Como o Switch poderia melhorar Smash 4

Uma versão de Switch de Smash for Wii U & 3DS pode ser uma realidade, portanto vamos especular sobre como esse incrível jogo pode ser melhorado!

Super Smash Bros. for Wii U & 3DS é, em muitos aspectos, o projeto mais ambicioso de Masahiro Sakurai. Essa versão de Smash conta, afinal, com a seleção de personagens mais extensa e bem representada de todos os jogos da série. A mecânica de combate mantém-se divertida e bem balanceada até o momento e o conteúdo, dividido entre as duas versões, é o mais vasto até então. Embora um jogo novo seja sempre mais interessante, é provável que, ao menos de início, um port de Smash 4 seja o Smash do Switch. Afinal, o jogo foi lançado há pouco tempo e sua versão mais robusta, a de Wii U, esteve limitada pela performance baixa da plataforma. Sendo assim, vamos especular em que aspectos a Nintendo poderia aprimorar esse relançamento!

3DS + Wii U = Switch

Como a proposta do Switch é unificar as qualidades de um portátil e as de um console de mesa, chega a ser poético pensar que um port de Smash 4 deve também unir o conteúdo das versões de 3DS e Wii U, não? E, de fato, seria um chamariz tremendo tanto para novos jogadores (pois teríamos um Smash com ainda mais conteúdo) quanto para veteranos dessa versão de Smash. Afinal, donos da versão de Wii U podem não ter visto a magia de fases como Magicant ou Spirit Tracks, enquanto que jogadores da versão de 3DS provavelmente não conferiram a grandiosidade de Coliseum e Orbital Gate!
Trazer o conteúdo de Smash 3DS e Wii U em um só cartucho seria uma ótima celebração de todo conteúdo trazido para ambas as versões. Troféus, conquistas, event battles e diversos modos de jogo poderiam estar unidos em uma versão espetacular de Smash 4. Não custa sonhar, né?

Desabilitar obstáculos/chefões

Sabemos que as arenas de Smash são feitas para proporcionar diferentes experiências de jogo, mas nem sempre estamos dispostos a ter um obstáculo mortífero como o caranguejo de Garden of Hope ou um chefe que ocupa metade da fase como em Phyrosphere ou Willy’s Castle. Ok, podemos jogar essas fases em versão ômega, mas com isso perdemos o tamanho original da arena e sua arrumação de plataformas. Se o jogo é capaz de desativar esses obstáculos quando jogamos com mais do que quatro lutadores na versão de Wii U, por que não dar essa opção aos jogadores?
Ridley pode não estar jogável, mas rouba a cena em sua fase

Desbloqueando tudo

Super Smash Bros. for Wii U & 3DS já têm, em cada uma de suas versões, centenas de troféus, músicas e custom moves para serem obtidos. Se considerarmos ainda a ideia de mesclar conteúdo de ambas as versões, teremos ainda mais desbloqueáveis. Dessa forma, seria interessante que a versão de Switch de Smash 4 incluísse uma maneira mais prazerosa de obter todo esse conteúdo. E a falta de um modo single player consistente, como o Adventure Mode de Melee (GC) ou o Subspace Emissary de Brawl (Wii), é provavelmente o calcanhar de Aquiles desse aspecto. Além disso, nem todo o conteúdo precisa ser destravado. Os custom moves, por exemplo, poderiam ser melhor aproveitados pelo jogador se já estivessem acessíveis desde o início.
Haja troféus para colecionar!

A união faz a força

Presente em diversos jogos de luta, como Marvel vs. Capcom e Tekken, um tag battle é aquele modo de jogo em que jogadores podem escolher mais de um lutador (normalmente duplas ou trios) e, durante a batalha, pode alternar entre eles. Considerando o Switch como uma máquina mais poderosa do que o Wii U, poderíamos apostar que ele aguentaria um modo como esse.
Em Smash, isso abriria oportunidades interessantes, como escolher grupos de personagens que se complementam ou criar equipes temáticas, como Zelda e Sheik ou Mario e Luigi. Dessa forma, o aproveitamento ficaria melhor, inclusive aquelas animações de entrada dos lutadores, que atualmente só podemos ver no início do combate. O nome “Switch” combinaria perfeitamente com esse modo, não?

Expandindo a rede

Smash 4 está a anos luz de Brawl em matéria de jogatina online, mas ainda está aquém do que poderia ser alcançado. Há poucas possibilidades de customização das batalhas, lutas com mais do que dois jogadores são fatalmente marcadas por lags e problemas de conexão.
Apesar dos notáveis avanços, os modos online têm muito o que melhorar
Para além da correção desses problemas, a Nintendo poderia aproveitar outras oportunidades que só a jogatina online oferece, a exemplo do modo espectador.  E se arenas gigantes como Palutena’s Temple e The Great Cave Offensive pudessem ser palco de batalhas com oito jogadores online? A possibilidade de manter a câmera focada num único jogador reduziria o problema da baixa escala em que essas arenas são normalmente exibidas no multiplayer local.

Ampliando o guarda-roupa

É engraçado como um jogo tão repleto de easter eggs e atento aos mínimos detalhes de cada personagem tenha explorado apenas a superfície do que as versões alternativas de cada lutador pode proporcionar. Por que não vestir Samus com as diversas armaduras de sua série? E não falo apenas de mudar a cor, mas todo o design da armadura. Seria legal ver Mario vestido de sua versão Super Mario Maker, Dry Bowser como forma alternativa do King Koopa, as versões de pano de Yoshi e Kirby e tantas outras!
Queremos ver mais variações dos personagens

Novos personagens

Essa é uma aposta arriscada, mas vamos a ela! Masahiro Sakurai já afirmou oficialmente que encerrou seu trabalho em Smash 4 com o lançamento de Bayonetta. Embora eu considere que Smash poderá vir a ser desenvolvido por outras pessoas que não Sakurai, acho também improvável que isso aconteça com um Smash que já foi desenvolvido até então pela figura. Um personagem novo exige a participação de Sakurai, ou seja, teríamos que ter o desenvolvedor de volta. 

A única exceção a isso seria o retorno de um personagem veterano, como Ice Climbers, Wolf, Snake, Pichu e Young Link. Esses lutadores já teriam meio caminho andado em termos de desenvolvimento, e os toques finais para funcionarem na versão atual de Smash poderiam ser dados tranquilamente pela Namco Bandai. Por outro lado, esses veteranos não gerariam aquele nível de entusiasmo por um Smash de Switch que lutadores inéditos naturalmente proporcionariam.

Em suma, é um dilema: ao mesmo tempo em que personagens veteranos teriam um desenvolvimento mais prático, eles não adicionariam tanto ao jogo quanto lutadores novos, que, por sua vez, exigiriam mais esforço de produção e provavelmente a participação de Sakurai. De qualquer forma, não custa sonhar com novos personagens. Dentre os inéditos, acredito que Inkling estaria no topo da lista, dado o sucesso de Splatoon e a (praticamente confirmada) versão para Switch da franquia. Além das crianças-lula, algumas figuras bem votadas no bolão de Smash poderiam fazer sua estreia, como King K. Rool, Dixie Kong e Shovel Knight. Além desses, um Pokémon de Sun & Moon (3DS) também seria uma aposta realista.

E você, leitor, que melhorias espera ver num possível Smash para Switch? Deixe nos comentários seus maiores desejos para esse jogo! 
Revisão: Ana Krishna Peixoto
Capa: Rafael Neves
Rafael Neves é estudante de psicologia na UFBA e planeja ingressar no mundo da literatura como escritor. A paixão por videogames e a vontade de escrever unem-se na experiência como jornalista do ramo. Também trabalha em sua HQ virtual. Encontre-o no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook