Jogamos

Análise: Guacamelee STCE (Wii U) esbanja referências numa "fiesta" metroidvânica

A versão Super Turbo Championship Edition traz mais conteúdo e habilidades para o jogo de plataforma 2D com inspirações na lucha libre e cultura mexicana.


Os últimos meses têm sido excelentes para fãs de jogos de plataforma 2D que possuem um Wii U. Se na E3 tivemos o anúncio de Yoshi’s Wooly World e Mario Maker, em junho tivemos o lançamento do nostálgico Shovel Knight e a summer sale da Ubisoft que permitiu arrebatar o grandioso Rayman Legends pela metade do preço. Entretanto, em meio a tantos platformers tradicionais, em julho tivemos um lançamento que desvia um pouco desses conceitos e foca um pouco mais na exploração e combate, numa vertente consagrada por jogos como Metroid e Castlevania (daí a nomenclatura “metroidvania”). Estou falando do título que já estava disponível para outras plataformas e finalmente chegou ao console da Nintendo, o jogo Guacamelee!, agora na sua versão “Super Turbo Championship Edition”.




Arriba, luchadores!

Inspirado na cultura e folclore mexicanos, Guacamelee! utiliza-se principalmente do famoso feriado do "Día de Los Muertos" e dos grandes lutadores de luta-livre mascarados, típicos do país, comumente referidos como luchadores, para criar o seu enredo. Juan, um zé ninguém de um pequeno vilarejo, vê sua paixão de infância ser sequestrada pelo demoníaco Carlos Calaca e seu grupo de bandidos, que escaparam do mundo dos mortos como consequência do feriado. Após uma fútil tentativa de salvar seu amor, Juan morre e é levado à terra de Calaca. No submundo, ele finalmente encontra pelo que sempre esperou: uma máscara de Luchador. Com sua nova identidade, Juan consegue voltar para a terra dos vivos e partir em sua intensa busca pela mulher amada enquanto derrota os lacaios de Calaca.



Embora a história de “salve a princesa” não seja a das mais originais, toda essa contextualização mexicana dá um ar completamente novo ao enredo. Com vários diálogos hilários e muito bem escrito, além de muitas histórias por traz dos personagens e suas motivações, uma parte do jogo que poderia ser dispensada — como boa parte dos jogos de plataforma fazem — foi muito bem utilizada, até mesmo considerando os clichês. O contexto mexicano vai além do enredo e é incorporado a quase tudo do jogo: das nomenclaturas das mecânicas de combate às maracas, violas e cornetas que compõem a contagiante trilha sonora do jogo.


Intensos golpes proporcionam mucha lucha e mucha plataforma.

Enquanto os jogos tradicionais que criaram o modelo que Guacamelee! tomou como base contam com diversas armas, tiros especiais muitos poderes de longo alcance, dado o contexto de lucha libre, o personagem luta quase que inteiramente no mano-a-mano. Contando inicialmente com apenas um golpe fraco, um forte (que isola inimigos), um arremesso e uma esquiva, apesar de simples o sistema de combate é muito profundo e possibilita uma absurda quantidade de combos. Isso se intensifica com a progressão do jogo que, como de costume, vai habilitando novos golpes especiais. Estes, como a cabeçada relâmpago ou o gancho da galinha (quem era fã do desenho Mucha Lucha vai se divertir muito com os golpes), consomem estamina e devem ser utilizado com parcimônia, mas são utilizados dentro e fora do combate. Combinando golpes especiais em sequência, é possível alcançar novos lugares nas seções de plataforma ou então criar combos ainda mais intensos na hora de lutar com a gangue de Calaca.



Falando em Intenso, esse é o nome de uma das novas mecânicas da versão STCE. Trata-se de um medidor, que vai enchendo conforme o jogador derrota inimigos, e, após completar cerca de 80%, pode ativar o modo INTENSO, no qual o protagonista assume uma aparência de divindade Maia e conta com ataques bem mais poderosos, menor gasto de estamina, maior regeneração e mais resistência. Além do INTENSO, a nova versão ainda conta com os outros conteúdos adicionais, como mais um arco que estende a história, novas áreas (como o vulcão espertamente nomeado “Pico de Gallo” — uma pimenta, para quem não sacou), novos inimigos e até mesmo novos chefões. Como era de se esperar, o jogo ainda conta com diversos upgrades para o personagem escondidos pelo cenários e outros que podem ser comprados, aumentando assim a longevidade do título para os mais complecionistas.

Apesar do "espanglês" presente na versão orginal, o jogo ainda conta com excelente tradução para português.
O medidor de "Intenso" por exemplo vira o "Machômetro"!

O mundo dos mortos, cores vivas

O visual do jogo também é mais um de seus atrativos. Com a enxurrada de jogos indies (principalmente do gênero de plataforma) que os consoles e portáteis vêm recebendo, uma das coisas que mais propicia um destaque perante os demais é uma boa direção artística — além, obviamente, de suas demais inerentes qualidades. Guacamelee! é um jogo que soube aproveitar muito bem essa deixa. Munido do contexto mexicano, que já cedeu inspiração para o enrendo, inimigos, cenários, trilha sonora e mecânicas, o jogo aproveita de todo o clima festivo e de cores fortes e super saturadas que é o Dia de los Muertos. Contando com várias linhas retas e pouquíssimas curvas — além de belíssimos efeitos especiais — a direção de arte é singular e se destaca muito (positivamente, é claro) até mesmo de títulos AAA.


Os cenários, além de belíssimos e super criativos, também proporcionam altas doses de risadas. Ao longo das fases, é possível ver dezenas de cartazes, estabelecimentos ou ornamentos que fazem referências a dezenas de títulos. Panfletos promovendo lutas como “Mega Hombre vs. La Mascara” (Mega Man vs. Majora’s Mask), outdoors com “Bust it Bill” (Wreck-it Ralph) e propagandas da comida de gato “Gato Gruñon” (Grumpy Cat) fazem referências a dezenas de jogos, filmes, HQs e memes da internet, promovendo assim um show à parte. Isso sem mencionar momentos especias no qual derrotamos um chefe jogando-o na lava e somos informados que “nossa princesa está em outro castelo” ou as diversas estátuas Chozo que liberam golpes novos para o protagonista ao serem destruídas.

Última rodada: El Luchador Enmascarado vs. Guerrero Pala

As mecânicas de transporte do mundo dos vivos e dos mortos, que alteram as plataformas e inimigos presentes, o modo multiplayer para duas pessoas na mesma tela e a excelente incorporação dos golpes especiais tanto no combate quanto nas sequências de plataforma já fazem de Guacamelee! um excelente jogo. A direção de arte e dezenas de referências contribuem ainda mais para sua grandiosidade, mas o jogo ainda conta com algumas falhas. A sua curta duração (mesmo com o conteúdo adicional da versão STCE) e o confuso e mal-acabado mapa (que é um pecado para um metroidvania e que é a única utilização que deram para o GamePad, fora o Off-Tv play) impedem que ele atinja seu potencial máximo.


Entretanto, os pequenos defeitos de Guacamelee! Super Turbo Championship Edition, que, caso os desenvolvedores se interessem, podem ser facilmente resolvidos com updates e DLCs, não estragam a ótima experiência que é o título. Com sequências de plataforma gratificantes e um combate muito divertido, depois que se aprende a emendar combos usando as habilidades disponíveis, Guacamelee!, apesar da proposta diferente, rivaliza com Shovel Knight pelo título de melhor jogo de plataforma de eShop do Wii U e também por qual será merecedor do seu dinheiro (já que ambos têm o mesmo preço). Embora seja um jogo relativamente fácil para os padrões do gênero e não conte com outros níveis de dificuldade desde o começo, o investimento de quinze dólares é efêmero perante a diversão que o jogo proporciona e ainda trata-se de uma ótima alternativa para os fãs que há tanto esperam um Metroid 2D novo. Baixe o seu assim que possível e tenha muchas luchas, mi compadre. Hasta la vista!




Prós

  • Incorporação das mesmas mecânicas nas seções de combate e plataforma;
  • Sistema de combos simples, porém profundo;
  • Direção de arte e contextualização mexicana dão um novo ar ao gênero;
  • Level design inteligente;
  • Referências hilárias a memes, jogos e afins;
  • Grande quantidade de coletáveis difíceis de se encontrar.
  • Excelente tradução para português
  • Um dos poucos títulos do gênero que conta com multiplayer

Contras


  • Baixo nível de dificuldade e incapacidade de alterá-lo antes de zerar o jogo;
  • História clichê, apesar de bem adaptada;
  • Mapa confuso;
  • Pouca utilização do GamePad.


Guacamelee! Super Turbo Championship Edition — Wii U (eShop) — Nota: 9


Revisão: Alberto Canen
Capa: Stefano Genachi

Hugo H. Pereira cursa artes conceituais nos EUA e atua como ilustrador e redator no Blast. Quando não está colocando seus desenhos no Facebook, está gritando "Objection" por ai ou resolvendo enigmas com o Professor Layton.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais