Vem aí

Prévia: The Legend of Legacy (3DS) promete uma aventura clássica e desafiante

Explore uma enigmática ilha no novo JRPG da Atlus para o portátil da Nintendo.


Os RPGs atuais são repletos de tramas elaboradas e sistemas de batalha que lembram jogos de ação. The Legend of Legacy, futuro título do gênero para 3DS, tenta resgatar as aventuras da década de noventa com sua história simplificada, complexos sistemas de combate por turnos e alto desafio. Considerado um sucessor espiritual da série SaGa, o jogo tem tudo para agradar os fãs de RPGs clássicos e até mesmo novatos.


Uma equipe importante participou da produção do jogo: o ilustrador Tomomi Kobayashi (da série SaGa), o compositor Masashi Hamauzu (SaGa, Final Fantasy XIII), o roteirista Masato Kato (de Chrono Trigger), o designer Kyoji Koizumi (da série SaGa), e Masataka Matsuura (999: 9 Hours, 9 Persons, 9 Doors). Para o lançamento ocidental, a Atlus prometeu alguns ajustes na jogabilidade.

Desbravando uma ilha misteriosa

The Legend of Legacy tem como palco a terra de Avalon, uma ilha que supostamente emergiu do fundo do oceano. Pouco se sabe sobre o local, mas lendas antigas dizem que um artefato mágico chamado de O Cálice Sagrado está escondido lá. Sendo assim, aventureiros do mundo todo decidem explorar a ilha em busca do item e de vários outros tesouros. A variedade de heróis é grande: temos a clássica garota com amnésia, um caçador de recompensas e até mesmo um príncipe-sapo de um reino perdido.

A premissa do jogo é toda centrada na história da ilha. O foco é justamente a exploração: escolha um dos sete protagonistas disponíveis, monte um grupo e desbrave Avalon. Cada um dos heróis é bem único e bem construído, mas a trama é mínima. O personagens têm como objetivo explorar as várias ruínas da ilha em busca de segredos e de informações. Além disso, será necessário também desenhar mapas e marcar pontos de interesse — os comerciantes têm muito interesse em saber a topografia do lugar. A história não é linear e o próprio jogador tem que associar as informações necessárias para entender o que aconteceu em Avalon.

Para deixar a sensação de exploração mais forte, The Legend of Legacy usa um recurso interessante: objetos do cenário como árvores, pedras e ruínas emergem aos poucos, conforme os personagens avançam pelos cenários — lembra muito aqueles livros pop-up. Por remeter aos RPGs da década de noventa, os personagens têm cabeças grandes e características visuais marcantes.

Combates estratégicos e muitos sistemas

A ilha de Avalon não é tão pacífica assim: o lugar está infestado de monstros. Sendo assim, os heróis precisam enfrentá-los para prosseguir. O combate de The Legend of Legacy é por turnos e tem uma série de recursos únicos.

O mais interessante deles é a disposição dos heróis durante os embates. Dependendo da formação escolhida, cada personagem assume um papel em combate: ataque, defesa ou suporte. Heróis na posição de ataque têm maior força; já personagens na função de defesa conseguem absorver mais dano; o papel de suporte é balanceado e ideal para ajudar os outros dois. É possível fazer várias combinações de formações e as posições podem ser alteradas no início de cada turno. Esse sistema de combate, na essência, lembra o Paradigm Shift de Final Fantasy XIII (Multi).


O desenvolvimento dos personagens é outro ponto diferente. Ao contrário do que acontece em outros RPGs, The Legend of Legacy não tem sistema de níveis: os heróis se fortalecem de acordo com as ações de batalha. Se um personagem utilizar muitos ataques físicos, ele receberá mais pontos do atributo força; se um outro herói priorizar o uso de técnicas especiais, suas estatísticas especiais serão melhores; e assim por diante. Os equipamentos não têm restrições e todos heróis podem usar qualquer tipo de arma ou armadura. É um sistema bem livre e que permite criar personagens bem distintos entre si.

Além disso, existem vários outros sistemas: contratos com espíritos elementais, técnicas recebidas de armas, HP máximo que é reduzido em certas situações e assim por diante. Dominar tudo isso é um dos grandes desafios de The Legend of Legacy.


Será importante ficar por dentro de todos estes detalhes. O motivo disso é que o jogo é bem difícil. Os encontros são aleatórios e inimigos comuns podem dizimar facilmente um grupo desavisado. Para deixar as coisas ainda mais complicadas, os calabouços e ruínas estão repletos de pequenos chefes: são versões bem mais fortes dos inimigos normais que atacam de surpresa. Os picos de dificuldade e a velocidade da ação nos combates foram muito criticados pelos jogadores japoneses e provavelmente a Atlus fará ajustes nessas áreas para o lançamento ocidental.

Exploração promissora

The Legend of Legacy promete ser uma aventura bem divertida e única. O título terá um grande mundo para explorar, muitos protagonistas para controlar e vários recursos interessantes de combate e evolução de personagens. A alta dificuldade e o sistema de combates por turno poderão assustar alguns jogadores, mas os possíveis ajustes para o lançamento ocidental prometem amenizar estes detalhes. Por conta de tantas qualidades, The Legend of Legacy tem tudo para ser mais um ótimo RPG para o portátil.
The Legend of Legacy - 3DS
Desenvolvimento: FuRyu/Atlus
Gênero: RPG
Lançamento: 13 de outubro de 2015
Expectativa: 3/5
Farley Santos é brasiliense e gosta de explorar games obscuros e pouco conhecidos. Fã de Yoko Shimomura e Motoi Sakuraba, é apreciador de boardgames, game music, fotografia, livros e animes. Além de mostrar seus cliques no Flickr, tem também um blog onde escreve sobre inúmeros assuntos.

Comentários

Fórum
Google+
Facebook


Últimas do Fórum

Ver mais

No Facebook

Ver mais