Nintendo não tem interesse em lançar jogos para PC

Miyamoto e o presidente Kimishima reforçam que o foco da Big N é a integração entre hardwares e softwares.


Há alguns anos, acompanhamos a relutância da Nintendo em lançar suas franquias para smartphones. Entretanto, com o crescente número de dispositivos móveis e de usuários interessados em jogos mobile, vimos a Big N levando franquias como Pokémon, Mario e Fire Emblem para esse mercado.



É verdade que os jogos da Nintendo para dispositivos móveis não trazem a mesma profundidade e experiência vistas nos consoles e portáteis da empresa, mas permitiu que pessoas conhecessem as franquias ou voltassem a interagir com os personagens da gigante japonesa. Entretanto, com o crescente mercado de jogos para PC, será que a Nintendo também possui planos de desenvolver jogos para esse público?

O tema foi um dos assuntos abordados durante a sessão de perguntas e respostas na recente reunião anual da Nintendo com acionistas. Ao ser questionado a respeito do crescimento do mercado de jogos para PC e se a Nintendo pretende desenvolver jogos para computadores, o presidente Tatsumi Kimishima explicou que o foco na Big N está na integração de hardware e software, enquanto Shigeru Miyamoto sentiu uma diminuição de jogos para PC e de Realidade Virtual na E3 2017.
O atual mercado de videogames é dividido em três segmentos: dispositivos móveis inteligentes, consoles caseiros e PC. Mais recentemente, o mercado de jogos para PC tem apresentado um crescimento incrível e jogadores de PC profissionais estão começando a aparecer nos Estados Unidos. Vocês estão planejando alguma iniciativa de hardware ou software para o mercado de PC?

Kimishima: Estamos conscientes de que muitos consumidores jogam games de PC. No entanto, acreditamos que o negócio de integração de hardware e software é a melhor maneira de fornecer as surpresas e novas experiências de jogabilidade que queremos alcançar. Por outro lado, oferecemos três aplicativos para dispositivos inteligentes durante o ano fiscal anterior e, embora o conteúdo e consumidores que jogaram os aplicativos fossem diferentes, cada um deles foi recebido de forma extremamente favorável. Super Mario Run, por exemplo, atingiu 150 milhões de downloads no mundo todo e consumidores que nunca jogaram nossos jogos antes puderam experimentar nossas IPs em seus dispositivos móveis. Acreditamos que podemos expandir ainda mais o nosso negócio de hardware e software integrado, fornecendo nosso software em dispositivos móveis e aumentando o número de consumidores que experimentam nossas IPs.

Miyamoto: No geral, a Nintendo ganhou muita atenção e recebemos saudações calorosas dos participantes na E3 2017. [...] De fato, no passado eu vi uma série de cabines de exibição na E3 com dezenas de PCs alinhados em um salão para consumidores testarem experiências online. No entanto, na E3 deste ano, não houve muitas exibições de jogos para PC ou demonstração de Realidade Virtual, que capturaram uma significativa atenção no último ano. Eu sinto como se esse ambiente tivesse permitido que os participantes vissem a Nintendo novamente como uma empresa que oferece sistemas de videogames dedicados e orientados ao consumidor.
Fonte: Nintendo

Alex Sandro de Mattos é formado em Gestão de TI. Entre se aventurar por Hyrule e se perder em Silent Hill, gosta de publicar fatos interessantes e bobagens no Nintendo Blast. Pode ser encontrado jogando games 2D e também no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook