Jogamos

Análise: Super Neptunia RPG (Switch) é uma interessante e descontraída aventura 2D com as deusas CPU

Primeiro jogo da série Neptunia em um console Nintendo é uma excelente comédia, mas erra a mão no seu sistema de batalhas.


Famosa por fazer paródias com a indústria de jogos, a série Neptunia conta com vários títulos lançados nas plataformas da Sony e no PC. Em Super Neptunia RPG, estreia da série nos consoles da Nintendo, Neptune e as outras deusas CPU se veem em uma realidade onde jogos 3D são proibidos de existir por uma entidade chamada Bombyx Mori. Cabe ao jogador reunir a equipe para lutar pela coexistência entre jogos 2D e 3D no mundo de Gamindustri.

Uma história repleta de piadas


Desenvolvido pela canadense Artisan Studios, Super Neptunia RPG começa com uma batalha entre o grupo de Neptune e um novo inimigo. Após serem derrotadas, as garotas se separam e perdem a memória. Cabe então ao jogador descobrir o que está acontecendo com o mundo, reencontrar suas antigas parceiras e recuperar as memórias perdidas do grupo.

Apesar de envolver um evento de potencial catastrófico e uma jornada do herói legítima, o aspecto mais importante do enredo é claramente o seu uso de humor. Super Neptunia RPG não se leva a sério e sua história é um emaranhado de clichês e piadas que, ao mesmo tempo em que brinca com tropos do gênero RPG, também apresenta algumas tiradas interessantes sobre a indústria.

A protagonista Neptune, com sua atitude altamente caricata e irônica, é especialmente carismática e carrega muito bem a narrativa, fazendo com que tudo o que acontece seja visto de uma forma bem leve. Ela está sempre fazendo alguma piada metalinguística, quebrando a quarta parede ou ignorando detalhes importantes por pura preguiça.


Esse tom descompromissado também faz com que o jogo seja um bom ponto de entrada para a série. Pessoalmente, mesmo não tendo jogado nenhum outro título da série antes, aproveitei bastante a história e em nenhum momento senti que me faltou conhecimento sobre jogos anteriores.

Por outro lado, o jogo também não desenvolve nenhuma das personagens a fundo, tratando-se de uma jornada bastante superficial. Apesar de cada membro da equipe ter seu momento de destaque, são todos bastante rápidos e de pouca consequência, exceto as revelações sobre o passado da novata Chrome, que de fato tem algum peso para a história principal. Um detalhe que talvez seja esperado por se tratar de um spin-off, mas que continua sendo um fator negativo para o jogo.

Goddess Profile

É nítida na estrutura das batalhas a inspiração no clássico Valkyrie Profile, mas as escolhas de game design tornam o jogo completamente diferente. A principal diferença está no fato de que, ao invés de funcionar em turnos, o jogo é mais ativo (algo similar ao active time battle presente em Final Fantasy do IV ao IX).

Conforme o tempo passa, uma barra no canto inferior direito é preenchida. Quando ela tem  quantidade suficiente, o jogador pode apertar o botão correspondente a uma das personagens para atacar. O custo que será debitado da barra depende do ataque que o jogador atribui à personagem. Por exemplo, um ataque básico custa 1 nível da barra, mas uma habilidade mais avançada pode custar 3.


As habilidades precisam ser equipadas no menu antes de entrar no combate, e é possível usar diferentes golpes de acordo com a formação, que pode ser alterada dinamicamente para se adaptar ao contexto da luta. Por exemplo, colocar Blanc na frente implica na formação heal, que recupera a vida das personagens e permite o uso de habilidades de cura pelas personagens,  mas é possível alternar para a formação magic, que fortalece golpes mágicos, rotacionando o grupo para que Noire fique na frente.

Apesar desses sistemas serem interessantes e modificarem completamente o funcionamento em relação ao jogo que serve como referência, na prática a escolha não é muito bem executada, porque existe um claro delay de input para que o jogo processe cada ataque antes de ativar o próximo. Isso faz com que o sistema ativo se torne extremamente incômodo devido à sensação de que o jogo não está sendo adequadamente responsivo.


Além de escolhas de design ruins, como o fato de que a paralisia que afeta um personagem paralisa completamente a barra para todos eles, o jogo também conta com problemas não intencionais. Pela minha experiência, foram perceptíveis momentos de queda de frame e alguns bugs, como personagens mortos que se mantinham em pé durante a batalha, imagens que sumiam e até uma paralisação total do jogo, me forçando a fechá-lo.

Uma estreia engraçada, mas desastrada

Em termos gerais, existem vários pontos a se elogiar em Super Neptunia RPG. Além do humor bem executado e das personagens carismáticas, o jogo tem uma boa diversidade de ambientes 2D com artes caprichadas, várias quests opcionais e um conceito estratégico interessante no uso das formações de batalha.

Infelizmente, a história acaba não desenvolvendo muito a fundo as personagens, mas o defeito mais grave do jogo é o mau planejamento do sistema de batalha. Ao optar por um gameplay mais ativo, a lerdeza de execução e a sensação de estar paralisado acabam fazendo com que o jogador tenha a sensação oposta à desejada.


O jogo inclusive compreende esse problema e oferece uma opção de acelerar a batalha a qualquer momento, mas isso é apenas um paliativo que não corrige a situação. Mesmo com a baixa dificuldade, a sensação de estar executando os ataques com menos velocidade do que o necessário é um grande incômodo. Uma pena, pois me diverti bastante com a leveza da história e as piadas. Faltou avaliar mais cuidadosamente as decisões e problemas do seu funcionamento. Talvez assim o jogo evitasse os erros mais grosseiros e pudesse realmente brilhar.

Prós

  • História leve e cheia de humor;
  • Personagens carismáticos, principalmente a protagonista;
  • Ambientes 2D muito bonitos;
  • O sistema de formações adiciona uma dimensão estratégica para a batalha.

Contras

  • Batalhas lentas com delay de input incômodo;
  • Decisões ruins no planejamento do sistema de batalha;
  • Bugs e quedas de framerate com frequência mais alta do que o aceitável.
Super Neptunia RPG — Switch/PC/PS4 — Nota: 6.5
Versão utilizada para análise: Switch
Revisão: Davi Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Idea Factory International

é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.

Comentários

Google
Disqus
Facebook