Rocket League (Switch): Psyonix fala sobre o desenvolvimento e incerteza em usar chat por voz

Vice-presidente revela interesse da Nintendo, detalhes do suporte ao crossplay e desafios com a versão do Switch.


Durante a apresentação na E3 2017, a Nintendo anunciou Rocket League para o Switch. Desde então, pouco detalhes sobre a versão foram revelados, já que ainda está em desenvolvimento. Entretanto, Jeremy Dunham, vice-presidente da Psyonix, produtora de Rocket League, participou de um bate-papo com a IGN no Nintendo Voice Chat e revelou detalhes do jogo no console híbrido da Big N.


Dunham contou que a Psyonix estava incerta em lançar Rocket League no Switch devido à diferença de arquitetura em relação ao PlayStation 4, Xbox One e PC. Entretanto, ele revelou que o interesse inicial partiu da Nintendo, que se aproximou do estúdio antes da revelação do Switch e demonstrava muito entusiasmo em ter Rocket League no console. Dunham afirmou que foi "fantástico trabalhar com ela" e está contente com a recepção.

Como Rocket League é dependente de desempenho, a Psyonix não tinha certeza se o port para o console híbrido seria possível. Uma das primeiras perguntas da Psyonix à Big N foi sobre o crossplay. A resposta da Nintendo foi "tudo que você precisar". E mesmo o estúdio reforçando que isso significaria a comunicação com PC, PlayStation e Xbox, a resposta foi "tudo que você precisar". Dunham revelou que a Psyonix controla tudo, inclusive o sistema de criação de partidas, e todas as informações são ocultas de outras plataformas, ou seja, você só sabe que seu oponente está jogando em uma plataforma diferente, mas não qual delas é.

O vice-presidente contou que a desenvolvedora pensou bastante em levar Rocket League no Switch e teve longas discussões em reuniões com a Nintendo sobre os prós e contras. Um dos assuntos foi o controle, como a latência e outros fatores. O estúdio aprendeu mais sobre o Switch e até mexeram com o hardware, e então sentiram confiança em levar o jogo ao Switch. Mesmo assim, a Psyonix não queria confirmar a versão do jogo até abril ou depois. Tanto que o jogo foi anunciado em junho pela própria Nintendo na E3.
A Nintendo quis Rocket League no Switch, permitiu o crossplay e
ajudou a Psyonix durante o desenvolvimento 
Rocket League no Switch terá todos os DLCs disponíveis nas outras plataformas e, segundo Dunham, os conteúdos não oferecem vantagens, são apenas cosméticos. Além disso, o console híbrido receberá atualizações simultâneas com as demais plataformas. Atualmente o jogo passou por alguns passos da pré-certificação, que envolve configurar coisas para a Nintendo saber o que estará no jogo e preparar a compilação da certificação. Rocket League não tem o lançamento definido porque o estúdio quer tudo certo para determinar a data.

A Psyonix enfrentou desafios com os Joy-Con, inclusive ouviu o feedback do público na E3, tanto que a recomendação é jogar Rocket League com Pro Controller do Switch. Com relação ao suporte online no Switch, a Psyonix teve que fazer "muito trabalho personalizado". Dunham afirmou que, como o console da Nintendo é diferente e não compartilha de princípios semelhantes aos dos concorrentes, é um "desafio", mas está confiante que o estúdio atenderá todas as possíveis preocupações dos jogadores.

Entretanto, com relação ao chat por voz no Switch, o vice-presidente disse que é complicado responder isso, já que a Psyonix não tem certeza se o recurso estará disponível quando jogo for lançado. "Realmente depende de até onde usamos o SDK da Nintendo, então essa é uma das nossas perguntas que ainda estão no ar agora. Quando suportaremos o chat por voz? Poderemos ter o chat por voz no lançamento? Essas são perguntas em aberto. Seja qual for a resposta, contaremos a todos assim que soubermos", finalizou Dunham.

Rocket League será lançado para o Switch no fim do ano.


Alex Sandro de Mattos é formado em Gestão de TI. Entre se aventurar por Hyrule e se perder em Silent Hill, gosta de publicar fatos interessantes e bobagens no Nintendo Blast. Pode ser encontrado jogando games 2D e também no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook