Jogamos

Análise: Kirby's Epic Yarn (Wii)

Você não odeia quando você está caminhando tranqüilamente pelo campo, encontra um delicioso tomate n... (por Daniel Moisés em 07/11/10, via Nintendo Blast)

Você não odeia quando você está caminhando tranqüilamente pelo campo, encontra um delicioso tomate no meio do caminho, tenta comê-lo, descobre que o tomate pertence a um estranho mago, mas o come assim mesmo, fazendo com que uma meia pendurada no pescoço do mago comece a sugar tudo à sua volta e transportar para um mundo esquisito onde tudo é feito de tecido e lã? É, isso costuma ser bem desagradável. Mas se é com o Kirby que acontece, temos uma digna introdução de mais um jogo espetacular para Wii: "Kirby’s Epic Yarn".

O Retorno de Kirby


Fazendo uma breve retrospectiva, logo podemos perceber que Kirby é um dos grandes mascotes da Nintendo que há muito tempo não ganha um novo título com seu nome. Seu último jogo, Kirby: Squeak Squad, foi lançado para o DS em 2006 (na verdade, em 2008 foi lançado o Kirby Super Star Ultra, mas como foi um remake do Kirby Super Star do SNES, não estou contando). Sua única participação no GameCube – fora dos rings de Super Smash Bros. Melee, é claro – foi no jogo chamado Kirby Air Ride, que era de corrida. Nascido no Game Boy, Kirby viveu a maioria de suas aventuras nos consoles portáteis. Se considerarmos apenas os jogos tradicionais, a última aparição de Kirby na tela grande foi em 2000 - dez anos atrás - no jogo Kirby 64, para Nintendo 64. Ninguém poderia negar, portanto, que já estava mais do que na hora de uma nova aventura da bolinha cor-de-rosa que tantos amam. Não, Jigglypuff não. Kirby. E, aproveitando a onda "retrô" que estamos presenciando no mundo dos games atualmente (New Super Mario Bros., Mega Man 9 e 10, Wario Land, A Boy and His Blob, Sonic the Hedgehog 4, Donkey Kong Country Returns), não havia momento melhor para colocar Kirby de volta à ação.


Kirby’s Epic Yarn. O título poderia ser traduzido, literalmente, para "Lã Épica". Aí estão duas palavras que você provavelmente nunca pensou em usar juntas. Mas, por mais estranho que possa parecer, o título descreve perfeitamente a nova aventura de Kirby no Wii. O jogo é, certamente, épico e o que não falta é lã, tecidos, linhas e botões. E se você está preocupado que este jogo seja um "aprenda a costurar com Kirby", pode ficar tranqüilo: Kirby’s Epic Yarn é Kirby como todos conhecemos desde sua primeira aparição no Game Boy em 1992... com algumas novidades para deixar a coisa mais interessante.

A evolução de Kirby: de bolinha monocromática para bolinha rosa para bolinha de lã

Da lã viemos e à lã voltaremos



O maior destaque de Epic Yarn são os gráficos. A grande sacada é que tudo no jogo é feito de tecido e lã: os cenários, os inimigos, os itens e, é claro, o próprio Kirby. Não faço a menor idéia de como ou por que a equipe de desenvolvimento chegou a essa decisão e imagino que deve ter sido bem engraçado quando a sugestão de "vamos fazer tudo feito de lã!" surgiu pela primeira vez. Mas o importante é que deu certo, não só porque cada elemento gráfico é extremamente agradável de se olhar, mas também porque se encaixa perfeitamente com o mundo simpático e colorido de Kirby.

A equipe de desenvolvimento Good-Feel já mostrou o que consegue fazer com gráficos para jogos de plataforma 2D em Wario Land: The Shake Dimension, também para Wii, no qual vimos desenhos extremamente bem feitos, animações suaves e cenários ricos e muito detalhados. E com Epic Yarn não é nada diferente. Não se surpreenda se, no começo, você perder bastante tempo simplesmente movimentando Kirby de um lado para o outro para olhar cada detalhe das animações e elementos do cenário.


Apesar do grande atrativo visual, os desenvolvedores souberam aproveitar este "mundo de lã" de maneiras muito divertidas e criativas. No meio das fases você poderá encontrar, por exemplo, zíperes gigantes que, ao serem puxados e abertos, revelam áreas escondidas. Linhas de costura entrelaçadas em tecidos podem ser puxadas para contrair o cenário. Kirby pode pegar inimigos e enrolá-los em bolas de lã para depois jogá-los e quando estes são derrotados, seus corpos se "desfazem". Estes e muitos outros detalhes, espalhados por 50 fases em 7 diferentes mundos trazem variedade o suficiente para que a experiência nunca fique repetitiva.


 
Abra o zíper para descobrir o que há por trás.

Transformações e cooperações



Quem conhece Kirby – seja pelos seus jogos, pela série Smash Bros. ou até pelo seu extinto seriado animado – sabe que uma de suas grandes marcas registradas é a habilidade de sugar seus inimigos para roubar seus poderes. Pode vir como uma surpresa, portanto, o fato de que, em Epic Yarn, Kirby não pode usar esta habilidade. O jogo dá, inclusive, uma explicação para isso: como o Kirby em versão lã é vazado, quando ele tenta sugar qualquer coisa, o ar simplesmente atravessa seu corpo. Mas a ausência deste poder não torna a jogabilidade nada menos divertida. Como ataque principal, Kirby usa uma espécie de chicote, o qual pode usar para pegar inimigos e itens, puxar coisas de longe e se pendurar. E, mesmo sem poder roubar os poderes dos inimigos, Kirby tem uma boa dose de transformações. Ao pressionar duas vezes o direcional para frente, nosso herói se transforma em carro para andar mais rápido e atropelar inimigos e, ao entrar na água, Kirby se transforma automaticamente em um submarino. Enquanto Kirby está no ar, pressionar o botão de pulo o transforma em um pára-quedas e pressionar o direcional para baixo o transforma em um peso, esmagando tudo o que estiver em baixo. Além de tudo isso, há locais específicos de certas fases que causam várias outras transformações, como robô gigante e até disco voador.

 Uma das transformações de Kirby é um simpático golfinho, muito ágil em ambientes aquáticos.

Há opção de multi-player em Epic Yarn, mas infelizmente só há lugar para um jogador extra e não há opção para até quatro jogadores, como em New Super Mario Bros. Wii. Mas mesmo sem as situações hilárias provenientes de quatro pessoas jogando simultaneamente, jogar com um amigo torna a exploração do mundo de Epic Yarn ainda mais divertido do que já é quando se joga sozinho. O segundo jogador controla um personagem chamado Prince Fluff que é uma versão azulada e mal encarada de Kirby, com todos os mesmos movimentos e habilidades. Assim como em New Super Mario Bros. Wii, um jogador pode carregar e jogar o outro por aí, ajudando-o a alcançar lugares altos ou simplesmente para atrapalhar a vida do outro e dar umas risadas. Em algumas partes, o trabalho cooperativo é essencial. Durante a transformação em robô gigante que mencionei acima, um dos jogadores assume o comando do movimento do robô e da cabeça, que pode disparar mísseis, enquanto o outro controla os braços e se encarrega de destruir inimigos que se aproximam.

 Com um amigo, tudo fica mais divertido. Até pular sobre dinossauros.

Kirby, o imortal



Resumindo o que já foi analisado até agora, temos gráficos extremamente agradáveis, fases muito divertidas, ótima jogabilidade e ainda a possibilidade de jogar com um amigo. Praticamente uma fórmula completa para um jogo perfeito. Infelizmente, há uma característica de Epic Yarn que o impede de chegar – ainda que por pouco – à nota máxima: o jogo é fácil demais. Tudo bem que ninguém gosta de jogos impiedosamente difíceis (muitos já temos traumas demais de jogos assim, principalmente da época do NES), mas facilitar demais também tira um pouco da graça. Não há aquela sensação gratificante de triunfo depois de conseguir passar de uma parte particularmente complicada. E quando eu digo que Epic Yarn é muito fácil, estou falando sério: neste jogo é, literalmente, impossível morrer. Não existem vidas e muito menos game-overs. Quando Kirby é atingido por um inimigo ou cai num buraco, você perde alguns diamantes que você juntou durante a fase, semelhante ao que acontece com Sonic, que perde anéis. Mas, ao contrário do ouriço azul, Kirby não morre se acabarem os diamantes. Não há nem mesmo um cronômetro para te forçar a terminar a fase em um tempo limite. Você confrontará uns chefões bem grandes, mas é difícil se intimidar por eles sabendo que nada do que eles façam irá derrotar Kirby e que você tem todo o tempo do mundo para descobrir o ponto fraco do inimigo e vencê-lo. Isso também significa que você não poderá se divertir jogando seu amigo em um buraco, causando sua morte (como todos os que já jogaram New Super Mario Bros. Wii com um amigo já fizeram pelo menos uma vez).

 Nem Meta Knight será capaz de derrotar Kirby desta vez.

Mas, felizmente, há outros desafios para aqueles que não estão simplesmente interessados em passar das fases e chegar ao final do jogo. Ao terminar cada fase, os diamantes que você juntou são contabilizados e, de acordo com a quantidade obtida, você será recompensado com uma medalha de bronze, prata ou ouro. Então, mesmo que Kirby possa esbarrar o quanto quiser em inimigos sem o risco de perder uma vida, será necessária uma certa dose de habilidade para conseguir a medalha de ouro em todas as fases. E nas fases dos chefes é mais importante ainda terminar com bastantes diamantes em mãos, pois isso fará com que uma fase "bônus" seja aberta. Além disso, cada fase esconde três tesouros colecionáveis, então há também o desafio extra de encontrar todos esses itens, que variam de músicas do jogo para ouvir a mobílias para enfeitar a casa de Kirby.

 Procure os tesouros por todas as partes!

Há também uma grande variedade de minigames que vão sendo abertos no decorrer do jogo, como esconde-esconde e corrida contra o tempo. Além de divertidos, estes minigames podem ser bastante difíceis de vencer, saciando um pouco a sede por mais desafio, deixada pelo jogo principal.

Conclusão



Ao contrário do que vimos acontecer em séries como Mario, Zelda e Metroid, o estilo da série Kirby nunca foi muito modificado. Sempre foram jogos de plataforma 2D, com personagens simpáticos, gráficos coloridos e diversão garantida. Kirby’s Epic Yarn traz tudo isso que já aprendemos a esperar de um jogo de Kirby, mas com algumas boas surpresas no meio. Apesar de ser extremamente fácil de vencer, os gráficos muito bem feitos, as fases variadas, os itens colecionáveis, os minigames divertidos e desafiantes e a possibilidade de poder jogar cooperativamente com um amigo fazem deste mais um jogo para Wii que não deve ser ignorado, principalmente se você é fã de jogos de plataforma à moda antiga.
Kirby’s Epic Yarn  - Nintendo Wii - Nota Final: 9,0
Gráficos: 10,0 | Som: 9,0 | Jogabilidade: 10,0 | Diversão: 9,0
 
Daniel Moisés escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais