Future Blast

App de Zelda? Quais ideias poderiam ser exploradas

De que maneiras Zelda e seu universo poderiam ser transportados para as telas dos celulares?

Basta que um rumor sinalize um aplicativo de Zelda a caminho de tablets e celulares para a imaginação ferver! Tanto pelas características da franquia quanto pelas tendências de jogos para plataformas móveis, apps ambientados em Hyrule não seriam uma má ideia. Talvez essa não seja a hora de ver um Breath of the Wild de bolso, mas com certeza poderíamos ter algo tão interessante quanto Fire Emblem Heroes ou Pokémon GO. Então, hora de ver o que surgiu dessa caldeirão de ideias!


Zelda GO

Dá para ter ideias muito interessantes tentando aplicar o princípio de Pokémon GO a outras franquias dos videogames, e Zelda é uma delas. Hyrule é tão preenchida de puzzles, segredos e monstros que seria muito divertido ter isso transposto para a realidade. E se pudéssemos encontrar rachaduras em paredes para explodi-las com bombas, encontrando assim tesouros? Outros itens, como bumerangue e hook shots, poderiam ter outras utilizações também. Poderia haver colecionáveis escondidos, como as Gold Skulltulas de Ocarina of Time ou as máscaras de Majora's Mask.
Lembra que antes de Pokémon GO rolou aquela brincadeira do Google Maps com Pokémon? Pois bem, o mesmo aconteceu com Zelda e o serviço de mapas há alguns meses
Se tudo isso fosse integrado por um apelo social (mais eficiente do que o de Pokémon GO, por favor!), daria um jogo interessante. Poderíamos ter pessoas falando de passagens secretas ou itens escondidos em locais reais como se fosse uma jornada por Hyrule. Tá aí um bom desafio para complecionistas!

Minigames!

É tradição na franquia Zelda termos mini-games opcionais por todo o canto, acumulando, assim, uma vasta biblioteca de mecânicas interessantes. Em um celular, essa ideia daria uma boa coletânea de minigames, pois estamos falando de dispositivos cujo público preza pela praticidade e simplicidade. O mini-game das Bombchus de Ocarina of Time, as diversas encarnações da brincadeira de tiro ao alvo com flechas ou canhões, o beisebol com Octoroks de A Link Between Worlds e a corrida Goron de Majora's Mask são alguns dos exemplos de minigames consagrados que funcionariam bem em celulares. Acima de tudo, entretanto, está o famosíssimo minigame de pesca de Ocarina of Time, que só terá sua ausência em Breath of the Wild perdoada se puder ser transposta para um aplicativo!

App de Breath of the Wild

Falando em Breath of the Wild, a recepção tão incrível ao novo título da série pode facilmente ser razão para um aplicativo derivado. Talvez a Nintendo encontre uma maneira de criar alguma experiência verdadeiramente interativa, mas acredito que o mais óbvio seja um guia de bolso. Localizar Korok Seeds, encontrar informações de Shrines, disponibilizar dicas, permitir navegar pelo mapa e visualizar listagens de itens seria muito bem vindo! Se o aplicativo pudesse sincronizar com seu progresso no jogo, atualizando-se sempre sobre o que você já fez/obteve, seria verdadeiramente uma mão na roda! E a aparência e a interface da Sheikah Slate torna quase automática a comparação com o tablet, o que poderiam render uma tematização super adequada para um aplicativo externo.

2D Zelda

Não acredito que um título de Zelda para celulares aposte em algo semelhante, em termos de jogabilidade, ao que vemos nos consoles e portáteis da Nintendo, ao contrário do caminho seguido por Fire Emblem Heroes. Ainda assim, se houver uma chance disso acontecer, acredito que os jogos bidimensionais (isto é, aqueles com visão de cima como A Link to the Past) serão a melhor escolha. Eles são mais leves, podem ter um visual mais próximo do que se vê em jogos celulares e necessitam de controles mais simples. 
Os controles de toque de Phantom Hourglass e Spirit Tracks, por exemplo, poderiam ser uma alternativa. Na verdade, essa poderia ser a única oportunidade de vermos mais um jogo naquele estilo! Se A Link Between Worlds abre precedente para qualquer encarnação de Zelda do estilo tradicional nos dias de hoje, Tri Force Heroes nos permite apostar em experiências multiplayer nesse formato. Isso, por sua vez, seria interessante para um jogo de celular também, afinal é muito mais fácil encontrar alguém que tenha um smartphone do que um 3DS!
Será a oportunidade de trazer de volta os controles por toque?

Unchained Zelda?

Em termos de história, não vejo um app de Zelda trazendo alguma relevância para a linha do tempo — isto se não for algo totalmente à parte como Hyrule Warriors! Mas, outra vez, se for esse o caminho escolhido pela Nintendo, acredito que algo no estilo de Kingdom Hearts Unchained χ (Mobile) possa ser uma solução. Uma história de origem (como, por exemplo, o surgimento do reino de Hyrule entre Skyward Sword e Minish Cap) poderia ser explorada dessa forma, dando liberdade a jogadores do mundo todo de interagirem com os muitos ambientes, raças e civilizações do reino. Mais uma vez, o aspecto social daria um toque bacana!


Puzzles

Enigmas e quebra-cabeças são marcas registradas das várias dungeons da série Zelda, e Breath of the Wild nos ensinou o quanto a Nintendo é capaz de fragmentá-las. Para um jogo de celulares, essa habilidade poderia fazer a diferença. Superar vários puzzles de Zelda que brincassem com mecânicas clássicas (como mover caixas, pressionar botões e ativar orbs) e possibilidades de jogabilidade próprias de um celular (como sensibilidade ao toque e giroscópio) poderia ser um ótimo passa-tempo.

Tocar instrumentos

Ocarina, flauta, harpa, guitarra, tambores e até uma batuta! Muitos foram os instrumentos que Link tocou durante suas aventuras, marcando as memórias de inúmeros jogadores. Já que existem diversos aplicativos que simulam instrumentos musicais em celulares, seria ótimo ver algo tematizado de Zelda. Não posso dizer exatamente como funcionaria a mecânica de tocar os instrumentos, mas até como um jogo rítmico isso poderia dar certo. Muitos são os fãs que conseguem tocar diversas músicas com os instrumentos de Zelda, e mesmo tocar as canções dos jogos já é bem gratificante e nostálgico. Ter um aplicativo para isso seria bem divertido!
E você, leitor? Alguma ideia bacana para um aplicativo de Zelda? Como você sonharia ver Hyrule em seu celular? Conte pra a gente nos comentários!
Revisão: Pedro Vicente
Capa: Rafael Neves
Rafael Neves é quadrinista e estudante de medicina da UFBA. Jogos fizeram parte dessa vida desde os seus primeiros anos, embalando muitos dos mais fortes laços de amizade e histórias de vida. E esse legado desembocam nas matérias que escreve aqui no Blast e em sua HQ, The Legend of Link.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook