Nintendo é criticada por utilizar minerais de áreas de conflitos em seus produtos

Dessa vez não é o PETA e nem o Pachter, mas sim o Enough Project , um grupo que luta contra o genocídio e crimes contra a humanidade. O grup... (por Alex Sandro de Mattos em 19/08/2012, via Nintendo Blast)

A Nintendo tirou nota zero por culpa do Link que fica cavando na floresta...Dessa vez não é o PETA e nem o Pachter, mas sim o Enough Project, um grupo que luta contra o genocídio e crimes contra a humanidade. O grupo afirmou que a Nintendo é a única empresa de tecnologia que não se esforçou para identificar se utiliza minerais de áreas de conflito e de abusos de direito, como por exemplo, o que ocorre no Congo. O Enough Project classificou a Big N com uma nota zero pela recusa de reconhecer se o problema se aplica aos seus produtos.

Em sua defesa, a Nintendo afirmou que como uma empresa global, leva a sério a responsabilidade social e espera que os parceiros façam o mesmo. Em um comunicado ao CNN, canal de notícias americano, a Nintendo disse que terceiriza a fabricação e a montagem de todos os seus produtos e que, portanto, não está envolvida no fornecimento de matérias-primas utilizadas.

Sasha Lezhnev, o Enough Project, disse ao canal que a “Nintendo é a única companhia que, basicamente, recusa reconhecer o problema ou demonstra que estão fazendo algum esforço para resolvê-lo. E isso após dois anos de tentativas de entrar em contato com eles”.

As outras empresas que também tiveram uma classificação baixa foram a Canon, Nikon, Sharp e HTC.

Via Eurogamer / My Nintendo News


Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


  1. Bando de vagal sem ter o que fazer

    ResponderExcluir
  2. o que a inveja não faz né bando de invejosos ao invez de criticar a nintendo e "copiar" vão arranjar algo pra fazer.

    ResponderExcluir
  3. WTF ?!?! Foi isso mesmo que eu li ???? ¬¬'
    haters gonna envy -.-'

    ResponderExcluir

Disqus
Facebook
Google