Jogamos

Análise: Mario Tennis: Ultra Smash (Wii U) entrega poucas novidades e decepciona

Raquetadas do bigodudo e de sua turma deixam inovação de lado e apostam na simplicidade: o resultado é provavelmente o pior game da franquia.

Com um final de ano pouco movimentado para donos de consoles da Nintendo, a empresa resolveu colocar em quadra um de seus grandes trunfos: a franquia Mario Tennis. Mario Tennis: Ultra Smash foi lançado no dia 20 de novembro e prometia multiplayer divertido aliado aos gráficos em alta definição e pitadas de jogabilidade criativa, proporcionada pelo GamePad. O prenúncio não se concretizou: o mais recente título tem vários defeitos que maculam, mais uma vez, a imagem de uma série que já foi extremamente popular.

Saudade dos tempos de ouro

Cada nova versão de Mario Tennis anunciada faz com que os fãs cruzem os dedos na torcida por um game decente. Algo que misture a diversão do título de Nintendo 64 com o modo RPG introduzido no portátil Game Boy Color. Não é, definitivamente, pedir muita coisa, ou é? Mas parece que os desenvolvedores não estão muito antenados com os gamers...

Ultra Smash comete praticamente os mesmos erros que Mario Tennis Open (3DS): inova pouco, foca no modo multiplayer e superestima sua própria vida útil. Jogar sozinho é uma tarefa tediosa e que oferece pouquíssima recompensa ao jogador. Tudo bem que a proposta do Wii U é reunir pessoas, mas não se pode simplesmente abdicar de um single player sólido — algo que Mario Golf: World Tour (3DS), por exemplo, fez com muita qualidade.
Os torneios deram lugar ao modo mata-mata.
Para começar, não existe um modo de torneio ou de carreira. Para jogar sozinho, o jogador só tem duas opções: partidas amistosas ou um modo mata-mata. Quanto mais adversários se ganha, mais difíceis os próximos serão. Essa fórmula até poderia fazer sucesso se o jogo fosse lançado em meados da década de 90. Hoje, o jogador é muito mais exigente.

As partidas são disputadas em modo Single (1vs1) ou Doubles (2vs2). No modo de duplas, é possível ter um CPU como parceiro, ou, caso prefira, juntar seu amigo para duelar contra a máquina.

As (poucas) novidades

O principal trunfo de Ultra Smash é o uso simplório do GamePad. É possível reunir até quatro jogadores simultâneos, cada um jogando da forma que prefere: com o Pro Controller ou com o Wii Remote na horizontal. Quem estiver no GamePad terá uma câmera em perspectiva sempre por trás do jogador, o que acaba sendo uma vantagem.

Outra novidade é o uso dos amiibo como personagens jogáveis. Conforme as partidas são disputadas, o amiibo vai ganhando pontos para tornar as habilidades dele ainda melhores, como mais força, velocidade ou agilidade, por exemplo.
É possível conceder habilidades extras para seus amiibo
Há mais duas novidades, ambas na jogabilidade do game. Uma é o chamado Jumpshot, mecânica que permite aos atletas saltarem em alturas absurdas para soltar uma pancada na bolinha verde. A batida violenta costuma dar trabalho para os adversários. A outra são os Mega Mushrooms e servem para esticar o personagem. Os grandalhões ficam mais lentos, porém conseguem chegar com mais facilidade nas bolas e, de quebra, rebater com muita força para o campo rival.

Advantage para a falta de inovação

A pouca variedade marca presença em todos os aspectos do game. Desde os modos de jogo offline, a falta de interação online e a inexistência de arenas. Só é possível trocar o tipo de piso, pois o estádio é sempre o mesmo. Ao menos, os pisos influenciam no estilo de jogo. Uma quadra de saibro (areia) costuma ter um jogo mais lento, já que a bolinha adquire menos velocidade. No piso sintético, por outro lado, a ação é mais frenética. 
Como se trata de Mario, existem outros tipos de piso bem malucos. O de cogumelo, inspirado em Toad, faz a bola saltitar mais do que o normal. O de gelo transforma em desafio o controle do tenista, que desliza na quadra. O de areia faz com que a bolinha perca muita força e quase não quique no terreno movediço.

Por isso, é preciso escolher seu personagem de acordo com o piso de jogo. Yoshi é rápido e se dá bem nos jogos mais agitados. Já Bowser pode ser uma opção mais adequada para os games mais cadenciados. O fantasma Boo não sofre tanto com as variações de piso, porém não tem tanta força, agilidade ou técnica quanto Mario. Esta é a única parte do game que exige um pouco mais de estratégia.

Apesar do estilo arcade da franquia Mario Tennis, Ultra Smash oferece um precisão nas jogadas. Isto torna o título um pouco mais agradável para os jogadores mais experientes e habilidosos. Só um pouco, mesmo, afinal o objetivo aqui é diversão descompromissada.

É possível controlar a força e a direção da bolinha para surpreender os adversários. Nem sempre soltar o braço com um Power Shot é a melhor jogada. Há casos que uma jogadinha de efeito, um Lob Shot, por cima do adversário, vai acabar com o set. Em outras, uma deixadinha próxima da rede vai “quebrar as pernas” do seu adversário que está no fundo da quadra.

Os tenistas do Reino do Cogumelo

O Reino do Cogumelo tem opções para agradar a todos os gêneros e estilos. Ultra Smash conta com 16 jogadores, sendo quatro deles disponíveis para desbloqueio. É possível, também, adicionar os amiibo para as partidas. Eis os tenistas que fazem a nossa diversão:
Mario e Luigi, com perfis balanceados, são as melhores opções para quem está começando. Os outros estilos são bem explicativos, exceto o tipo “trapaceiro”. Estes são assim classificados porque utilizam alguma vantagem específica, algo único que só ele possui, como uma tacada com muita curva ou mais facilidade de alcançar a bolinha.

A customização é praticamente inexistente. Não fosse pelos amiibo, ela nem existiria. Em jogos anteriores era possível escolher equipamentos e mão de preferência para as rebatidas, mas nem isso é mais possível. O jeito é se contentar com as roupas padrões e raquetes originais.

Os modos de jogo

Conheça a seguir todos os modos de jogo:

Classic Tennis

O primeiro e mais tradicional modo de jogo. É uma espécie de jogo amistoso no qual é possível configurar as regras de acordo com a sua vontade: com ou sem golpes especiais, ou se simples ou de dupla, e com até quatro jogadores usando o controle de preferência.

Mega Battle

As Mega Battles trazem o uso dos cogumelos gigantes (Mega Mushroom) para conceder uma "grande" vantagem para o jogador. Já imaginou jogar contra um gigante? Essa é a ideia. É claro que os grandalhões têm vantagens, como maior facilidade para o deslocamento e mais força. No jogo de duplas, apenas um de cada lado poderá usar o mega cogumelo.


Knockout Challenge

É o substituto do antigo modo Tournament. Os tenistas se enfrentam em desafios consecutivos contra a CPU que vão ficando cada vez mais difíceis. A cada vitória o jogador vai acumulando moedas para serem usadas no desbloqueios de novas quadras e personagens. Se perder, é necessário começar tudo do zero.

Mega Ball Rally

O objetivo é ficar rebatendo uma bola gigante até que o adversário erre para acumular o máximo de pontos possíveis. Quanto maior a “trocação”, ou seja, o rally, mais pontos se consegue, os quais são convertidas em moedas. Logo, a ideia aqui não é surpreender o adversário, mas, sim, ficar trocando raquetadas para conseguir mais moedas.

Online

O modo online oferece a oportunidade de jogar com amiibo ou sozinho contra adversários buscados via rede mundial. O estilo você decide: com os golpes especiais ou somente o tênis clássico. Para os brasileiros, podem ocorrer algumas travadinhas, mas nada que atrapalhe as jogadas.

Há dois modos básicos: Relaxed e Serious. O primeiro é um modo casual que não conta pontos. Já o segundo possui uma numeração usada como pontuação para cálculo do seu ranking. O sistema ajuda a equilibrar as partidas, pois tenta nivelar os jogadores na hora da busca. É mais ou menos como já vimos em Mario Kart, porém sem a opção de comunidades.

Game, set and match!

Mario Tennis Ultra Smash não é um jogo ruim de todo. Ele consegue divertir, sim, principalmente se jogado com dois ou mais amigos. O problema é que o game se resume a apenas isso: partidas com os amigos ou internet. Não há recompensas ou desbloqueáveis que incentivem o jogador a ficar horas dando raquetadas. E em tempos de crise, dólar alto e ausência da Big N aqui no Brasil, muita gente pode deve acabar pensando duas vezes antes de comprá-lo.

A sensação é que faltou algo, que este é um jogo incompleto ou que foi concluído às pressas para eliminar o vácuo de títulos do bigodudo. Talvez seja um pouco de cada. Na opinião do redator, este é o pior game da franquia. O que deixa os fãs tristes, como este que vos escreve, é ver tantas boas franquias indo pelo ralo ao serem mal aproveitadas.

Prós

  • Controles funcionais e simples;
  •  Personagens que amamos;
  •  Divertido para jogar em grupo.

Contras

  • Nenhuma novidade relevante;
  • Poucos modos de jogo;
  • Apenas uma arena;
  • Online simples demais;
  • Ausência de um modo RPG, Carreira ou Torneios;
  • Single player enjoativo após uma ou duas horas.

Mario Tennis Ultra Smash — Wii U — Nota: 5,5
Revisão: Vitor Tibério
Capa: Felipe Fabricio
Alveni Lisboa escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais