Jogamos

Análise: Pirate Pop Plus (Wii U/N3DS) é uma breve experiência arcade retrô

Mecânicas simples e muita nostalgia são os principais destaques desse simples título indie.

De vez em quando você quer jogar algo simples para preencher um curto espaço de tempo livre, algo que ofereça uma experiência mais arcade. Pirate Pop Plus, um título indie para Wii U e New 3DS, é justamente esse tipo de jogo. O título tem mecânicas fáceis de entender e visual retrô, mas peca pela falta de variedade.

Estourando bolhas

Em Pirate Pop Plus controlamos um pirata chamado Pete Jr. que tem como objetivo estourar bolhas que quicam pelos cenários. Para isso, ele lança sua âncora no ar tentando furar essas várias bolas, ao mesmo tempo em que tenta sobreviver. Ao serem atingidas, as bolhas se dividem em partes menores, até estarem pequenas o bastante para serem destruídas. As mecânicas básicas do jogo são claramente inspiradas na série clássica Super Pang.

O título tenta se diferenciar com algumas características únicas. A primeira delas é a mudança de gravidade: de tempos em tempos, o rival de Pete Jr. altera o centro de atração do estágio por meio de ímãs, o que faz com que o herói se mova para alguma das paredes. Caso o jogador tenha destreza, é possível pisar em cima das bolhas no momento de alteração da gravidade, resultando uma maneira fácil de limpar os obstáculos da tela.


A outra mecânica é o combo. Para ativá-lo, basta acertar os obstáculos em sequência, sem errar. Quanto maior o combo, maiores as recompensas. É um recurso bem interessante pelo fato de incentivar jogar com cuidado e destreza — quando dei por mim, estava tentando fazer longas sequências.

Ambientação nostálgica

Toda a temática do jogo segue uma linha retrô. Os gráficos apresentam elementos pixel art simples e remetem ao visual de jogos de Game Boy, com direito a paleta de cores bem limitada. A trilha sonora conta com animadas composições em chiptune com pegada 8 bits. Para completar, há até uma borda que emula um portátil antigo. O resultado é um jogo que poderia muito bem ter sido lançado para Game Boy, com forte apelo nostalgico.

Acontece que a combinação de todos esses elementos faz com que Pirate Pop Plus não tenha personalidade e pareça só mais um título qualquer com visual pixel art. Para piorar, foram feitas algumas escolhas muito estranhas. A primeira delas tem a ver com a área de jogo: ela é bem reduzida e boa parte da tela é preenchida pela borda, que não adiciona nada à experiência. A escolha de uma paleta de cores reduzida pode ser boa para a nostalgia, contudo atrapalha nas partidas — é difícil discernir o que é item ou o que é bolha quando há muitos elementos na tela.


Por fim, me pergunto o motivo do jogo estar disponível somente no modelo “New” do 3DS. O título é bem simples visualmente, sendo assim acredito que não há justificativa técnica para essa decisão. Ao menos é um dos poucos jogos com suporte a cross buy nas plataformas Nintendo.

Aventura com limitações

Pirate Pop Plus é, de fato, uma experiência arcade pura, pois o único objetivo é conseguir a maior pontuação possível. Há duas dificuldades e a diferença entre elas é somente a quantidade de bolhas na tela. É divertido tentar destruir tudo, principalmente quando há muitos elementos na tela (o que exige muita atenção) ou quando o personagem adquire uma arma diferente que torna mais ágil a ação. Particularmente gostei mais do modo “Hyper” por ser bem mais desafiador e intenso, com alguns momentos caóticos bem legais.

O problema é que tudo pode se tornar cansativo muito rápido. O motivo disso é que há somente um único estágio (uma simples arena quadrada) e não há variedade de situações — a ação se resume a estourar bolhas o tempo todo. Algumas características tentam amenizar essa sensação, como outras armas, conquistas e desbloqueáveis, contudo não são suficientes para fazer a diferença. Sinceramente, não me senti motivado em coletar moedas para liberar novas músicas, personagens (que só afetam a aparência do herói) e paletas de cores.

Diversão curta

Pirate Pop Plus é um título perfeito para partidas curtas e rápidas. A mistura de mecânicas simples e visual retrô trazem uma experiência arcade agradável. Porém, o jogo oferece pouca variedade de situações e conteúdo extra desinteressante, o que pode deixar tudo repetitivo rapidamente. Pirate Pop Plus agradará tanto aqueles que gostam de buscar altas pontuações quanto quem procura algo simples e descompromissado.

Prós

  • Mecânicas fáceis de dominar;
  • Direção de arte retrô agradável.

Contras

  • Pequena variedade de situações pode tornar o jogo repetitivo;
  • Quantidade limitada de conteúdo.
Pirate Pop Plus  — Wii U/New 3DS — Nota: 6.0
Versão utilizada para análise: Wii U
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura e Motoi Sakuraba, é apreciador de boardgames, game music, fotografia, livros e animes. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais