Jogamos

Análise: Hit Ninja (New 3DS) é um curtíssimo treinamento de pontaria com shurikens

Teste suas habilidades destruindo a maior quantidade possível de alvos.



São poucos os jogos lançados somente para o New 3DS. Normalmente, títulos que chegam à versão atual do portátil são também compatíveis com todas as anteriores. Fiquei até surpreso quando vi que Hit Ninja, projeto do estúdio Petite Games, roda unicamente no console mais novo. Esperava algo que exigisse bastante do hardware da plataforma, justificando assim a exclusividade. Entretanto, comecei a mudar de ideia logo ao iniciar o download na eShop. O arquivo ocupa 260 blocos na memória do New 3DS, apenas para comparação, a última atualização de Pokémon Sun & Moon necessita de 296 espaços.


Apesar de não ser o game parrudo que eu imaginava, Hit Ninja até que é divertido e um bom passatempo. Como envolve seções curtas de jogo, o título é ideal para aqueles momentos tediosos, como salas de espera ou viagens de metrô. O conceito é bastante arcade, faça pontuações suficientes para desbloquear os próximos níveis que apresentam desafios em dificuldade crescente. No total, são seis fases diferentes.

Tiro ao alvo

Logo no começo do jogo, é difícil não compará-lo aos minigames da franquia The Legend of Zelda que testam nossa mira. O objetivo é o mesmo que Link deve cumprir para receber seus prêmios: destrua a maior quantidade possível de alvos. Cada tiro certeiro rende 100 pontos e é necessário acumular 500 nas primeiras fases para liberar o nível seguinte. Depois da terceira etapa, a nota de corte vai aumentando. Não existe limite de tempo, mas o estoque de shurikens é limitado a 20 itens, ou seja, nas fases mais difíceis é preciso ter 40% de acertos para avançar, porcentagem até que fácil de ser alcançada.
Acertar cinco alvos não é tão difícil


A Stylus é o único controle do jogo. Deslizando a caneta pela tela inferior do 3DS definimos a força e direção que as shurikens serão lançadas. Quanto mais rápido for o toque, mais longe a arma irá. Conforme vamos avançando, o desafio aumenta com alvos que passam a se movimentar ou que ficam escondidos no cenário. O nível hard do game acontece ao deixar o modo 3D do portátil ligado, pois a profundidade acaba deixando bem complicado mirar com exatidão. Demorei quase o dobro de tempo para fechar o título quando a função estava habilitada em meu console.

É impossível jogar Hit Ninja e não se sentir no Japão. Todos os cenários são alusivos à Terra do Sol Nascente, além da trilha sonora com músicas típicas do país oriental. O clima nipônico não poderia ser mais conveniente, afinal, os ninjas são um dos símbolos da nação asiática.

Bom passatempo

Funcionando como boa opção para gastar aqueles minutos ociosos, o título é bastante casual. Porém, não ficou claro o motivo de ser lançado somente para o New 3DS. Se o game contasse com versões para smartphones, o mercado consumidor seria bem maior, já que Hit Ninja se encaixaria perfeitamente e chamaria a atenção do público que costuma jogar nesse tipo de plataforma.
Uma versão para smartphones poderia fazer sucesso

Prós

  • Um passatempo divertido;
  • Jogo casual que tem potencial de conquistar público variado;
  • Boa utilização do modo 3D do portátil.

Contras

  • Muito curto;
  • Não há razões para exclusividade no New 3DS.
Hit Ninja — New 3DS — Nota: 5.0
Vinicius Veloso é jornalista e obcecado por games (não necessariamente nessa ordem). Seu vício começou com uma primeira dose de Super Mario World e, desde então, não consegue mais ficar muito tempo sem se aventurar em um bom jogo. Está no Facebook ou Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook