Blast from the Past

Blast from the Past: Castlevania (NES)

Olá, sou Thiago Barros, escrevo no blog 9Volt Game Club e estou estreando aqui no Nintendo Blast para falar da minha especialidade: velhari... (por Sonic Tales em 18/11/2009, via Nintendo Blast)

Olá, sou Thiago Barros, escrevo no blog 9Volt Game Club e estou estreando aqui no Nintendo Blast para falar da minha especialidade: velharias…

O que pretendo fazer nas minhas primeiras postagens aqui é um resumo do que se passou na série de jogos Castlevania e (tentar) esclarecer para os mais curiosos onde se encaixam os episódios na nonsense cronologia da série. Gostaria de antes compartilhar com vocês como por um acaso descobri Castlevania que acabou por se tornar um dos meus jogos favoritos. Por volta de 1989, meu tio queria me dar um presente de aniversário. Eu queria de qualquer maneira o jogo baseado no desenho Duck Tales (Capcom), mas este estava custando bem mais caro do que uns outros títulos que estavam disponíveis. Então meu tio disse que só podia pagar pelos mais baratos, e me ofereceu este tal Castlevania que eu nunca tinha ouvido falar. Na hora nem desta caixa eu gostei com um cara de roupas meio Village People e um Drácula com cara de Coringa. Mas quando eu cheguei em casa e parei pra jogar...

Storyline - Ordem Cronológica (até o momento): Episódio 7

O ano é 1691. Mais 100 anos se passaram desde última batalha da família Belmont com o Conde Vlad Tepes, o Drácula. Um período de 100 anos é o tempo que leva para o espírito do demônio voltar ao mundo dos vivos, então, mais uma vez o reino de terror é espalhado e a população entra em pânico. Para acabar com as forças do mal e seguir a tradição de sua família, Simon Belmont, bisneto de Christopher Belmont, invade sozinho Castlevania, o Castelo do Demônio, para restaurar a paz.
  • O primeiro jogo que não foi o primeiro


Esta foi a primeira versão lançada para o NES desta lendária série, e é um dos jogos mais impressionantes lançados em 1986, algo só comparável ao Super Mario Bros original. O que pouca gente sabe é que o Castlevania 1... não foi o primeiro jogo da série. Na verdade em 1985 um jogo chamado Vampire Killer foi lançado para o computador MSX, mas o jogo era muito ruim, com uma jogabilidade quase impossível de se controlar, o que levou a Konami a refazer o jogo inteiro dessa vez para o console da Nintendo na época. Deu tão certo que Castlevania virou um sucesso instantâneo. O que a Konami fez nesta reformulação foi principalmente transformar em um jogo de ação constante, sem labirintos e chaves secretas para poder prosseguir.

 

  • Gráfico e Jogabilidade

Os gráficos são um pouco menos coloridos que do MSX, porém o NES consegue colocar grandes telas completas, sem telas paradas como no Vampire Killer. Destaca-se a boa palheta de cores, pois no inicio da era do NES, havia muitos jogos com cores esquisitas, especialmente com uso de laranja e rosa. Melhorou também a jogabilidade, mas ainda assim, jogadores mais novos podem estranhar a forma de subir escadas e os pulos do personagem. Outra grande dificuldade nessa versão são inimigos pequenos como Medusa Head e Flea Man, não pela precisão de seu chicote que nesta versão ficou boa, mas esses inimigos são bem ágeis e estão colocados normalmente em partes chatas. Completando o desafio hardcore, as 6 fases do jogo devem ser vencidas na marra desde de o inicio ao fim. Nada de save, password ou cheats. Ou seja, apesar de ser um jogo curto, você não vai terminá-lo em meia hora, a não ser que tenha treinado muito, o que pode ser uma coisa boa também.

  • Trilha Sonora Memorável

Sem dúvida o que mais chama atenção nessa versão foi o trabalho feito com a trilha sonora. Os simples canais de som do NES foram muito bem explorados passando todo o clima da sinfonia sombria que é característica da série. A composição é tão marcante e bem trabalhada que em praticamente todos os jogos posteriores existem versão de Vampire Killer (música fase 1), inclusive o recente Order of Ecclesia é possível colocar opcionalmente toda trilha sonora da primeira versão durante as fases. Há ainda milhares de versões, rock, orquestradas e eletrônicas com as músicas do jogo, tanto feitos oficialmente pela Konami, quanto por DJs e maestros amadores. Deixo vocês com a Video Games Live onde eles tocam músicas das fases 1 e 3 de Castlevania 1, sempre presente nas apresentações da orquestra.

O primeiro Castlevania faz parte do time de jogos eternos, que acabam envelhecendo apenas graficamente, mas que acabamos nos pegando na madrugada rejogando e acompanhando a trilha sonora.


Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


  1. Realmente muito boa essa matéria.
    Gosto muito de matérias assim e espero que saiam mais.

    ResponderExcluir
  2. Seja bem-vindo ao Blast Thiago e parabéns pelo artigo!

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google