Blast from the Past

Blast from the Past: Blast Corps (N64)

O Nintendo 64 pode não ter sido um dos consoles mais bem sucedidos da Big N, mas ele certamente teve uma boa dose de jogos memoráveis. Mu... (por Daniel Moisés em 07/05/2011, via Nintendo Blast)

O Nintendo 64 pode não ter sido um dos consoles mais bem sucedidos da Big N, mas ele certamente teve uma boa dose de jogos memoráveis. Muitos deles, como Donkey Kong 64, Banjo Kazooie, Conker’s Bad Fur Day e GoldenEye, foram desenvolvidos pela ex-parceira exclusiva da Blast CorpsNintendo, a Rare. Dentre tantos clássicos, entretanto, hoje falaremos sobre um dos primeiros jogos para o Nintendo 64, lançado em 1997, também desenvolvido pela Rare e que não contava com gorilas engravatados, esquilos boca suja, agentes secretos britânicos, ou qualquer outro personagem famoso, mas que não por isso deixou de se tornar um dos jogos mais divertidos para o console: Blast Corps.

Se a menor coisa encostar neste carregador, é o fim do mundo! O mundo está em perigo e é seu dever salvá-lo! Não, não estou falando sobre vilões megalomaníacos com planos de dominação mundial, nem invasores alienígenas e nem mesmo criaturas lendárias monstruosas despertas de um sono secular apenas para destruir toda a humanidade. O problema aqui é simples: um carregador está levando uma bomba nuclear, mas durante o percurso, a bomba começa a vazar. Isto faz com que um dispositivo de segurança seja ativado e o veículo comece a se locomover automaticamente até um local seguro para detonação, ignorando qualquer obstáculo à sua frente (mas que ótimo dispositivo de segurança, não?). Para piorar as coisas, o veículo é extremamente sensível e o menor contato com ele é suficiente para fazer a bomba explodir. E, naturalmente, a explosão é grande o suficiente para destruir o planeta inteiro. A única alternativa, então, é liberar o caminho do carregador até o local de detonação e é aí que você entra: como membro da companhia de demolição Blast Corps, você deve usar diversos veículos para se assegurar que nada fique no caminho da bomba nuclear e cause uma explosão exterminadora.

Destruição e raciocínioAtaque terrorista? Não, é Blast Corps!

Sim, a história é um tanto quanto absurda, mas na verdade ela é apenas pretexto para o que realmente interessa: destruir, destruir, destruir, pensar... e então destruir um pouco mais. Falemos a verdade: destruir coisas é extremamente divertido. Um jogo pode não contar com muita coisa, mas se permitir que o jogador cause uma boa dose de destruição aleatória já é o suficiente para garantir pelo menos algumas horas de diversão (conhece a série Rampage?). Mas, além de proporcionar muita destruição, Blast Corps também é um excepcional jogo de puzzle, o que só torna a experiência mais agradável ainda.

Destrua tudo o que estiver no caminho da bomba! A tarefa de evitar a explosão nuclear não se resume simplesmente a destruir tudo o que estiver na frente do carregador. Há, também, muito raciocínio envolvido. Como você pode ver abaixo, cada veículo possui diferentes características e habilidades e, portanto, é necessário saber usar adequadamente as ferramentas que se tem à mão em cada fase. Às vezes o veículo disponível é forte o suficiente para destruir os obstáculos, mas muitas outras vezes será necessário usar outros meios para limpar o caminho, como caixas de TNT bem posicionadas. Em certas partes, buracos estão convenientemente localizados bem no meio do caminho do carregador e é necessário tampá-los com blocos de concreto para que o veículo possa passar por cima. Mas como nada na vida é tão simples quanto parece, os blocos raramente estão em locais de fácil acesso, obrigando o jogador a quebrar a cabeça para descobrir como obtê-los. Durante tudo isso, o tempo é extremamente precioso, pois o carregador anda sem parar e os obstáculos devem ser removidos antes que o veículo colida com eles. Quando o carregador está prestes a se chocar com alguma coisa, a tela começa a ficar vermelha, enquanto sirenes começam a soar cada vez mais urgentemente... os que já jogaram este jogo sabem que poucas coisas na vida causam tanto desespero quanto a colisão iminente do carregador de Blast Corps.

Veículos para todo tipo de situaçãoEstá vendo essa coisinha verde minúscula? É ele quem você controla.

O jogador controla um ser humano insignificante com poucos pixels de altura. Quem esta pessoa é não interessa... o que é importante são os veículos aos quais ele tem acesso. Cada fase disponibiliza um conjunto destes diferentes veículos – alguns a plena vista, outros bem escondidos – que devem ser utilizados para cumprir a missão. Veja, a seguir, quais são eles:

Ramdozer

Ramdozer

Esta escavadeira é o veículo mais “equilibrado” de todos: apesar de não ser muito rápido, é fácil de dirigir e pode causar uma destruição razoável simplesmente colidindo de frente com os prédios. Construções maiores resistirão ao impacto, mas em situações desse tipo, o Ramdozer pode ser usado para empurrar caixas explosivas contra o prédio.

Backlash

Backlash
É bom praticar... muito!!!
Ah, o Backlash... muitos dos que já jogaram Blast Corps certamente já tiveram pesadelos com este veículo. Não deixe este caminhão com caçamba te enganar... dirigi-lo é fácil, o problema é usá-lo para destruir prédios. Seu poder de destruição é alto, mas nem adianta tentar colidir de frente com as construções, pois o dano será mínimo. O segredo é utilizar a caçamba metálica. Para isso, entretanto, é preciso manobrar o veículo de modo a fazê-lo derrapar e bater nos obstáculos com a traseira. Isto é bem difícil de fazer (ainda mais quando pressionado por aquela sirene infernal) e requer muita prática... para piorar as coisas, muitas fases obrigam o jogador a usar o Backlash. Por outro lado, uma vez que você masterizar o veículo, você sentirá uma satisfatória sensação de orgulho.

Sideswipe

Sideswipe
Não é lá muito eficiente...
Este caminhão esquisito não é rápido nem particularmente poderoso. O seu “método de ataque” é usar dois extensores que se projetam das laterais do veículo. Mesmo podendo investir contra construções em ambos lados simultaneamente, a sua força é bem inferior ao de outros veículos e, ainda por cima, são raras as vezes em que os prédios estão posicionados de tal forma que o Sideswipe possa atacar eficientemente dos dois lados. Como se não bastasse, o número de ataques do Sideswipe é limitado e é necessário coletar baterias para usá-lo.

Skyfall

Skyfall Mesmo não sendo muito poderoso, este pequeno buggy é divertido de usar. Possui um turbo que dá ao carrinho um forte impulso, mas mesmo assim, não pense que investir de frente contra as construções é eficiente. A única maneira deste veículo causar uma boa destruição é usar o turbo para se impulsionar em uma rampa e cair de cima nos prédios.

Ballista

Ballista
Melhor ficar parado para mirar bem e não desperdiçar mísseis!
Esta moto tem uma boa velocidade, mas é um pouco difícil de controlar. Como é de se imaginar, o dano que causa ao colidir com os prédios é muito baixo, mas este pequeno veículo tem uma carta na manga... mísseis! É isso mesmo, a Ballista pode disparar mísseis para destruir obstáculos à sua frente. É bom não desperdiçar tiros, entretanto, pois a munição é limitada e deve ser recarregada com caixas espalhadas pelas fases. E mirar pode ser uma tarefa bem complicada, então o melhor a fazer é parar o veículo antes de disparar os mísseis.

Thunderfist

Thunderfist e seu braço perdido Agora chegamos na parte realmente divertida: os robôs! Atacando com socos, rolando e até com ganchos, este robô é extremamente forte e é ótimo para destruir construções rapidamente. Percebeu que ele só tem um braço? Pois bem, o próprio designer-líder do jogo confessou que isso se deve a terem gastado toda a memória disponível no desenvolvimento do jogo e... simplesmente não haver sobrado o suficiente para o segundo braço do robô! Interessante o gasto que um braço pode ter, não?

Cyclone Suit

Cyclone Suit, o robô acrobata Outro robô que usa seus golpes e saltos para destruir facilmente os prédios. Este é bem menor, sendo apenas um pouco maior que o personagem humano.

J-Bomb

J-Bomb, preparando um ataque aéreo Este grande robô não ataca com socos. Ao invés disso, os seus jatos propulsores o permitem voar a grandes alturas e então cair violentamente sobre os prédios, destruindo-os com facilidade. A habilidade de voar também o permite chegar a lugares outrora inacessíveis.

Carros

Alguns dos modelos de carros que podem ser encontrados Vários modelos de carros podem ser encontrados pelas fases. Embora sejam praticamente inúteis no quesito “destruição”, eles são muito rápidos e podem ser usados para percorrer longas distâncias em pouco tempo.

Outros veículos

Controlar um trem é sempre divertido! Durante as missões também é necessário controlar trens, barcos e guindastes. Embora o uso destes esteja limitado a áreas pré-determinadas, eles são importantes para criar caminhos para o carregador, chegar a lugares inacessíveis e transportar itens ou veículos.

Em busca de todas as medalhasPois é, esse carregador dá uma volta ao mundo (só não pergunte como ele faz pra atravessar os oceanos!)

O jogo é dividido em várias missões, variando entre as principais e as bônus. As principais, como é de se imaginar, envolvem liberar o caminho do carregador, enquanto este avança lentamente, mas sem parar. Há várias outras coisas para se fazer, entretanto, além de garantir o transporte seguro da bomba. Para se conseguir uma medalha de outro adicional na fase, é necessário destruir todos os prédios (irônico, não? A ideia é impedir que uma bomba destrua toda a civilização, mas você é premiado por destruir todos os prédios que conseguir... vai entender!) e acender todas as lampadinhas espalhadas pela fase, que se acendem com a proximidade do jogador (na verdade são “RDUs”, ou “unidades de dispersão de radiação”... mas, basicamente, são lampadinhas). Além disso há outros segredos a serem descobertos também, como antenas (que abrem missões bônus) e veículos secretos. Também é necessário encontrar um total de seis cientistas, espalhados em diferentes fases, para que estes ajudem no processo de eliminar a ameaça da bomba. O que esses cientistas estão fazendo escondidos em uma hora crítica dessas, afinal de contas?

Ative as antenas para abrir fases bônus As fases bônus são liberadas conforme as antenas escondidas nas missões principais são ativadas. Nestas missões, ao invés de se preocupar com a bomba, o objetivo é correr contra o relógio para cumprir algum desafio, como destruir um certo número de prédios, por exemplo, sendo depois recompensado com uma medalha, dependendo do tempo usado para completar a missão.

Mesmo depois de terminar as missões principais,  várias fases extras ainda aguardaram os jogadores mais experientes, com desafios cada vez mais Tem missões até na Lua!elevados. E digo “elevado” tanto no sentido de dificuldade como no de nas alturas, porque algumas destas fases bônus se passam na Lua e até em outros planetas. E quando você finalmente completa todas as fases com medalha de ouro e pensa que não há mais nada a fazer, medalhas de platina se tornam disponíveis em todas as fases, naturalmente exigindo ainda mais das habilidades do jogador.

Visualmente, Blast Corps não mostra nada excepcional, com cenários relativamente simples e pouco variados. Mesmo assim, isso não afeta em nada na diversão e podemos afirmar com convicção que este continua sendo um jogo extremamente original. Certamente, merecia uma continuação ou até mesmo um remake... mas, considerando que agora a Rare é subsidiária da Microsoft, as chances de vermos um novo Blast Corps em um console da Nintendo são realmente muito baixas.

Será que um dia veremos um retorno de Blast Corps?... fica a esperança!


Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


  1. Muito bom este jogo. Infelizmente não tive um N64.
    Irei jogá-lo no emulador e ver como é.

    ResponderExcluir
  2. Isso me dá muitas saudades de jogar perfect dark =/ Nintendo 64 foi muito bom!

    ResponderExcluir
  3. Josué dark bros- jogo bem legal bom tempos

    ResponderExcluir
  4. Se jogo de destruição não fizesse sucesso, ninguém consideraria os jogos Lego e GTA bons hoje em dia.

    O primeiro caso, você TEM que destruir partes do cenário para ganhar moedas e achar peças para montar escondidas, entre outras quinquilharias.

    O segundo, não preciso citar muito, os "favelados" de Lan House do Rio (e quem sabe de outros lugares) dizem isso por si próprios: destrua todos os carros, mate qualquer um a hora que quiser, etc.
    "Quem precisa de missão quando posso matar tudo?" Deve ser isso o que eles pensam do jogo, e é justamente por causa disso que esse jogo leva facada da mídia por ser violento ._.'

    Meu amigo tinha esse jogo, junto com uma coleção enorme de jogos de 64 que ele trabalhou duro para completar e vendeu tudo logo após completar (...). Mas nunca joguei ele :/

    ResponderExcluir
  5. Eu achava que era o único que conhecia esse jogo!!

    ResponderExcluir
  6. Não lembro direito desse game, mas eu sei que já joguei e era divertido. Tinha pego emprestado e não fiquei muito tempo com ele.

    ResponderExcluir
  7. Era muito engraçado esse jogo...sair quebrando tudo...hahah divertido! E saudade do Perfect Dark! Maldita Rare vendida!

    ResponderExcluir
  8. Para mim um dos melhores jogos do n64, alem de original, na época do lançamento a quantidade de cores na explosão era um show a parte na tv!

    ResponderExcluir
  9. nao sei o q o camarada q escreveu o texto quer dizer com bem sucedido. deve se referir a comercialmente... espero que se ligue mais ao escrever! na boa!

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google