Blast Battle

Pokkén Tournament DX (Switch) vs Pokémon Stadium (N64)

Focados nas batalhas pokémon, títulos trouxeram aspectos inéditos para a franquia. Agora, é a vez dos dois entrarem na arena.



Desde o lançamento dos primeiros jogos de Pokémon para o Gameboy e o sucesso estrondoso do anime em todo o planeta, fãs e jogadores já imaginaram, em algum momento, qual seria a sensação de ser um mestre pokémon de verdade. De um lado, tínhamos os jogos e suas batalhas em turnos repletas de estratégias e efeitos na telinha para os ataques especiais. Do outro, o anime nos mostrava o caminho seguido por Ash Ketchum rumo à Liga Pokémon, o desafio definitivo para “ser dos mestres o melhor”.


Quando Pokémon Stadium (N64) foi lançado, em 1998, experimentar as grandes batalhas da série na tela da TV com os monstrinhos em três dimensões tornou-se um marco na história de Pokémon e no coração de muitos jovens treinadores. Quase vinte anos depois, a Nintendo trouxe outro título que abalou os videogames: Pokkén Tournament (Arcade/Wii U, 2015/2016), que inovou o sistema de batalhas e permitiu, pela primeira vez, o controle dos próprios monstrinhos na arena.

Pensando na importância dos dois títulos para a franquia, o Blast Battle dessa semana vai colocar frente a frente o clássico do N64 e a mais nova versão do jogo de luta, Pokkén Tournament DX, lançado este ano para Switch. A ideia é comparar aspectos dos dois jogos e verificar quem se sai melhor no final. Lembrando que o comparativo representa unicamente a opinião do autor. Dadas as devidas explicações, que comece a batalha!

Ambos foram ótimos em suas propostas. Quem sairá vitorioso no final?

Novidades para a série

É inegável a gama de novidades trazidas pelo primeiro Pokémon Stadium. Transportar as batalhas dos portáteis para a televisão e observar os monstrinhos com suas texturas em 3D foi incrível na época. Apesar de manter o sistema de batalhas em turnos, apenas o fato de termos uma experiência semelhante ao que era mostrado no anime já valia a pena. Cada ataque possuía um efeito especial característico e contava com a narração vibrante do locutor em cada luta, desde a troca de pokémon até ouvirmos um super effective ou critical hit como se estivéssemos em uma final de campeonato de futebol.

Ver isso em pleno 1998 mexeu com a infância e adolescência de muita gente. Pela primeira vez, tivemos os monstrinhos em 3D na arena
Além do modo Stadium, também era possível encarar os oito ginásios da primeira geração e enfrentar a Elite Four no final, com direito a uma épica batalha contra Gary (Green). A recompensa era um pokémon que podia ser transferido aos cartuchos de Pokémon Red/Blue/Yellow. Estes jogos inclusive podiam ser jogados na TV com o uso do acessório Transfer Pak, que fazia parte do pacote de Pokémon Stadium. Também era possível enviar nossos monstrinhos treinados no Game Boy para participar das batalhas do jogo de N64.

A Nintendo sabia mexer com nossos corações. Em Stadium, o Transfer Pak permitia várias funcionalidades das versões originais do Game Boy na TV
Outro modo que ficou famoso foi o multiplayer local para até quatro jogadores em uma série de mini-games que abusavam da criatividade dos desenvolvedores. Certamente quem jogou guarda ótimas lembranças na memória. Falaremos deles mais adiante.

Em Pokkén Tournament DX, o jogo segue a fórmula da versão para arcades e Wii U, com o inédito sistema de luta que utiliza elementos inspirados em Tekken, uma vez que seu desenvolvimento contou com a participação da Bandai Namco Studios. Aqui temos a oportunidade de controlarmos os pokémon livremente, quebrando a barreira dos títulos anteriores da franquia em que apenas escolhíamos os ataques e assistíamos o desenrolar da batalha. Uma inovação que repercutiu de forma muito positiva entre os fãs que há anos esperavam por batalhas mais frenéticas e que mostrassem a totalidade do poder de cada pokémon.

Participar das batalhas e controlar os pokémon em sua totalidade de movimentação e poder. Foi isso que Pokkén Tournament trouxe para a série
Entre os modos de jogo, podemos participar do treinamento, uma espécie de tutorial; o modo campanha, que rende dinheiro para desbloquearmos customizações e evoluirmos os pokémon, além das batalhas em multiplayer local e on-line. O diferencial da versão DX (deluxe) fica por conta da oferta de mais personagens e a portabilidade do Switch para jogarmos em qualquer lugar.

Por mais que ambos tenham introduzido mecânicas inovadoras para a série, meu voto vai para Pokémon Stadium e o impacto que o jogo representou numa época em que a febre dos monstrinhos de bolso estava em seu auge, fato que o ajudou a ganhar espaço e criar as bases necessárias para levar a franquia adiante em Pokémon Stadium 2 (N64, 2000) e demais títulos que seguiram essa proposta de jogo até chegarmos a Pokkén Tournament DX.

Pokémon Stadium 1 x 0 Pokkén Tournament DX


A Nidoran agradece pelo ponto recebido, afinal vimos ela em toda sua glória 3D pela primeira vez em Stadium

Pokémon

Por se tratar de uma franquia com centenas de personagens já criados, Pokémon consegue oferecer uma variedade enorme de opções que se encaixam no gosto de cada tipo de jogador. Sempre que um novo jogo é lançado, logo avaliamos se nossos pokémon preferidos estarão lá ou quais serão os novos personagens que integrarão nosso time. Pokémon Stadium trouxe todos os 151 monstrinhos da primeira geração em sua versão americana –– eram 42 na versão japonesa, que depois ganhou um relançamento com todos os monstrinhos –– algo que chamou muito a atenção e contribuiu para o sucesso do game na época.

Fosse nas batalhas 3x3 ou 6x6, podermos contar com nossas preferências e até mesmo levarmos nossa equipe do Game Boy para os torneios, o fator replay de Stadium era aumentado, proporcionando longas jogatinas sozinho ou com os amigos. Todos podiam formar suas equipes e a diversão era garantida.

Em Stadium, podíamos escolher nossos pokémon preferidos da primeira geração e montar uma equipe de até seis monstrinhos para as batalhas
O mesmo não acontece em Pokkén Tournament DX, que conta com um rol de 21 pokémon entre os selecionáveis para as batalhas (unindo lutadores das versões para Wii U, Arcades e Decidueye como pokémon inédito). Outros monstrinhos ainda aparecem como personagens de suporte durante a luta, mecânica semelhante aos jogos da série Marvel vs. Capcom. Sabemos que seria um trabalho quase impossível levar os atuais 802 pokémon para o game, além do fato de desenvolver uma mecânica de batalha personalizada para cada um. No entanto, não dá pra esconder o gostinho de “quero mais”.

Apesar de contar com um elenco reduzido, Pokkén Tournament DX brilha em sua proposta de oferecer uma jogabilidade viciante e cada personalização de ataques e movimentos que integram os 21 monstrinhos é capaz de proporcionar uma ótima experiência de jogo. Ao colocarmos na balança todo o sistema de combate e como o jogo se comporta na prática, podemos, de certa forma, aceitar a falta de mais pokémon disponíveis, uma vez que nos identificamos com os padrões de movimento de cada personagem e podemos escolher o que mais nos agrada.

O elenco de 21 pokémon em Pokkén Tournamet DX é pouco para o que esperávamos, apesar de oferecer uma mecânica única de luta para cada monstrinho
Mesmo sendo duas visões distintas envolvendo a variedade de pokémon e a competência da Bandai Namco Studios em desenvolver um ótimo sistema para as poucas opções de lutadores, ainda fica no ar a esperança de que Pokkén possa evoluir no futuro e apresentar um rol maior de personagens. Dessa forma, Stadium leva mais uma.

Pokémon Stadium 2 x 0 Pokkén Tournament DX

Combates

É aqui que as coisas começam a virar para o lado de Pokkén. Por mais que Stadium tenha feito a alegria de muitos jogadores nos tempos de N64, o sentimento que se tinha na época era de que um dia veríamos o que Pokkén Tournament fez. O sistema de combate fluido e frenético, aos moldes dos jogos de luta tradicionais, tornou as batalhas pokémon mais naturais e próximas da realidade.

O jogo de N64 manteve o sistema de combates por turnos, em que escolhíamos entre quatro tipos de ataque a cada rodada
A movimentação dos lutadores e a forma como aplicam seus ataques especiais passam a sensação de que realmente estamos ao lado dos pokémon em cada duelo, podendo assumir o controle deles e sentir na pele todas as emoções da batalha. Divididas em Field Phase e Duel Phase, as lutas abrem espaço para a movimentação livre pelo cenário, o que dá a oportunidade de estudarmos o padrão de movimento do adversário e efetuarmos ataques à distância. Na fase de duelo, temos a aproximação da câmera em uma jogabilidade voltada para o 2D, com ataques corpo a corpo e movimentos de defesa.

A fórmula aplicada em Pokkén trouxe mais ação para os embates, mas sem deixar em branco alguns elementos estratégicos
A empolgação é muito maior que o clássico sistema de turnos aplicado em Stadium. Mesmo com o foco voltado para a ação, Pokkén Tournament DX também possui seus momentos de estratégia, seja durante a Field Phase ou no uso dos pokémon de suporte e momentos certos para aplicar ataques especiais e invocar as mega evoluções. Talvez pudesse haver uma atenção maior aos efeitos dos ataques de acordo com o tipo de pokémon, como um monstrinho do tipo água levando certa vantagem contra um do tipo fogo, por exemplo.

Nesse sentido, abrem-se as especulações sobre como seria um novo RPG para a série caso utilizássemos em conjunto os elementos estratégicos dos títulos principais e o sistema de luta de Pokkén, com a oportunidade de treinar nossos pokémon não apenas em níveis, atributos e tipos de ataque, mas também sua movimentação de batalha. Até lá, ficamos com os combates de Pokkén.

Pokémon Stadium 2 x 1 Pokkén Tournament DX


Mega Charizard e toda sua demonstração de poder. Coitado do adversário 

Mewtwo vs Mewtwo

O pokémon criado em laboratório através do DNA do lendário Mew certamente é um dos personagens mais icônicos de toda a série. Foi o antagonista do primeiro longa-metragem e era o pokémon mais poderoso a ser capturado nas versões Red/Blue/Yellow. Mewtwo consolidou sua fama ao longo dos anos e tanto Pokémon Stadium quando Pokkén Tournament DX nos proporcionam encontros emocionantes com o psíquico lendário.

Tanto no Game Boy quando no primeiro longa-metragem de Pokémon, Mewtwo se destacou como um dos principais personagens
Na versão de N64, após completarmos o Gym Leader Castle e derrotarmos todos os líderes de ginásio e a Elite Four, Mewtwo aparece sobrevoando a arena do modo Stadium. A batalha é dura e podemos usar até seis pokémon para enfrentá-lo. Caso triunfemos no desafio, o hub do jogo muda para um cenário noturno, desbloqueando novamente os modos de jogo presentes, porém com uma dificuldade mais elevada.

Só digo uma coisa: torça para sobreviver caso Mewtwo aplique o Psychic em você em Pokémon Stadium
Já em Pokkén Tournament, Mewtwo faz parte do enredo do modo campanha, com uma história que se desenrola envolta em mistérios. O mítico pokémon foi dominado pelo poder da Shadow Synergy Stone, artefato sombrio que altera sua forma e comportamento, culminando em sua versão denominada Shadow Mewtwo. Uma batalha épica é travada para acabarmos com a nova ameaça.

Envolta em mistérios, participação de Mewtwo em Pokkén Tournament se aprofunda mais nos aspectos do pokémon
A participação de Mewtwo nos dois jogos proporciona bons desafios. Enfrentá-lo sempre foi um marco para os jogadores de pokémon, mesmo mais de 20 anos depois de sua primeira participação nos jogos de Game Boy. Em Pokkén Tournament, sentimos de maneira mais intensa o real poder do pokémon lendário e sua importância dentro da série. Ponto para o jogo de luta.

Pokémon Stadium 2 x 2 Pokkén Tournament DX

Multiplayer

Ambos os jogos apresentam um modo multiplayer satisfatório. Em Pokkén, podemos reunir os amigos para lutas um contra um na sala ou tentarmos a sorte nos combates on-line. Desafiar outros jogadores é o que mantém o jogo interessante por mais tempo. Seria como se a campanha principal representasse um grande tutorial de batalhas para entendermos as mecânicas de jogo rumo a um desafio maior, que é encontrado justamente ao enfrentarmos oponentes reais.

Os servidores de Pokkén são muito competentes e conseguem encontrar rapidamente outros jogadores para fechar um duelo. É ali que colocamos nossa experiência à prova para sermos um verdadeiro mestre pokémon. O multiplayer local ainda rende boas horas de jogo e a oportunidade única de nos gabarmos ou frustrarmos diante dos amigos.

O multiplayer on-line de Pokkén Tournament DX amplia o fator replay do título ao colocá-lo diante de desafios contra outros jogadores
Pokémon Stadium também trouxe uma ótima experiência multiplayer em sua época. As batalhas 3x3 ou 6x6 rendiam momentos intensos de expectativa e emoção para saber quem sairia vitorioso no final. Desde a escolha dos monstrinhos até o término da batalha, a cultura do multiplayer local ditava as regras no fim dos anos 1990 e adorávamos reunir a família ou a galera da rua.

No entanto, Stadium possuía um diferencial incrível que nos mantinha presos à tela da TV por mais tempo: os mini-games. Essa proposta de oferecer pequenos jogos dentro de um título maior, semelhante ao ocorrido com o primeiro Mario Party (N64, 1998), foi uma adição muito bem-vinda ao universo pokémon. Ao todo, Pokémon Stadium disponibilizava nove mini-games interativos com opção para alterarmos os níveis de dificuldade.

Se você passou tardes inteiras nesses mini-games de Pokémon Stadium, parabéns! Sua infância atingiu a felicidade com sucesso
Quem teve a oportunidade de jogar dificilmente consegue esquecer-se das aulas da Clefairy no mini-game Clefairy Says, em que devíamos repetir os comandos escritos na lousa, ou a empolgante corrida de Rattatas em Run, Rattata, Run, a disputa emocionante dos Drowzees para ver quem pegava no sono primeiro em Snore War e a frenética cozinha dos Lickitungs em que precisávamos comer o maior número de guloseimas possíveis em Sushi-Go-Round. O mais interessante é que este modo permitia reunir até quatro jogadores em tela dividida. Bons tempos.

Sempre havia um amigo que disparava na frente e outro que trombava em todos os obstáculos
Apesar de podermos jogar on-line e ao lado da galera em Pokkén Tournament DX, inclusive na rua através do modo portátil do Switch, a vitória fica com Pokémon Stadium por oferecer mais possibilidades de jogo neste quesito, ampliado pelos instigantes mini-games que fizeram toda a diferença quando o assunto era reunir os amigos.

Pokémon Stadium 3 x 2 Pokkén Tournament DX

Uma grande disputa

Colocar Pokémon Stadium e Pokkén Tournament DX frente a frente rende bons momentos de discussão. Declarar Stadium o vencedor desse Blast Battle representa uma opinião pessoal pautada nos elementos que serviram de argumentação. Ambos os títulos são muito bons, trouxeram aspectos inéditos para a franquia e direcionam sua proposta de acordo com as preferências de quem joga.

É claro que pode haver outras formas de compará-los, e por isso abrimos o espaço para que você comente a respeito e deixe a sua opinião sobre qual dos dois é o melhor. Não deixe de compartilhar seu ponto de vista sobre dois jogos icônicos que ajudaram e ainda ajudam a manter Pokémon sempre em evidência.

O que vale, acima de tudo, é estarmos sempre ao lado dos pokémon

Revisão: João Paulo Benevides
Renan Rossi é jornalista formado pela USC e aficionado pela história dos videogames e como cada pequeno acontecimento culminou nessa cultura incrível que vivemos hoje. Quando não escreve, viaja por Hyrule, toca umas ocarinas com a galera, procura adversários em Mario Kart, defende o Charizard nas rodas de conversa e acredita que já está na hora de Bowser, o melhor vilão de todos os tempos, ter o seu próprio jogo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook