Vem aí

Prévia: Kirby and the Rainbow Curse (Wii U) inova sob velhas mecânicas

Modelado à mão e colorido pelo arco-íris, Kirby and the Rainbow Curse está chegando ao Wii U.


2015 será um ano especial para o Wii U. Grandes lançamentos das principais franquias da empresa chegam ao console. A primeira delas é Kirby. Anunciado durante a última E3, Kirby and the Rainbow Curse pegou todos de surpresa durante a maior feira de jogos do planeta. O jogo é desenvolvido pela HAL Laboratory e mistura elementos de toda a série, com destaque para Kirby Epic Yarn (Wii) e Kirby Canvas Curse (DS). O resultado é um título belíssimo. Feito completamente de massa de modelar e usando o GamePad como poucos, a primeira aventura de Kirby em HD promete desafio e originalidade, com doses de fofura e diversão cooperativa.

Elite Four
Ao lado de Link, Fox e Yoshi, o herói cor de rosa será parte da linha de frente da Nintendo em 2015, com Kirby and the Rainbow Curse. Com exclusivos de peso, as esperanças para este ano são altas, mesmo para nós, brasileiros órfãos da empresa. Podemos esperar um ano cheio de novidades e jogos com a qualidade de excelência que esses nomes carregarão. Kirby, é a sua vez!
Kirby foi uma das novidades da E3 2014.

Sem cores no mundo de massinha

Era um dia normal no planeta Popstar. Flores, borboletas, árvores e tudo mais estavam em máxima harmonia, tempo perfeito para pescar e comer algumas maçãs. Isso era o que os nossos heróis pensavam. Em meio às suas atividades matinais, Kirby e Waddle Dee são surpreendidos por uma fenda no céu. Aos poucos o buraco vai tomando grandes proporções e dispara um raio em direção aos campos floridos do pequeno planeta, absorvendo todas as cores do lugar, inclusive seus habitantes mais ilustres, deixando a bela terra dos sonhos sem vida.

Essa dupla promete.
Tudo parecia perdido, até uma pequena fada em forma de pincel sair de dentro da fenda, fugindo de uma criatura feita apenas de duas mãos com olhos (seria um irmão da Master Hand?). Quando está prestes a ser capturada pelo vilão, a fadinha esbarra em Kirby, completamente sem vida e cor, e resolve dar algumas pinceladas cor de rosa na bolinha, trazendo-o de volta à vida, assim como seu ajudante, que logo retorna ao normal e já dispara um golpe certeiro “na mão”, botando o inimigo para correr.

Desesperados com a triste situação do seu lar (sem cor), os mocinhos escutam os pedidos da fadinha e partem na missão em busca de trazer as cores de volta ao seu mundo. Com seu poder de criar “caminhos” com as cores do arco-íris, nossa ajudante mágica trilha a rota até a fenda e é aí que a aventura começa.

Uma nova terra dos sonhos

Desde as primeiras imagens divulgadas, a primeira iteração de Kirby no Wii U tem chamado bastante atenção dos jogadores, seja pela sua jogabilidade baseada inteiramente no GamePad, ou pela originalidade da sua beleza singular. Continuando com o estilo de gameplay visto em Canvas Curse, o jogo adiciona um olhar artístico diferenciado, misturando um mundo completamente feito de massinha de modelar com a jogabilidade baseada no uso da caneta Stylus na tela de toque, onde precisamos desenhar linhas da cor do arco-íris para que Kirby interaja com elas.
Em vários momentos precisaremos mover blocos, acertar inimigos e clicar na bolota rosa para atacar — tudo com a caneta Stylus no GamePad.
O poder de absorção infelizmente não estará disponível neste game, mas as formas de transformações seguirão linha semelhante a Epic Yarn (Wii), no qual Kirby adquire formas de submarino, foquete e tanque, mudando um pouco a jogabilidade, criando assim novas alternativas de gameplay e desafios. Além da opção para um jogador, também será possível dividir a aventura com outros três amigos. Enquanto um desenha o caminho para Kirby, os outros três jogam como Waddle Dees, ajudando no desfecho do estágio, seja carregando o herói principal ou atacando os inimigos.
Jogue como quiser
O GamePad será obrigatório durante a jogatina, ou seja, o jogador só poderá controlar Kirby fazendo uso da tela de toque. Porém, os outros três jogadores terão liberdade de escolher uma entre as várias opções de controle, como o Wii Remote, o Wii U Pro Controller ou o Classic Controller Pro.
Como um toque mágico, o jogador precisa desenhar linhas na tela do GamePad para criar cordas da cor do arco-íris para mover o adorável Kirby pelos cenários.
No modo cooperativo, teremos algo semelhante ao que vimos em New Super Mario Bros. U (Wii U), em que um jogador fica com o GamePad, neste caso, controlando indiretamente Kirby, realizando os comandos na tela de toque ao traçar linhas sobre as quais o protagonista passará rolando. Enquanto isso, os outros jogadores controlam, por meio de um dos tipos de controle disponíveis, diferentes versões entre si do Waddle Dee, podendo carregar e ajudar o herói principal nas diversas tarefas do jogo, passando por obstáculos, coletando itens e peças colecionáveis.
É possível utilizar seu amiibo em kirby and the Rainbow Curse .
Com ajuda de um bom amiibo
Parece que a aposta da Nintendo nos amiibo tem dado certo. Em Kirby and the Rainbow Curse, será possível utilizar o jogo em conjunto com os bonecos da séries Kirby já lançados, Além da bolota rosa, contamos com Meta Knight e King Dedede. O amiibo de Kirby permitirá ao jogador utilizar o ataque Star Dash a qualquer momento; Meta Knight, além de emprestar sua máscara para Kirby, aumentará o status de ataque; enquanto King Dedede empresta sua touquinha e proporciona uma barra de energia maior.
Uma das novidades principais do título foi a arte utilizada com base em massa de modelar. É uma mistura exótica, mas que resultou numa arte belíssima e original.
Tudo na tela
Com jogabilidade similar ao seu antecessor no DS, o personagem deve utilizar a Stylus para interagir com a tela de toque do GamePad, onde precisamos traçar os caminhos a serem percorridos por Kirby, ou tocar nele para que golpes sejam desferidos em seus inimigos ou em barreiras. 
O título usará o GamePad como parte fundamental da jogabilidade. Será necessário guiar o Kirby bolinha pelos diversos cenários criando caminhos e apontando direções, tudo na tela do controle.

Controlando a bolota rosada

Além de fazer o personagem se mover pelo cenário, a energia “arco-íris" também pode ser utilizada para interagir com o cenário, modificando a trajetória dos inimigos, defendendo Kirby de ataques e mudando cursos de vento ou a trajetória da água. E é com essa habilidade única que você precisará concluir os estágios do jogo enquanto coleta tesouros escondidos e estrelas.

Por sua vez, são com essas pequenas estrelas espalhadas no estágio que Kirby ganha mais um poder. Coletando cem delas, basta clicar e segurar a caneta sobre seu corpo para que ele cresça e saia destruindo tudo pelo caminho, ricocheteando pelas paredes até o poder acabar.
4x alucinante.
Loucuras cooperativas
Assim como na série New Super Mario Bros., o modo cooperativo promete altas doses de risos. Os jogadores poderão pegar e arremessar o companheiro para outro player. Dá até pra fazer uma zoação com quem estiver controlando Kirby (o único que pode ser jogado pelos outros), e deixar o coitado do player 1 indo de um lado para o outro no cenário. Mas caso você e seus amigos sejam jogadores sérios (coisa que eu duvido), dá para usar essa interação entre os quatro jogadores em estratégias para alcançar itens e lugares inacessíveis à primeira vista.

Um herói em transformação

Quando o assunto é transformação nos videogames, parece que poucos levam tão a sério quanto Kirby, um dos principais e mais mutáveis mascotes da Nintendo desde seus primeiros passos no mercado de jogos eletrônicos. Mas não é para menos. Seu corpo flexível o permite adquirir praticamente qualquer forma, transformando-se em versões dos inimigos que ele engole e absorve o poder.

De Link, cozinheiro, cantor, até bola de fogo e cabelos de plasma, praticamente nada mais é surpresa nas suas formas. Mas as mudanças de visual não ficam restritas apenas ao seu próprio corpo. Seus jogos são um excelente local de experimentações artísticas e conceituais.
Espere por muitos desafios nessa aventura.
Lançado no início da vida do Nintendo DS, Kirby Canvas Curse fazia questão de usar e abusar dos recursos do novo portátil, unindo, como poucos jogos, as duas telas do videogame. Agora, com a escassez de títulos que demostrem um uso criativo das funcionalidades do GamePad, inclusive os da própria empresa, a Nintendo ressuscitou a velha fórmula e a atualizou com gráficos estontantes e uma jogabilidade que promete encher de arranhões a telinha do seu controle.

Nessa aventura não temos o poder de nos transformar de acordo com as habilidades dos inimigos sugados. Ao invés disso, temos uma mecânica semelhante à de Epic Yarn, no qual podemos nos transformar em espécieis de veículos em fases específicas.
A bolinha sempre foi alvo de muitos experimentos em jogabilidade, desde “Kirby Dream Course” com seus ares de golfe no Super Nintendo até “Kirby’s Epic Yarn” com seu estilão de lã no Wii.
Kirby Tank — com altíssimo poder de fogo, o tanque rosado continua seguindo em frente e cabe ao jogador clicar na tela onde desejar que o personagem mire e atire.

Kirby Submarine — Exclusivo de fases subaquáticas, Kirby ganha uma maior mobilidade nas águas e a capacidade de soltar torpedos.

Kirby Rocket — Voando em linha reta, cabe ao jogador criar curvas e ângulos com seus caminhos de arco-íris para alterar a trajetória de Kirby e guiá-lo pelas fases.

É melhor você se prevenir e comprar uma película para o seu GamePad, caso não queria ver ele cheio de arranhões depois de algumas horas de jogo.
Preto e branco, colorido, 2D, 3D, desenhado à mão e até feito de lã, Dream Land parece mais uma exposição de arte quando recordamos os cenários dos jogos do rosadinho. E quando pensávamos que Epic Yarn seria insuperável em originalidade de designer, a Hal Laboratory recria todo o universo multicolorido da série usando massa de modelar. Neste jogo, tudo é feito de massinha — menus, cenários, inimigos, efeitos especiais e o protagonista.

É impressionante a qualidade e a atenção aos detalhes. Nada é completamente liso e repetido. Parece que tudo foi realmente modelado à mão. Cada cantinho tem uma marca de unha e amassa como se fosse massa de verdade quando passamos. O cuidado foi tão grande, que a Nintendo teve a atenção de pular alguns frames nas animações dos objetos para que pareçam uma animação stop motion.

Artisticamente inovador, mas com velhas mecânicas

Não se engane com o visual infantil e caricato do jogo. Provavelmente a Nintendo dever ter aprendido a lição com Epic Yarn (lindo, mas muito fácil), e provavelmente acrescentou um pouco mais de desafio. Neste ponto, o novo título deve se assemelhar mais com sua inspiração do DS, que exigia mais habilidade e reflexos do que a maioria dos jogos da série.

Para manter a tradição dos últimos títulos do Kirby, podemos esperar uma enorme quantidade de conteúdo colecionável, exigindo que o jogador gaste algumas boas horas explorando todos os mundos do jogo na tentativa de completá-lo 100%. Todavia, nem é o visual mais infantil do jogo que tem deixado com uma pulga atrás da orelha naqueles jogadores que se autodenominam Hardcores ou puristas. Na verdade, o jogo passa a impressão de ser um título muito simples, com uma mecânica vista pela primeira vez há quase uma década.
Você vai precisar ficar atento às linhas que você pincela no cenário, pois elas desaparecem com certa velocidade. 
De encher os olhos
O cenário parece que foi feito realmente à mão. Os objetos, árvores e cada mínimo detalhe balança, amassa e se move com tanta delicadeza e maestria que impressiona. Os efeitos de luz e sombra trazem ainda mais profundidade, e quando combinados com a retirada de alguns frames na movimentação de objetos e personagens, cria uma atmosfera única, transformando a aventura quase num filme Stop Motion. 
Não pense que será tarefa fácil completar o jogo com 100%.
Mas mesmo com os preconceitos, dúvidas e a inevitável ansiedade pela primeira aventura de Kirby no Wii U, uma coisa é certa: sua tradição de décadas garante que o título será indubitavelmente um jogo divertidíssimo e trará vários momentos inesquecíveis, sozinho ou com os amigos. Afaste os móveis da sala, convide aquela turma bacana e se prepare para encarar os desafios em forma de massa de modelar com Kirby e seus amigos, exclusivamente no Wii U.

Kirby and the Rainbow Curse  — Wii U
Desenvolvimento: HAL Laboratory
Gênero: Plataforma
Lançamento: 20 de fevereiro de 2015
Expectativa: 4/5

Ítalo Chianca escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais