Análise: Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions (3DS) retoma as origens da série

O remaster é um meio muito agradável de se jogar ou rejogar a trama prelúdio das aventuras dos irmãos bigodudos.



Fomos “surpreendidos” durante este ano quando a Nintendo anunciou que estaria revisitando um clássico de uma das diversas séries spin-off de seu ex-encanador favorito, mesmo este título não tendo uma grandiosidade impactante. Foi uma demonstração de que o Nintendo 3DS não estava sendo esquecido ainda, mesmo que todos os esforços e holofotes da empresa estivessem voltados para o Nintendo Switch. Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions (3DS) revisita a aventura que foi prelúdio para esta série de aventuras no melhor estilo RPG de Mario e seu irmão Luigi.

De forma a adequar o clássico aos padrões estabelecidos no 3DS, como o estilo artístico, o remaster busca chamar a atenção de novos adeptos para esta série de aventuras paralelas. Particularmente, meu contato anterior com esta subsérie era praticamente nulo antes deste jogo. Portanto, durante minha jogatina não visualizei-o somente no espectro de comparação com sua versão original, Mario & Luigi: Superstar Saga (GBA), mas também e principalmente no espectro de jogo solo.


É impossível não rir



Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions possui uma trama bem simples. As aventuras são situadas centralmente no Beanbean Kingdom, onde Mario e Luigi devem resgatar a voz roubada da Princesa Peach pelos novos vilões Cackletta e seu comparsa Fawful.

A trama segue de uma forma bem clara, e mesmo com o mapa todo não sendo linear, é difícil ficar perdido em algum momento. Assim, o jogo se torna bem convidativo aos que até então nunca se aventuraram pelo gênero RPG, ainda mais considerando o apelo que a trama e os personagens do cenário em que a aventura se situa trazem com o humor.

Sem dúvida, o humor é um dos maiores destaques do jogo. Embora não seja um humor elaborado e/ou “humor inteligente”, a forma como determinados acontecimentos são mostrados ao jogador e principalmente as falas de todo o elenco de personagens insertos  no ambiente impedem que o jogador não esboce um sorriso pelo menos uma vez durante toda a campanha.

Simples, funcional e divertido

As mecânicas de Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions são bem simples  e nada é muito complicado de aprender: basicamente você deve navegar por um mundo controlando tanto o Mario quanto Luigi simultaneamente . Durante esta exploração você encontrará inimigos os quais pode enfrentar ou simplesmente desviar, já que não há encontros randômicos e forçados de inimigos comuns no jogo.

Utilizando as habilidades conjuntas dos irmãos você pode resolver puzzles que aparecem no decorrer da jogatina. A forma com que elas são utilizadas variam desde utilizar um martelo para deixar o Mario em um tamanho mini e atravessar caminhos que ambos não conseguem percorrer juntos para abrir uma determinada porta, até a eletrocução do Mario por intermédio dos poderes de raio do Luigi para lhe fazer cócegas e permitir uma movimentação igualada de ambos por um determinado período de tempo.

O interessante é que as habilidades combinadas também podem ser utilizadas nas batalhas. E por falar nelas, as batalhas funcionam no esquema de RPG de turnos em que você pode atacar com um dos irmãos por vez. Todavia, utilizando os Bros. Attacks você pode realizar ataques especiais resultantes das ditas habilidades combinadas para causar maiores danos, ao custo de uma certa quantidade de Bros. Points.


As mecânicas de gameplay também são bem fáceis de aprender e o jogo como um todo não oferece um nível muito alto de dificuldade durante a campanha. A maior parte do jogo segue com uma dificuldade razoável que em raros momentos cresce, perdurando por este padrão até os momentos finais do jogo.

Nestes momentos, a dificuldade do jogo sobe consideravelmente. Os últimos chefes, e principalmente, o último deles, lhe surpreenderão caso não esteja preparado. Confesso que fiquei até um pouco frustrado já que a dificuldade não aparenta ser muito justa, pois em especial o último chefe possui ataques que são bem difíceis de desviar, causam um dano enorme e há pelo menos três ataques dele por turno. Claro que isso está longe de estragar o brilho do jogo, ainda mais considerando de que como isso ocorre nos momentos finais já se espera que o jogador saiba dominar bem o jogo.

O que o jogo aproveitou do 3DS



O remaster encaminhou novas possibilidades para o clássico de Game Boy Advance para que fosse mais confortável de se jogar nos dias atuais. Mario & Luigi: Superstar Saga já possui  um estilo gráfico bem interessante e ainda bonito de se ver mesmo atualmente, porém o remake adequou o jogo para o estilo gráfico adotado pelos últimos jogos da série lançados no 3DS.

Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions foi todo feito  na engine dedicada para os Mario & Luigi de 3DS e o resultado é positivo: os gráficos ficaram tão bonitos quanto o original. Vale algumas ressalvas no entanto, de que ainda assim o remaster poderia ter aproveitado melhor outros aspectos de funcionalidade do 3DS.

O efeito 3D, algo que poderia ser bem aplicado em um jogo com gráficos simplistas como este, está completamente ausente do jogo. Vários jogos recentes do 3DS estão fazendo pouco uso desta funcionalidade, porém ainda assim foi uma oportunidade perdida, ainda mais considerando que os jogos antecessores desta sub-franquia no 3DS usufruíram deste efeito.



A tela touchscreen também é usada bem basicamente, servindo apenas como um mapa e acesso de menu rápido. Nada dela é aplicado ao gameplay de alguma forma, nem mesmo nos diversos minigames presentes no jogo (que embora brevemente divertidos, parte deles acabam sendo um pouco esquecíveis).

A aventura solo do Captain Goomba


A grande novidade do remaster — e que é destacada até mesmo no título — é uma espécie de subtrama que ocorre em paralelo ao jogo e que reúne diversos capangas do Bowser como estrelas protagonistas. A subtrama centra em um grupo de inimigos clássicos de Mario liderados por um Goomba capitão que desejam salvar seu mestre, Bowser.

Bowser’s Minions é basicamente um minigame com um pouco mais de expansão e profundidade. Ainda pode-se chamá-lo de minigame pois essa sub aventura funciona de forma bem simplista e rasa. Nela você deve passar por níveis e reunir diversos capangas do Bowser para auxiliar em  seu resgate.



Cada nível tem três batalhas que ocorrem consecutivamente e nelas você deve utilizar uma equipe liderada pelo Captain Goomba de forma estratégica para combater inimigos que surgem de maneira similar a um RPG tático. A estratégia segue um esquema básico de tipos de inimigos que lembra papel, pedra e tesoura.

Exceto pela formação de batalha previamente realizada pelo jogador, há pouca interferência deste durante a campanha de Bowser’s Minions. No máximo, você deve pressionar o A em momentos propensos a utilizar ataques ou ordens especiais. O brilho maior desta aventura está nos personagens e o humor acoplado a estes, que assim como na campanha principal se faz presente e de forma ainda mais significativa. Ela consegue trazer algumas horas a mais de gameplay, porém ainda assim está longe de ser um aditivo justificável de compra para aqueles que gostariam de comprar o remake em busca de novidades.

O brilho e o humor persistem nesta relaxante aventura


Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser’s Minions é uma deliciosa e muito bem-humorada aventura. É um clássico que não necessariamente necessitava ser reimaginado, mas que é muito bem vindo à biblioteca do 3DS e que pode muito bem auxiliar no alcance de potenciais novos fãs desta subsérie — eu incluso. O minigame Bowser’s Minions é uma adição que prende atenção por pouco tempo e está longe de ser um grande motivo para se jogar ou rejogar esta aventura, o maior destaque ainda é a aventura principal.

Prós

  • Os novos gráficos, embora simplistas, combinaram com o jogo e fazem jus ao estilo gráfico original;
  • Conveniências oferecidas pelo 3DS foram bem vindas, como a utilização da tela touchscreen como menu rápido e acesso do mapa;
  • O humor e a fluidez da campanha principal ainda são um destaque;
  • O ritmo de dificuldade que se quebra no fim do jogo pode agradar alguns.

Contras

  • Bowser’s Minions é um minigame interessante, mas que por ser simplista e raso demais não se justifica muito como aditivo;
  • O jogo poderia ter se aproveitado mais das capacidades do 3DS: uso do 3D e um melhor uso da touchscreen poderiam ter sido incluídos;
  • O ritmo de dificuldade que se quebra no fim do jogo pode desagradar alguns.
Mario & Luigi: Superstar Saga + Bowser's Minions — 3DS — Nota: 8,5
Revisão: João Paulo Benevides
Guilherme Lima é entusiasta gamer que ainda sonha com a possibilidade de algum dia poder criar seus próprios jogos. Seu primeiro console foi um Sega Genesis e atualmente ele aprecia a maioria as franquias da Nintendo, principalmente Pokémon.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook