Jogamos

Análise: Nickelodeon Kart Racers 2: Grand Prix (Switch) é ideal para jogar com a criançada

O título de corrida traz vários personagens clássicos da televisão para disputar em verdadeiras corridas malucas.


Jogos de corrida com kart são muito bem vindos, já que eles são acessíveis e se propõem a oferecer diversão sem compromisso. No entanto, ao mesmo tempo em que o gênero é amado pelo seu carisma, ele também é visto com desdém, devido à baixa qualidade da maioria dos títulos da categoria. Nickelodeon Kart Racers 2: Grand Prix chega ao Switch com a premissa de reparar os erros de seu antecessor, que falhou na execução de conceitos que mostravam ter potencial.

A sequência traz várias melhorias, tanto no gameplay quanto na parte estética, mas mesmo assim fica muito aquém do que se espera de um game com qualidade. Além disso, faltou ousadia para andar com as próprias pernas — para não dizer que copiaram várias fórmulas da série Mario Kart na cara dura. Se inspirar em uma franquia de sucesso é totalmente legítimo, já que as coisas boas devem ser copiadas, não é mesmo? Porém, esse não é bem o caso de Nickelodeon Kart Racers 2.

Circuito fechado

Ao invés de colocar várias corridas de barco, em pistas de slime, desta vez a desenvolvedora GameMill Entertainment apostou todos os esforços na fórmula Mario Kart: pistas criativas com circuito fechado. Decisão de level design louvável, já que as corridas com barcos eram os piores estágios do título antecessor. No entanto, o design das pistas é problemático, principalmente as curvas que não foram calculadas para encaixar o drift. Por diversas vezes acabei batendo na parede tentando derrapar para conseguir o turbo extra.

Pelo menos os cenários são bem elaborados e diversificados, cheio de detalhes e cores vibrantes. É um alívio lidar com pistas mais “tradicionais” do gênero kart racing, depois das experiências nada agradáveis que tive jogando o primeiro Nickelodeon Kart. A variedade de fases está sensacional, são vários tipos de lugares diferentes e novos, como cidades, fazendas, mundos futuristas, ruínas abandonadas, etc. Esta qualidade merece ser exaltada, porque é um diferencial para o título.

Por outro lado, a jogabilidade continua plastificada e a sensação de tech demo ou jogo inacabado continua muito forte. Controlar a direção dos veículos é uma experiência de mesmo nível que qualquer game de corrida genérico do GameCube, principalmente ao tentar fazer drift. Em teoria, a manobra funciona de forma recompensadora: uma derrapagem bem feita concede um turbo extra. No entanto, a mecânica atrapalha mais do que ajuda, porque existe um atraso de resposta na jogabilidade, que faz o carrinho começar a derrapar quase 1 segundo depois de o jogador apertar o botão no controle.

Devido a esse problema, é mais seguro competir sem fazer o truque. Mesmo que você aprenda o timing certo, ainda assim não é tão fácil, porque diferente de Mario Kart, que o veículo quase não sai da reta, em Nickelodeon Kart Racers, o carrinho derrapa em praticamente noventa graus. Será comum bater na parede por diversas vezes ao tentar fazer uma derrapagem, isso quando não perder a direção totalmente.

Festa de Slime

Apesar dos vários defeitos presentes em Nickelodeon Kart Racers 2, seria uma injustiça afirmar que o game não é divertido. O gameplay é envolvente e até fez com que eu me dedicasse a correr atrás do primeiro lugar em diversas vezes. Há uma ótima variedade de itens e todos são muito úteis para virar o jogo. Junto a isso, a mecânica de acumular slime para realizar um especial é bem criativa e eficaz para obter vantagem quando necessário.

Como na série Mario Kart, há diversas customizações para o veículo. Todas as peças possuem propriedades diferentes, que alteram os atributos do carrinho, como a velocidade ou a derrapagem. Além dos acessórios, ainda há um sistema de suportes que concedem uma habilidade extra ao piloto, como ganhar velocidade extra após ser atingido por um item ou ficar mais rápido enquanto dirige sob poças de slime.

Falando em variedade de conteúdo, Nickelodeon Kart Racers 2 conta com 30 pilotos, 28 pistas únicas, 8 copas e diversos veículos e acessórios. Houve um empenho em entregar quantidade e isso deve ser mencionado. A variedade de conteúdo é a salada de frutas que torna a experiência divertida e disfarça o sabor azedo dos problemas técnicos, mesmo que ele seja sentido a todo momento. Em outras palavras, a brincadeira ganha sentido e acaba compensando as frustrações presentes no título.

Derrapando 

Mesmo que Nickelodeon Kart Racers 2 possua o seu charme e até mesmo um gostinho de entretenimento, alguns problemas técnicos não poderiam passar batidos. O game roda a 60 quadros por segundos em quase todos os momentos, mas quando tem mais de 5 veículos na tela, a queda de desempenho é bem perceptível. O framerate cai pela metade quando o item de fumaça é ativado e, por ser um jogo de corrida com vários objetos se movimentando na tela, acaba incomodando os olhos mais sensíveis.

A direção de arte é bem criativa, mas diversas texturas do cenário estão em baixa resolução. Quando digo baixa resolução, é nível Nintendo 64 mesmo. Talvez uma criança não note estes problemas, mas é inevitável que alguém com os olhos acostumados a qualidade de Mario Kart 8 Deluxe (Switch) ou Crash Team Racing Nitro-Fueled (Switch) fique decepcionado.

Por sua vez, a trilha sonora é irrelevante e dispensável. Certas músicas chegam a causar aborrecimento, de tão de genéricas. Em alguns estágios eu desativei o som do jogo e coloquei uma musica no meu celular, apenas para não desanimar com o gameplay. A qualidade musical não é o único problema sonoro, porque a definição de áudio também apresenta falhas, que podem ser percebidas em algumas músicas com o som abafado.

Com um conceito que tem tudo para dar certo, Nickelodeon Kart Racers 2: Grand Prix supera todas as falhas do seu antecessor e consegue fazer o necessário para tornar-se um jogo mediano, mas ainda está muito longe de alcançar o seu verdadeiro potencial. A estética colorida e criativa torna este jogo ideal para crianças pouco exigentes, mas se você for um fã de Mario Kart e está enjoado de correr nas mesmas pistas, este título poderá ser um bom motivo para te deixar com saudades delas.

Prós

  • Boa quantidade de personagens e veículos;
  • Cenários bem detalhados e variados;
  • Novos power ups que diversificam o gameplay.

Contras

  • Trilha sonora genérica;
  • Jogabilidade precária e rudimentar;
  • Queda de quadros por segundo;
  • Problemas em algumas texturas.
Nickelodeon Kart Racers 2: Grand Prix — Switch/PS4/XBO — Nota final: 7.0
Versão utilizada para análise: Switch
Revisão: Icaro Sousa

Fã de The Legend of Zelda e SMT: Persona. Entusiasta por videogames e também fala sobre videojogos no Twitter.


Disqus
Facebook
Google