O trio da criação do Universo Pokémon

O surgimento do Universo Pokémon a partir de um ovo?



Existem muitas teorias sobre a criação e o começo do Universo Pokémon. Cada região possui suas crenças e pesquisadores, a fim de entender ou identificar o que ou quem foi responsável pelo processo. Em Sinnoh temos a Cynthia, campeã da liga local como a principal referência que estuda as lendas e os registros feitos por seus antepassados na cidade Celestic, a primeira cidade fundada na região, que curiosamente fica ao pé do Monte Coronet, lugar onde podemos encontrar a passagem para o 'Spear Pillar', casa dos Pokémon Lendários que veremos hoje. Acompanhem agora, uma matéria especial sobre a criação do Universo Pokémon. Boa leitura a todos!

Apresentando o trio

O que é necessário para criar um mundo? Pergunta difícil não é? Na grande maioria das culturas, antigas ou contemporâneas, há sempre uma figura em especial responsável por iniciar os trabalhos de criação do mundo. Entretanto, realizar todas essas tarefas sozinho demandaria muito tempo e o resultado seria completamente diferente. Para isso, vertentes são criadas a partir dessa figura, a fim de auxiliarem no processo de criação: palavras como “Tempo” e “Espaço” sozinhas são muito vazias, sem significado. Um exercício simples é imaginar como seria a Terra sem chamado “Espaço-Tempo”, ou seja, não teríamos dia e noite, passado, presente e futuro… isso sem falar na possibilidade de haver uma outra realidade, que caminha paralelamente com a nossa onde tudo isso é possível. No universo Pokémon essas duas realidades existem. Na “nossa” realidade, o tempo passa e há uma evolução gradual, capaz de diferenciar o ontem do hoje e o hoje do amanhã. Os responsáveis isso chamam-se Dialga, Palkia e Giratina, que controlam respectivamente o tempo, espaço e o mundo-reverso.

Dialga

Quem já assistiu o anime Naruto reconhecerá alguns nomes citados a seguir. De acordo com o mito sobre a criação das ilhas que compõem o Japão, duas divindades, Izanagi e Izanami, foram responsáveis pelo processo: a partir de uma lança, a primeira ilha foi criada. O Dialga pode ser baseado na Izanami, conhecida por ser a deusa da criação e da morte. Seu nome pode ser a combinação de “Diamond” (Diamante), e “Ga” (Dragão). Seu tipo Steel é uma referência às engrenagens dos relógios, que em sua grande maioria, são feitas de aço. A aparência do Dialga está relacionada ao Camarassauro, um dinossauro herbívoro.
Camarassauro

Palkia

O Palkia é a representação de Izanagi, divindade responsável por outras divindades como Amaterasu, Tsukuyomi e Susanoo — mais parece a história dos Uchiha do que Pokémon… O nome “Palkia” é uma derivação da palavra pérola em japonês, ou “Pāru”. Em termos de aparência, o Palkia é uma clara referência ao Plateossauro, outro dinossauro herbívoro. É o membro do trio responsável pela manipulação espaço. Um fato curioso é o local onde podemos enfrentá-lo: o Spear Pillar, referenciando claramente a lança utilizada para a criação das ilhas.
Plateossauro

Giratina

Temos aqui o exemplo do “menino mau”. Conhecido por sua personalidade agressiva, o Giratina é o terceiro membro do trio que representa a antimatéria, que é o contrário da matéria. Após ficar muito agressivo, o Giratina foi banido para um universo paralelo, ou o “Distortion World”, em que o tempo não passa e o espaço é altamente volátil, logo, o contrário do mundo real, onde o tempo passa e o espaço é constante. Sua aparência é baseada na figura “Seta”, uma centopéia gigante dos contos de fadas do Japão. Porém, o Giratina possui uma segunda forma quando está em sua dimensão, que é a do “Amphiptere”, uma serpente-dragão alada que é vista em diversos emblemas europeus da idade média. Seu nome pode ser a combinação dos termos “Girasol”, que é a pedra opala com uma coloração avermelhada e “Purachina” (Platina em japonês).
Seta na mitologia

Todo trio tem o seu comandante

Chegou a hora da surpresa. Lembram-se que na semana passada eu disse que havia preparado uma? Para quem não leu, pare aqui, volte, leia e depois retorne a este parágrafo. Toda cultura, ou ao menos grande parte, possui uma figura, divindade ou algo que o caracterize como o centro de toda a história, ou seja, a partir dessa figura, tudo começou. No Universo Pokémon, tudo começou de um ovo. Dentro desse ovo, havia um ser capaz de criar tudo o que quisesse e da forma como quisesse. Para auxiliá-lo no processo, três pedaços foram retirados para o surgimento de Dialga, Palkia e Giratina. Todos são bem parecidos, como se fossem irmãos de um mesmo Pai. Capaz de controlar todos os 18 tipos existentes através de placas, este ser arcano de poder inigualável é o centro de tudo: direto do Hall of Origin, lhes apresento Arceus, o mestre do trio da criação.

Dharmachakra
Touro Apis
Nosso adorado Arceus tem sua origem e forma fundada em diversas figuras responsáveis pela criação do mundo em que vivemos, como por exemplo o touro “Apis” dos egípcios. Seu adorno dourado pode ser uma relação com o Dharmachakra, figura presente em diversas culturas que tem um significado aproximado como “o que é estabelecido”. Seu nome é a combinação de “Arcanus” (Arcano) e “Deus” mas também pode ser “Archeus”, um termo usado na alquimia e geralmente serve para se referir ao aspecto mais baixo e mais denso do plano astral, que preside o crescimento e a continuação de todos os seres vivos.

A jóia da vida

De fato, a história envolvendo Arceus e suas crias é uma das mais complexas no Universo Pokémon, pois ainda há muitos mistérios sobre o surgimento dos Pokémon e de como tudo foi evoluindo ao longo do tempo. Como se não bastasse uma teoria, temos duas vertentes da criação do universo: uma em Sinnoh e outra em Unova. Que tal conferirmos essa segunda teoria? Assim, cada um pode defender àquela em que mais acredita. Mas calma, não será agora...Ainda teremos uma preparação antes que essa segunda teria seja apresentada. Não deixem de acompanhar os próximos e até lá!


Revisão: Ana Krishna Peixoto
Referências: Bulbapedia

Victor Hugo Carreta escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook