Próximo The Legend of Zelda do Switch fará uso do recurso HD Rumble

Aonuma revela interesse em usar o recurso, mas já adianta: o novo Zelda do Switch está longe de acontecer.


The Legend of Zelda: Breath of the Wild nasceu como um jogo exclusivo do Wii U. Durante o seu desenvolvimento, a Nintendo chegou a utilizar a tela do GamePad, exibindo um mapa em tempo real e inclusive com suporte a touchscreen. Entretanto, como o título também acabaria chegando ao Switch, a equipe de desenvolvimento removeu esses recursos para deixar as duas versões idênticas.


Em entrevista ao GameReactor, Eiji Aonuma falou sobre o desenvolvimento de Breath of the Wild. O produtor revelou que, além de remover os recursos do Wii U, não pôde utilizar as características únicas do Switch, como o recurso HD Rumble, para não haver diferenças entre as versões. "Para dar um exemplo concreto, há o que chamamos de 'vibrações HD' que são específicas do Switch e que permitem que você quase experimente o que o personagem sente quando toca em algo, por exemplo, quando você pega um objeto na mão, pode senti-lo graças a essas vibrações. É uma abordagem bastante interessante, adiciona mais realismo, e simplesmente seria necessário desenvolver cenários em volta disso. O verdadeiro problema que tornou impossível o uso desta tecnologia, não é tanto um problema de tempo, é que teríamos muitas diferenças com a versão de Wii U e ambas teriam de ser jogos idênticos", explicou Aonuma.

O produtor reforçou o interesse em usar o recurso HD Rumble no próximo Zelda do Switch. "Agora que podemos nos libertar dessa conexão, dessa restrição, e como o Switch está se desenvolvendo bem, poderemos usar isso no próximo Zelda", revelou Aonuma. Porém, ele adiantou que um novo Zelda para o console híbrido da Big N está longe de acontecer. "Não temos planos para um futuro Zelda, ainda estamos longe disso tudo, infelizmente. Hoje, eu estou em um momento de tentar reunir uma série de ideias para uma sequência, mas não posso fazer isso sozinho. É muito trabalho que terá que ser feito durante um longo período de tempo e ainda estamos longe de planejar qualquer coisa. Dê-nos um pouco de tempo", disse.
O HD Rumble do Switch gera vibrações em diferentes níveis de intensidade e pontos
Ao ser questionado se pretende incluir alguma mudança de jogabilidade para adaptar o próximo Zelda para o lado portátil do console, Aonuma explicou que seria difícil trabalhar recursos de jogos portáteis anteriores, mas que mudanças podem ser feitas para o Switch. "É difícil trazer as especificações dos velhos portáteis. Por exemplo, para o 3D, tudo que era típico dos jogos portáteis com efeito 3D não será possível duplicá-lo. Cada hardware é diferente. Dito isso, algumas mudanças são possíveis. Por exemplo, Ocarina of Time e Majora's Mask, que eram originalmente jogos para consoles de mesa, foram suavemente para as duas telas do 3DS e isso nos permitiu exibir um mapa na tela inferior, tornando o jogo mais acessível e confortável. Então, esses tipos de mudanças podem encontrar um caminho para o Switch se acharmos uma maneira de fazê-lo".

Ainda estamos distantes do novo Zelda do Switch, mas já sabemos que o HD Rumble será utilizado. Enquanto isso, Aonuma está trabalhando no desenvolvimento do Champions' Ballad, o segundo DLC de The Legend of Zelda: Breath of the Wild.

Alex Sandro de Mattos é formado em Gestão de TI. Entre se aventurar por Hyrule e se perder em Silent Hill, gosta de publicar fatos interessantes e bobagens no Nintendo Blast. Pode ser encontrado jogando games 2D e também no Facebook.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook