Stage Select

Tapetes voadores, medo de altura e muitos desafios em Rainbow Ride (Super Mario 64)

Uma das fases que marcaram um dos maiores games da franquia


Inspirada na tão “querida” pista de Super Mario Kart (SNES), a famosa Rainbow Ride é uma daquelas fases de Super Mario 64 (N64 / DS) que lhe faz ficar horas e horas em frente à TV enquanto passa um sufoco danado para coletar todas as estrelas. Seja por sua arquitetura, sua “falta de onde pisar” ou por seus rigorosos desafios, este nível possui uma grande relação de amor e ódio com os que ousaram superá-lo. Está preparado para ouvir o bigodudo gritar enquanto despenca incontáveis vezes para fora do estágio? Então bora!

Entrando pelo Cano!

Ok, não exatamente um cano… Mas vamos começar do início:
Qualquer um que conseguiu as 50 estrelas necessárias para acessar a terceira e última área do castelo de Peach já adquiriu uma experiência razoável até chegar lá. No entanto, são nos dois últimos níveis que toda a sua habilidade (e paciência) é posta à prova. Localizada na parte direita da sala, para acessar a “Fase do arco-íris”, você deve literalmente entrar pelo cano. Bem, parece mais uma espécie de chaminé, mas vamos supor que seja um cano feito de tijolos. Por falar nisso, este é um dos poucos estágios do game em que o acesso não é feito pulando em um quadro mágico, como na assustadora Big Boo’s Haunt.


Céu estrelado… de dia?

Logo ao entrar na fase, já dá para ter uma ideia da loucura que nos aguarda: somos convidados a uma viagem de tapete voador pelo céu sobre uma trilha feita de arco-íris. Se isso não fosse o suficiente, ainda há jatos de fogo, plataformas giratórias e inimigos que farão qualquer coisa para que você caia. Tudo isso ao som de “Slider”, música mais frenética do jogo. A propósito, você já deve tê-la ouvido em outros lugares, como nas corridas contra o Koopa the Quick e o Big Penguin, mas é aqui que ela gruda em sua mente para sempre.

  • Cruzando os ares
A razão para se entrar em qualquer fase é coletar estrelas. Então sem mais delongas e vamos dar início à caça.
Começando pela primeira e mais simples, a única coisa que você deve fazer é seguir o trajeto de um dos tapetes até chegar a um navio voador. A estrela estará na proa.

Esses blocos parecem ter vindo diretamente de Dream Land

  • Invadindo o castelo
Já que invasão domiciliar é algo completamente liberado nos games (Zelda que o diga), não há problema nenhum aqui em dar umas voltas pelo misterioso castelo voador e depois pegar a estrela que fica no telhado. Só não espere que a tarefa seja fácil, pois perder o tapete nesta parte é mais fácil que jogar o bebê pinguim do penhasco em Cool, Cool Mountain.

Péssimas lembranças com essa lareira…

  • Moedas escondidas
Enquanto na maioria dos estágios as famosas moedas vermelhas ficam espalhadas pelo mapa, neste aqui elas estão juntinhas… em um labirinto. Se você já pegou essa estrela antes, não é muito difícil lembrar-se da localização de cada uma, mas se for a primeira vez, pode ter certeza de que vai ficar faltando alguma. A boa notícia é que o labirinto é pequeno, então não demora muito para encontrar.

Aquele camarada ali no canto está apenas esperando sua próxima vítima.

  • Encanador platformer
Hora de voltar às origens, pois essa estrela vai exigir suas habilidades no estilo clássico da série. A exceção é que, obviamente, aqui você pode realizar uma quantidade bem mais variada de pulos e manobras. É só chegar no final do percurso e ela estará lhe esperando.

Será que ele vai cair? To be continued…

  • O verdadeiro encanador platformer
Seguir por um caminho simples de plataformas não foi nada mais que um mero teste. O desafio real requer uma série de pulos precisos sobre uma sequência de pirâmides invertidas. Despencar da fase não é um perigo tão grande, mas, se demorar muito, você é forçado a começar tudo outra vez. O negócio é ir treinando até ficar igual ao cara do gif aí de baixo (OK, nem pra tanto, mas deu para entender).

Se ele passou essa parte assim, imagine o resto da fase.

  • Autorizado a decolar
Como última estrela do estágio, esta aqui é relativamente simples: após liberar o canhão com o Bob-omb vermelho, é só retornar ao navio voador e se atirar através de um arco-íris em forma de argola, aterrissando em uma pequena ilha. Só tome um pouco de cuidado para não ser pego e arremessado para a morte por um certo inimigo roxo…

Stealth mode ativado.

  • Se vira nos 30
Essa aqui é exclusiva da versão de DS. Nela, é preciso dar outra passada no castelo voador e pressionar um botão que fará aparecer uma estrela no telhado. Porém, assim como a do “Verdadeiro Mario platformer”, esta também possui um limite de tempo para ser coletada. Brincadeira, bicho!

Gotta go fast!

Pancadaria nas alturas

Pois é, até arena de batalha ela já virou. Nomeada como Rainbow Cruise, a fase teve sua estreia em Super Smash Bros. Melee (GC), marcando presença também em Super Smash Bros. Brawl (Wii). Nela, os lutadores se digladiam sobre o já conhecido navio voador (que inclusive está bem mais charmoso aqui!) antes de partirem para uma área composta apenas das familiares plataformas da versão original. Até mesmo o perigo constante de despencar da arena está presente, o que torna a confusão durante batalhas ainda maior.

”Capitão, tem uns caras tretando em cima do navio!”

Divertido e desafiador

Sendo uma dos estágios mais icônicos de Super Mario 64, Rainbow Ride oferece ao jogador uma boa dose de diversão e um pouco de dor de cabeça; seja pelas estrelas, suas armadilhas, ou pelas milhões de vezes em que o Mario cai e tem de começar tudo novamente. Ainda assim, seria um mero elogio chamar esta de “a fase mais difícil do jogo”, já que, comparada à sua irmã Tick Tock Clock, ela não passa de um simples tutorial.
E você aí, já teve algum ataque de raiva por causa desta fase? Qual foi a estrela que mais demorou para conseguir? Conte aí pra gente!


Revisão: Luigi Santana
Juliano Lorenzo Orsolon Além de sua inexplicável paixão por escrever e ilustrar, é um grande amante de revistas de games. Está cursando Jornalismo na Uninter e pode ser encontrado zanzando ocasionalmente no Facebook e em seu Deviantart, onde posta sempre que bate a inspiração.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook