Jogamos

Análise: 80'S OVERDRIVE (3DS) traz corridas com ares retrô

Com inspiração em clássicos como Out Run e Top Gear, esse título indie oferece uma experiência arcade de corrida.


Na década de 1980, um dos jogos de corrida mais populares nos arcades era Out Run com sua progressão não linear e cabine que simulava um carro de verdade. No Brasil, esse estilo de jogo se popularizou com a série Top Gear no SNES e suas mecânicas similares. 80'S OVERDRIVE, título de corrida para 3DS, resgata esses jogos e não esconde o fato de ter sido fortemente inspirado por eles. Com gráficos 2D, trilha sonora repleta de sintetizadores e duas modalidades, ele revisita o passado de maneira divertida.


Como o nome indica, toda a ambientação do jogo é baseada na década de 1980. Os gráficos 2D em pixelart são bem trabalhados e com cores vibrantes, já a trilha sonora é repleta de composições com sintetizadores. Os cenários apresentam muitos detalhes e variedade: há corridas em cidades, desertos e florestas, cada um desses transmitindo uma atmosfera distinta. O resultado é um título com ares retrô, sem deixar de parecer moderno. Há suporte ao efeito 3D do portátil, porém não senti impacto ao utilizá-lo.

Correndo contra os outros e contra o horizonte

80'S OVERDRIVE tem duas principais modalidades: Career e Time Attack, cada qual com mecânicas distintas.

O modo Carreira é o mais elaborado deles. Nele, o objetivo é participar de corridas contra outros oponentes a fim de acumular pontos em uma classificação. Essas competições acontecem em estradas, o que significa a presença de outros carros e polícia, e os circuitos sempre consistem em ir de um ponto a outro. Há vários carros disponíveis para compra e também é possível melhorar atributos como aceleração e resistência da carroceria — o dinheiro também é utilizado para abastecer o carro e fazer manutenção no veículo.


Tive sentimentos conflitantes com o modo Carreira por conta de vários motivos. Gostei bastante da sensação das corridas por conta da presença de tráfego e da polícia — em muitos momentos eu consegui usar isso a meu favor para impedir que oponentes me ultrapassassem, por exemplo. O desenho dos estágios não é muito memorável e depois de algumas corridas pode ficar um pouco repetitivo, porém existem algumas características que ajudam a amenizar isso, como missões opcionais — tarefas como pegar itens espalhados pelo caminho ou terminar a corrida em uma posição específica.

Porém, me pareceu que faltou um pouco de balanceamento: basta uma única batida para perder posições, sendo muito difícil retomá-las depois. Para continuar vencendo, é necessário realizar melhorias no carro, o que obriga você a repetir estágios mais simples para acumular dinheiro com os prêmios recebidos. Por fim, achei o menu muito confuso e poluído, além de forçar desnecessariamente o uso da tela de toque — saber, por exemplo, se posso participar de uma corrida exige tentar participar dela, pois a interface não indica isso de maneira clara.


A outra modalidade de jogo chama-se Time Attack e se assemelha bastante ao Out Run original. Nela, temos que alcançar checkpoints antes do tempo acabar, com várias bifurcações pelo caminho, tornando cada partida diferente. Algo legal vem do fato de ser possível conseguir mais alguns segundos ao passar bem perto de outros carros — é uma mecânica de risco e recompensa interessante, afinal bater em outro veículo nos faz perder segundos preciosos.

Esse é o meu modo favorito de 80'S OVERDRIVE. Ele me passou a sensação de estar em uma grande viagem por conta das bifurcações no caminho e da mudança dinâmica do cenário. Ele oferece também variedade e bom desafio, principalmente nos trechos mais avançados da jornada.

Por fim, há um modo de edição de circuitos bem decepcionante. Para “criar” um estágio, escolhemos alguns parâmetros como inclinação das curvas, intensidade do tráfego e extensão do percurso (curto, médio ou longo). Definido isso, o jogo monta automaticamente um circuito. O nível de controle na construção das pistas é bem limitado e o resultado são fases genéricas, é um modo dispensável.


Retrô divertido

80'S OVERDRIVE é um bom título de corrida arcade por conta da ótima ambientação e jogabilidade precisa. Cada um dos modos oferece experiências divertidas, como as corridas contra oponentes do Career e a viagem sem fim no ótimo Time Attack. Porém alguns aspectos, como o desenho dos circuitos e pouca variedade, trazem uma sensação de simplicidade. Mesmo não sendo muito memorável, 80'S OVERDRIVE diverte e é uma ótima opção para os fãs do gênero.

Prós

  • Jogabilidade simples e comandos precisos;
  • Boa variedade de situações espalhadas em dois modos;
  • Visual e áudio remetem bem à década de 1980.

Contras

  • Menu confuso e nada intuitivo;
  • Necessidade de repetir corridas no modo Carreira;
  • Editor de níveis extremamente limitado.
80'S OVERDRIVE — 3DS — Nota: 7.0
Revisão: Luigi Santana 
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura, Yuzo Koshiro e Masashi Hamauzu, é apreciador de boardgames, game music, fotografia e livros. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos e também pode ser encontrado no Twitter.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook