. A história dos jogos serviu de base para todos os demais da série, que chegariam novamente ao DS, ao Wii (embora apenas no Japão) e mais recentemente ao 3DS. Além disso, Red Rescue Team foi o último jogo baseado em Pokémon a ser lançado no GBA, marcando de vez a transição da franquia ao inovador portátil da Nintendo. Apesar das críticas feitas aos jogos, certamente se trata de uma experiência bastante memorável no mundo Pokémon, especialmente por trazer uma perspectiva totalmente nova sobre o mesmo.
A série chega à sua décima iteração com o mais recente Pokémon Super Mystery Dungeon, lançado há um mês para o Nintendo 3DS, trazendo mais monstrinhos do que nunca, as Mega Evoluções pela primeira vez no spin-off e uma história considerada a mais elaborada da série. Se você ainda não conhece Mystery Dungeon e ficou interessado, não perca essa oportunidade!
Revisão: Vitor Tibério
Capa: Leandro Alves
Robson Júnior é graduando em Ciência da Computação pela UFCG. No Blast, atua como diretor de redação e revisor. Reserva algum tempo para jogar, ler e escrever, algumas de suas paixões. Você pode encontrá-lo no Twitter e no Alvanista.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais