Nintendo fala das lições aprendidas dos erros com o Wii U e que está ouvindo os fãs

Fluxo de lançamentos e tempos de carregamento foram duas lições que a Big N corrigiu com o Switch.


O Switch está no mercado há pouco mais de seis meses e seu forte início em vendas e constância de lançamentos demonstra que a Nintendo aprendeu a lição com o Wii U.  Em entrevista ao Business Insider, Bill Trinen, gerente sênior de marketing de produtos, e Doug Bowser, vice-presidente sênior de vendas e marketing da Nintendo of America, comentaram a respeito dos erros cometidos com o console antecessor e como influenciaram na abordagem com o Switch.


Para Trinen, o tempo de carregamento de menu e de jogos era frustrante para os jogadores, algo que a Nintendo melhorou com o console híbrido. "Se você olha para o Wii U, apenas o próprio menu do sistema — o tempo que leva para inicializar esse sistema, para entrar nos jogos — era algo frustrante para muitos jogadores no início e realmente se tornou um obstáculo", disse. "Com o Switch sendo algo que é possível carregá-lo com você, era realmente importante que você pudesse jogá-lo instantaneamente. Isso para mim é um exemplo de uma lição direta da era do Wii U, onde a Nintendo disse, 'Isso é algo que vamos partir do zero e fazer uma melhoria dramática'", completou.

Já para Bowser, o fluxo constante de jogos no Switch é outra lição que a Big N aprendeu com o Wii U. "Tínhamos um excesso [de lançamentos de jogos] no início, e depois ficamos secos por algum tempo. Do ponto de vista first-party, fomos muito intencionais e deliberados sobre o Switch. Lançamos The Legend of Zelda: Breath of the Wild, que obviamente foi um sucesso, guiando o hardware e trazendo muitas novas pessoas para a franquia. E então foi seguido por 'Mario Kart' e uma série de jogos que lançamos desde então. Essa foi uma lição realmente importante que aplicamos e parece estar funcionando", comentou.

A Nintendo também está de olho nas tendências do mercado e ouvindo os fãs. "Nosso objetivo é encantar nossos jogadores. Queremos que as pessoas tenham acesso ao nosso hardware, ao nosso conteúdo e tenham grandes experiências. Então nós ativamente lemos o mercado e tentamos entender quais são essas tendências e certificar que estamos nos ajustando de acordo. Estamos respondendo. Estamos ouvindo", finalizou Bowser.

Alex Sandro de Mattos é formado em Gestão de TI. Entre se aventurar por Hyrule e se perder em Silent Hill, gosta de publicar fatos interessantes e bobagens no Nintendo Blast. Pode ser encontrado jogando games 2D e também no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook