Guardiões Ascendentes: Guia completo da próxima coleção de Pokémon TCG [Parte 1/4]

Descubra quais são as melhores cartas da nova coleção Guardians Rising e como elas impactarão no formato competitivo de Pokémon TCG!




A segunda coleção de Pokémon Sol e Lua, Guardiões Ascendentes, será lançada no dia 05 de Maio e, neste texto, eu gostaria de comentar sobre as novas cartas. De momento, nós já sabemos quais cartas estarão incluídas nessa coleção. Quando uma coleção é trazida para o occidente, sempre costuma ser o conjunto de duas coleções japonesas. As coleções japonesas que fazem a composição da coleção Guardiões Ascendentes são a Island Waiting for You e a Moonlight of Alola, ambas lançadas no Japão no dia 17 de Março.

Confesso que, dessa vez, os Pokémon GX não são tão interessantes quanto os da coleção Sol e Lua. No caso da Guardians Rising, posso afirmar que ela tem, de longe, o pior Pokémon GX já lançado, além de mais de um GX que precisam de muitas coisas para fazê-lo funcionar. Em contrapartida, teremos o lançamento de várias Cartas de Treinador muito importantes que trazem os efeitos que eram muito fortes em temporadas passadas.

Os Pokémon GX

Em primeiro lugar, começarei escrevendo sobre os Pokémon GX da coleção, priorizando a que maior impacto me causou, o Turtonator GX. Vejamos o seu efeito:

O seu primeiro ataque, Trap Shell, causa 20 pontos de dano, e, se o Turtonator GX receber algum dano de um ataque no próximo turno do oponente, o pokémon atacante leva 8 marcadores de dano. Isso lembra bastante a carta Bursting Balloon, uma ferramenta de Pokémon com um efeito bem similar. A questão aqui é que o Balloon é uma carta que pode ser utilizadas 4 vezes por baralho,  enquanto que o ataque Trap Shell é ilimitado.  Ele pode ser realizado com o uso da Energia Incolor Dupla, mas, francamente, não creio que esse deck precise delas. Eu mesmo prefiro utilizar um Elixir Máximo e carregar uma energia de fogo da minha mão para executar esse ataque, mas cabe a observação.

Por último, você pode considerar que o dano causado pelo Trap Shell é baixo. Calcule que não é a cada 20 pontos de dano que você conseguirá derrotar um oponente com 180 de vida. Porém, não podemos esquecer de que Turntonator GX é um pokémon básico do tipo fogo. Portanto, ele recebe o Bônus de dano graças à habilidade de Volcanion EX Steam Up, o qual pode incrementar os danos do Turntonator GX em 30 caso você descarte uma energia de fogo da sua mão. Imagine atacar com Trap Shell utilizando 3 Steam Up: o resultado será um belo 110 de dano! Dessa maneira, se aquele mesmo pokémon pretendia te bater, provavelmente, ele não fará mais isso, já que, se o fizer, ele poderá ser nocauteado.

O seu oponente sempre poderá tentar jogar ao redor do Trap Shell. Talvez, ele faça um Lysandre e bata em um pokémon do seu banco, ou então utilize uma Corda de Fuga, obrigando que o Turntonator vá para o banco. Isso obriga o seu oponente a utilizar essas cartas logo no começo do jogo, queimando os seus recursos e deixando o seu Turntonator com o HP Full para efetuar o segundo ataque.

Com seu segundo ataque, Crimson Flame, você causa 160 de dano e descarta duas energias de fogo carregadas em Turntonator GX. O fato de descartar não é algo muito bom, mas, como você irá descartar apenas duas, no próximo turno  ainda poderá manter uma sequência de ataques utilizando o Trap Shell. Consideremos que o descarte das energias não lhe impedirá de continuar atacando no turno seguinte. E, francamente 160 é um dano muito elevado. Atrevo-me a afirmar que, com o Crimson Flame, você consegue nocautear qualquer pokémon do rival, já que, graças à habilidade de Volcanion EX, é possível conseguir facilmente elevar esse dano a 190-220, ou até mesmo a 250, podendo nocautear qualquer pokémon do jogo sem muita dificuldade.

E, para finalizar, o Turntonator GX tem um Ataque GX incrível. Com apenas uma energia de fogo, você pode utilizar o Nitro Tank GX, um ataque que permite carregar 5 energias de fogo que se encontram no descarte em qualquer um dos seus pokémon. Esse ataque é muito bom quando combinado com a habilidade de Volcanion EX Steam Up, já que, com Steam Up, você pode descartar uma energia da sua mão. Assim sendo, utilizando 3 Steam Up e fazendo o efeito de uma Ultra Bola, você pode ter as 5 energias de fogo no descarte do primeiro turno, podendo utilizar um Nitro Tank GX 100% efetivo, carregando todos os atacantes da partida de uma só vez.

Fica claro que Turntonator GX é um dos meus GX prediletos da coleção e que tem como maior amigo e companheiro o Volcanion EX da coleção Cerco de Vapor. Pode ser que seja muito útil usar o Volcanion Baby para utilizar seu primeiro ataque e recuperar energias do descarte,  ou até mesmo para que seja um atacante não EX. Fato é que o Turntonator tem muitos benefícios e, com certeza, será uma das melhores cartas da coleção.

  Agora, iremos debater sobre um Pokémon que tem em sua forma Alola, o primeiro GX da Alola já lançado até o momento. Estou falando do Alolan Ninetales GX. Vejamos seus ataques:
Com seu primeiro ataque, Ice Blade, você pode causar 50 de dano a qualquer pokémon do seu rival. Isso não parece algo muito intimidador. 50 de dano em um formato onde os pokémon batem 100, 200... francamente, não parece nada demais. O bônus está no fato de que você pode causar esses 50 de dano no banco, mas não lembro que ataques com essa quantidade de dano tenham se saído muito bem nesse jogo.

Por outro lado, nós temos como seu segundo ataque o Blizzard Edge, que causa 160 de dano e descarta duas energias carregadas nesse pokémon. 160 é um dano extremamente alto, como vimos no caso do Turntonator GX, e também podemos observar que a quantidade de energias para executar esse ataque são as mesmas que as utilizadas com Turntonator. Porém, existe uma diferença muito clara. Acontece que Ninetales da Alola não tem amplificadores de dano como Steam Up, portanto, você precisa se contentar em causar apenas 160 de dano. Mas não é só isso, o problema está em que você causa os 160 e ainda precisa remover duas energias para executar o ataque. Isso não parece nem um pouco interessante.

Mas não se desesperem, acredito que ainda tem uma luz no final do túnel. Alolan Ninetales é do tipo água e consegue receber de volta as energias do descarte graças ao trainer mais recente Aqua Patch. Esse item permite carregar uma energia de água do descarte a um pokémon de água do banco. Com esse item, os pokémon de água ganham uma velocidade incrivelmente grande, podendo bater de frente contra os outros tipos de pokémon. Mas ainda existe um porém. Se a ideia é bater e descartar energias para executar seu ataque, na coleção seguinte, a Guardiões Acendentes, aparecerá o Tapu Fini GX, que, com 3 energias, descarta duas delas e causa 120 de dano a qualquer pokémon do rival. Ele, ainda por cima, é básico e, portanto, acaba sendo mais rápido de trazer ao jogo do que o Ninetales da Alola.

Mas, às vezes, você quer bater forte na frente, e, nesse caso, seria melhor utilizar o Lapras GX, que também é do tipo água e com 3 energias já causa 160 de dano, além de  não precisar descartar nenhuma energia no processo.

Outros pokémon parecem ser mais eficientes que o Ninetales de Alola, mas o Ninetales tem um ataque GX que, possivelmente, salve sua carta. Com Clear Gate GX, você movimenta todos os danos que se encontrem no Alolan Ninetales para o pokémon defensor do seu oponente. Este ataque se parece com o Damage Exchange de Mewtwo da coleção Turbo Revolução, um ataque que torna o deck de Mega Mewtwo um dos mais fortes que existem. Porém, o Clear Gate GX tem a particularidade de que não troca os danos, mas simplesmente os transfere para o outro pokémon. Assim, você limpa o seu Alola Ninetales em todos casos, e não como acontece com o Damage Exchange, onde, às vezes, você acaba recebendo alguns danos que já se encontravam já no pokémon defensor.

Eu realmente gosto muito desse ataque GX. Porém, pode ser que seja mais útil utilizar as outras opções de Pokémon de água que nós temos disponíveis ao invés do Alola Ninetales.

Continuando com a análise das cartas, nós temos o Tapu Koko GX. Sim, senhoras e senhores, estamos à frente de um dos maiores GX da coleção.

Este Pokémon tem uma habilidade que não é inédita no Pokémon TCG. Com Aero Trail, quando você coloca o Tapu Koko GX no seu banco, você pode movimentar todas as energias elétricas que quiser das quais estejam carregadas nos seus pokémon para o Tapu Koko, e se movimentar pelo menos uma vez, quando ele se torna seu pokémon ativo. Historicamente, esse efeito já foi visto em dois pokémon até agora. Um deles foi Zapdos EX, da coleção Fire/Red & Leaf/Green lançado em 2007, e o outro foi Dragonite EX, da coleção Punhos Furiosos lançado em 2012.

Zapdos EX foi bastante utilizado em sua época por conta da sua capacidade de utilizar seus Zapdos sem perder as energias em campo. No terceiro turno, você continuava a bater fortemente na mesa do seu rival, sempre trocando de Zapdos EX. Ele era parte fundamental de um dos principais decks do formato 2007-2008, o ZRE (Zapdos/Rayquaza e Electrode).
Já no caso do Dragonite EX, muita gente tentou torná-lo jogável sem muito êxito. Mas creio que o caso do Tapu Koko pode ser mais parecido ao do Zapdos EX do que a do Dragonite EX.

Tapu Koko, além de ter essa incrível habilidade, tem um ataque extremamente forte. Com  Sky Claw, você causa 130 com 3 energias, não precisando descartar energias, trocar pokémon, anunciar alguma coisa, nem jogar moeda.  Tapu Koko tem um ataque GX muito forte. Com Tapu Thunder GX, você causa 50 de danos vezes o número de energias carregadas em todos os pokémon do seu oponente. Todos aqueles ataques que podem ser controlados pelo seu oponente são ruins normalmente. Lembro do ataque de Leafeon da coleção “Congelamento de Plasma”, que tinha o mesmo efeito que o Tapu Thunder Gx com uma diferença clara. O ataque Energy Crush de Leafeon causava 20 vezes o número de energias carregados no seu oponente. Já Tapu Koko causa 50! É impossível evitar descer as suas energias. Todos precisamos carregar pelo menos de 3 a 4 energias nos pokémon, já que temos que ter um atacante ativo e, aos poucos, preparar um atacante no banco. Por outra parte, decks como o do Speed Darkrai ou Mega Gardevoir batem pelo número de energias carregadas nos seus pokémon. Eles não podem limitar o número de energias que vão carregar na sua mesa porque limitariam assim o seu próprio dano. Realmente, Tapu Thunder GX é um ataque que pode dar uma dor de cabeça, fazendo que o seu oponente pense duas vezes se carrega ou não aquela energia na sua mão.

E, para finalizar, o Tapu Koko GX é um pokémon do tipo elétrico. Ele ganha o bônus do estádio Aether Paradise Conservation Area, o que faz com que todos os pokémon do tipo planta e elétrico recebam 30 pontos de dano a menos do que os pokémon do rival. Ainda por cima, o Tapu Koko GX na sua condição de pokémon básico pode receber a ferramenta de Pokémon Cinta de Luta Furiosa, o que aumenta em 40 pontos a sua vida. Com esses bônus, o Tapu Koko GX consegue receber um ataque de 230 de dano de uma só vez e mesmo assim ainda não ser nocauteado. Realmente uma loucura. Os guardiões Tapu estão vindo muito fortes e logo mais falarei do Tapu Lele, que é, de longe, o melhor Pokémon GX da coleção.
    
Como quarto Pokémon GX nessa lista, nós temos o Metagross GX, um pokémon de 250 pontos de vida, que, com certeza, pode ser muito bem utilizado.
Ele possui uma habilidade chamada Geotech System. Com ela você pode escolher entre uma energia psíquica ou metal do descarte e carregá-la no seu pokémon ativo. Lembra um pouco o Metagross da coleção EX-Deoxys(2005), que fazia o mesmo efeito, mas que tinha que colocar um marcador de dano no pokémon que recebesse a energia. Lembro que aquele Deoxys foi bastante utilizado como um ótimo Energy Acelerator em decks de Metagross Delta, Scizor EX e muitos outros. Atualmente, acredito que essa habilidade pode ser realmente útil pro Solgaleo GX, um pokémon que causa 230 de dano com seu ataque Sunsteel Strike, mas tem a desvantagem de descartar todas as energias carregadas nele. Assim, com Geotech System, você pode carregar as energias descartadas com o ataque de Solgaleo para reutilizar Sunsteel Strike. Mesmo que montar dois pokémon de estágio 2 nesse formato não pareça nada promissor, este é um dos diversos usos que o Metagross pode ter.

Com seu ataque Giga Hammer, você causa 150 de dano, mas no próximo turno acaba não podendo reutilizar Giga Hammer. Realmente, não sou muito fã desse ataque. Dos pokémon estágio 2, sempre espero que todo o trabalho que deu de trazer eles pra mesa tenha finalmente um retorno agradável. Já esse ataque de Giga Hammer causa praticamente o mesmo dano e efeito do que o causado pelo Lapras GX. O caso é que Lapras é um pokémon básico, ele não precisa de pokémon basicos e estágio 1, poupando assim espaços importantes em um baralho de 60 cartas. Se é pra bater de Giga Hammer, eu prefiro montar uma Lapras GX.

E, finalmente, temos o ataque GX do Metagross GX. Com Algorithm GX, você procura 5 cartas no seu baralho e coloca na sua mão. Este ataque poderá se combinar muito bem junto com o novo Supporter Hala. Com Hala, você sua mão no deck e compra 4 cartas (mas, se você já utilizou um ataque GX na partida, você compra 7). Atualmente, eu diria que este é um dos melhores supporters de compra do formato, porém, ele apenas é útil em decks que utilizem seu ataque GX nos primeiros turnos. A minha visão do Metagross é que ele pode ser realmente útil como Energy Accelerator. Pois se trata de um atacante terrível, mas que cumpre o trabalho de recuperar as energias do descarte para que outro pokémon as utilize.

Pois bem pessoal. Até aqui, chega a primeira parte do nosso guia completo das cartas da Sol e Lua: Guardiões Ascentes. Fique ligado no Nintendo Blast já que, logo mais, sairá a parte 2 deste Guia, concluindo com a análise de todas as cartas GX da coleção. Se você tem alguma dúvida sobre algo dito no post, deixe um comentário. Assim que possível procurarei responder! Até a próxima.
Felipe J. Ponce escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
0
Disqus
Facebook