Aonuma explica o motivo de Link não falar em The Legend of Zelda

Produtor destaca que característica já faz parte da individualidade do personagem.


Um dos maiores mistérios de Zelda não está relacionado com a Triforce ou qualquer outro objeto mágico, mas sim, com o protagonista da franquia. Afinal, como é a voz de Link? Nesses 30 anos da série, o máximo que ouvimos do herói foram alguns gritos, porém nenhuma palavra nunca foi dita. Dar voz ao portador da Master Sword pode ser algo possível no futuro, pelo menos, é o que acredita Eiji Aonuma, produtor da série.



Durante entrevista à revista GamesMaster, Aonuma até considera que a mudança poderia ser algo interessante. Porém o produtor destaca que não falar já faz parte da individualidade do personagem e seria necessário pensar seriamente antes de alterar essa característica.
"Temos recebido muitos pedidos dos fãs que querem ouvir a voz de Link. Apesar de, às vezes, eu sentir que pode ser bom ter um jogo onde ele fala, parte de mim também sente que esse ar orgulhoso de independência que ele tem porque não fala é uma parte importante da sua individualidade como personagem. Quero pensar seriamente se mudar isso é positivo ou não antes de tomar qualquer decisão", afirma Aonuma.
Se a mudança realmente chegar a acontecer, já existem profissionais interessados em trabalhar no projeto. Charles Martinet, dublador do Mario, disse em entrevistas no passado que conversou com Shigeru Miyamoto e pediu para ser o primeiro a ser avisado quando ele decidir dar uma voz para Link. “Mas eu sei que Miyamoto é um gênio e só coloca dublagem onde ela deve existir. Se ele escolheu não usá-la em Zelda, isso deve ser o correto”, comenta Martinet.


Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais