A Famitsu ainda merece nosso crédito?

Quem acompanhou ontem a repercussão da surpreendente nota 40 que a Famitsu atribuiu ao terceiro Monster Hunter, percebeu que a voz quase uní... (por Gustavo Assumpção em 06/08/2009, via Nintendo Blast)

famitsu-logoQuem acompanhou ontem a repercussão da surpreendente nota 40 que a Famitsu atribuiu ao terceiro Monster Hunter, percebeu que a voz quase uníssona que se ouviu entre a comunidade gamer brasileira nas mais diversas redes sociais era: A revista perdeu o crédito.

A afirmação é um pouco dura, mas não é infundada.  É preciso ficar claro que esse descrédito não é fruto de um episódio particular. Ele vem de um processo que começou naquela inesperada nota perfeita para Nintendogs, em 2005. De lá pra cá, vimos mais cinco outros games ganharem 40 pontos (Super Smash Bros. Brawl, 428, Metal Gear Solid 4, Dragon Quest IX e agora Monster Hunter 3). Curioso pensar que o primeiro score perfeito veio em 1998, quando a revista já tinha mais de uma década de existência. Uma nota 40 era significado de um game revolucionário. Hoje não passa de sinal de boas vendas.

Um post publicado em um fórum do Select Game em 2006, deixou bem claro que a Famitsu não tem um compromisso com as avaliações técnicas.

Seu principal objetivo é simplesmente agradar o público (…) em outras palavras o amor deles é cego por Final Fantasy, Dragon Quest, Kingdom Hearts… O principal objetivo do Most Wanted semanal é de analisar de certa forma para quais games os jogadores não querem uma pontuação baixa. Esses leitores sondados são os que compram a revista e precisam ser agradados (…) Quando a Famitsu SABE que um jogo vai vender 2 milhões de cópias em uma semana eles atribuem o que pode-se chamar de um score de cortesia.

A Famitsu ganha muito dinheiro com anúncios, muito mais que as vendas totais combinadas. Quem já folheou a Famitsu sabe que é um festival de anúncios, ainda mais se comparados com o padrão ocidental.

Portando amigo, nada de endeusar a Famitsu. Ela é uma revista que não possui uma grande imparcialidade. Games muito esperados jamais receberão notas baixas com o objetivo único e simples de agradar aos leitores. O exemplo mais conciso disso talvez sejam os 38 pontos dados para o RPG Last Remnant. Enquanto no ocidente a crítica apontou dezenas de críticas, a Famitsu fez vista grossa graças a grande expectativa que existia em torno do seu lançamento por lá.

Portando vamos com calma, Monster Hunter 3 não é tudo isso.

Leia o original completo do artigo aqui.


Estudante de Jornalismo, apreciador de rock britânico, pouco cuidadoso com as palavras, rico de espírito, triste com as relações nesse mundo e esperançoso com o futuro.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


  1. Ow falou bem. Essa Famitsu não tá com nada. Chegou a dar nota baixa até para o Punch-Out!!!justamente por não ser tão aguardado no Japão.

    ResponderExcluir
  2. Mas vale lembrar que todos os sites/revistas de mais renome ou importância sempre dão notas baseadas em hype e expectativa.

    A IGN deu 8.5 para The Conduit, jogo que tiveram acesso mais cedo, acompanharam o desenvolvimento de perto e ficaram muito amigos da High Voltage.

    Isso não justificaria ignorar as gritantes falhas no game e o sentimento de jogo amador que ele passa.

    Acho que há a questão do 'negócio', de vender revista e agradar consumidores, mas também temos que lembrar que os avaliadores são humanos. Eles se empolgam, se deixam levar pela emoção e por aí vai.

    Monster Hunter 3 pode ser 40, 35, 30, o que for. Mas está na cara que é um belo jogo para o Wii - a Capcom não deixaria algo ruim estragar essa poderosa série de games. :)

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. É... e eles deram 40/40 pra Dragon Quest IX. Vale isso (alguém aí jogou?)

    ResponderExcluir
  4. Blá blá blá de nota!

    Eu não ligo, mas pra quem liga o Wii é o único com três notas 40/40...

    Hahaha! Acho que nós gamers que gostamos da Nintendo são os que menos ligam pra notas e mesmo assim conseguimos as melhores.

    Tem gente que deve ficar se roendo... =))

    ResponderExcluir
  5. A muito tempo a Famitsu deixou de merecer nosso crédito. Desde quando ela deu 40/40 por um jogo que não merecia (nintendogs), pelo simples hype de ser um jogo "invoador". Após isso começou essa besteira de 40/40 para não desapontar.
    Desses jogos que tiraram 40/40 após Nintedogs, os únicos que mereceram foram MGS 4 e MH3. Tirando o 428 que eu não joguei.
    Bom era o tempo (que eu não vivi) quando um jogo demorava 4 anos para tirar um 40/40 (OoT- WW)

    ResponderExcluir
  6. @ VilicoBra

    Ahsuahsua É mesmo. Embora a maioria dos Nintendistas não se importem com notas, são 7 games (dos 11) para consoles Nintendo que tiraram nota máxima.

    ResponderExcluir
  7. Eu discordo, acredito que o zelo com que se produz jogos hoje se reflete em notas mais altas. Ficar dando nota baixa só pra manter o estigma dos maiores escores, aí sim, seria imparcialidade. Fazer um jogo perder os pontos que merece em nome da fama da revista.

    ResponderExcluir
  8. Ok, mas não podes afirmar que Monster Hunter 3 não é tudo isso apenas porque recebeu 40 de uma revista que está perdendo os créditos.

    Não se pode afirmar nada até jogar o game!

    Para mim, o único jogo que realmente não valeu esse notão foi o recente DQ IX.

    Eu nunca vi as notas da famitsu como uma qualidade técnica, inovadora e revolucionária (embora dissessem que fosse por ai). Sempre vi como uma arte conceitual daquilo que impressiona os olhos de quem vê.

    Vide Metal Gear 4 e FF XII.

    Poderiamos até dizer que Ocarina também teve um pouco disso. Afinal em sua época não havia nada mais "bonito" em consoles.

    Nenhuma revista tem a palavra final, a palavra final deve ser sempre do jogador.

    Notas em revistas servem apenas para filtrar algumas informações, dar uma olhada, manter a mente aberta para um ou outro título que se destaca. Fazer você refletir se vai ou não comprar aquele jogo tão esperado que recebeu apenas 50% do esperado.

    Por isso sou contra notas em analises. Se as notas referidas na famitsu fossem apenas uma palavra: ""recomendado"" (e não esse 40) e hoje fosse anunciado que monster hunter está entre mais um titulo recomendadissimo, ninguém iria reclamar desta.

    -- KolnDoln

    ResponderExcluir
  9. A Famitsu é uma revista japonesa. Reflete os interesses dos japoneses. Qual o estilo mais consumido no Japão? RPG, disparado! Aquilo é outro mercado. Não é igual ao brasileiro, americano ou europeu. Não é, simplesmente. Eles gostam de outras coisas. Suas prioridades são outras. A queatão não é "a Famitsu ignora sucessos mundiais". Se é sucesso no Japão é uma coisa. Eles não ligam pro que dá certo fora. Como trata-se de OUTRO mercado, eles tem que se preocupar com o consumidor interno.
    Que adianta saber que os americanos AMAM pasta de amendoim? Só por isso devo lançar o produto no Brasil? Aqui preferem manteira, requeijão. No Japão nem preferem comer pão pela manhã. Comem arroz com peixe. Vai lá vender pasta de amendoim pros japoneses... vai!
    Entendam (e pesquisem sobre) uma palavra "mercado"! Assim vão começar a entender o mundo, não só os games...

    ResponderExcluir
  10. cambada de trouxas

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google