Blast from the Past

Acelerando pela galáxia a 900 km/h em Star Wars Episode I: Racer (N64)

Desenvolvido simultaneamente com a pós-produção do Episódio I: A Ameaça Fantasma, Episode I: Racer, lançado para o Nintendo 64 em 1999, f... (por Lucas Palma Mistrello em 07/04/2013, via Nintendo Blast)


Desenvolvido simultaneamente com a pós-produção do Episódio I: A Ameaça Fantasma, Episode I: Racer, lançado para o Nintendo 64 em 1999, foi fantástico para os fãs de Guerra nas Estrelas da época e de jogos de corrida futurística. Depois de 16 anos de intervalo, a série voltava às telonas e novas mitologias eram apresentadas ao consagrado universo. Contando com uma grande variedade de pilotos e veículos disponíveis, o jogo possuiu também pistas desafiadoras que exigiam do jogador muita habilidade, pilotagem precisa e reflexos de cavaleiros Jedi. Relembre conosco Star Wars: Episode I: Racer.

Toda saga tem seu início...

Vendo hoje, com a produção de novos filmes no horizonte, séries animadas e jogos - embora a Disney não aparente estar muito interessada nos jogos da marca -, é difícil imaginar como o mundo ficou mais de quinze esperando por aventuras inéditas no universo de George Lucas. Entre 1983, com o lançamento de O Retorno de Jedi, e 1999, com o advento de A Ameaça Fantasma, fãs do mundo inteiro aguardaram ansiosamente pela "continuação" da trilogia que transformou a história do cinema.

Embora não tenha sido uma unanimidade, para quem viveu a época, a magia de ver a saga de Guerra nas Estrelas novamente nas telonas foi inexplicável. Com efeitos visuais de tirar o fôlego ainda hoje, A Ameaça Fantasma (aos que se interessarem, filme favorito na trilogia nova deste que vos escreve) apresentou novos personagens, planetas, vilões... enfim, toda uma nova mitologia ao já consagrado universo.



Star Wars: Episode I: Racer foi realizado justamente para fazer explorar essas adições ao imaginário de Guerra nas Estrelas. Durante a pós-produção do Episódio I, a (finada) Lucas Arts iniciou o desenvolvimento simultaneamente deste jogo, baseado no clímax do filme, ou até mesmo de toda a saga, pois foi na corrida de pod Racer de Boonta Eve, em Tatooine, que Anakin Skywalker faz amizade e segue viagem com Obi-Wan, Padmé e Qui-Gon e mudou o destino da galáxia.

Um esporte popular na Orla Exterior


A disputa de pod Racer consiste em uma espécie de automobilismo futurístico, onde os competidores se aventuram em circuítos extremamente inóspitos: pântanos, florestas desertos, vulcões, estações espaciais, crateras sem gravidade, túneis subaquáticos... uma infinidade de ambientes hostis. São 25 pistas disponíveis no jogo, divididas em quatro categorias, espalhadas em oito planetas diferentes pela Orla Exterior, os planetas mais afastados do centro da galáxia.
O circuito Boonta Classic é o mesmo que aparece no filme, e o mais legal do jogo, com vários desafios iguais ao das telonas, até mesmo o povo da areia atirando em sua pod!
Nestes traçados extremamente desafiadores, os corredores utilizam as fascinantes pods, que são espécie de carruagens conduzidas por, na maioria das vezes, dois motores gigantescos. Durante as corridas, o poder dos motores faz com que as pods alcancem cerca de 900 km/h, em média. Dada a natureza absurdamente rápida do esporte, são necessárias habilidades extremas de pilotagem. No circuíto galáctico de pod Racer, várias espécies alienígenas competem, mas os humanos, em especial, são raros, e considerados pilotos café-com-leite em comparação a outras raças. A única maneira dos humanos competirem igualmente é ter reflexos Jedi.

Star Wars Episode I: Racer contou com a dublagem do próprio Jake Lloyd, intérprete de Anakin Skywalker em A Ameaça Fantasma. Sua atuação rendeu o apelido de "Manequim Skywalker" pela crítica e consolidou a "maldição dos Skywalkers". Os atores que interpretaram os membros da família não conseguem sucesso após passarem por Guerra nas Estrelas, desde Mark Hamil (Luke), passando David Proswe (Darth Vader - exceto a voz), Carie Fischer (Léia), a maldição foi consolidada com o particularmente ruim Hayden Christensen (Anakin adolescente). 

Um esporte que exige reflexos de Jedi

Se em A Ameça Fantasma, Qui-Gon-Jon diz que seria necessários reflexos de Jedi para disputar as corridas de pod racer, ele diria o mesmo para jogar SW Episode I: Racer. São quatro categorias diferentes de circuitos: amadora, semi-profissional, circuíto galáctico e somente para convidados. Embora as primeiras pistas sejam relativamente fáceis, mesmo na categoria semi-profissional a experiência muda de figura, os traçados ficam mais complexos, os desafios maiores, as curvas mais fechadas e surgem atalhos e diferentes caminhos a seguir. Logo em seguida os circuitos ficam gigantescos, levando vários minutos para completar a prova, e qualquer erro de pilotagem pode levar à destruição de sua pod.


Para enfrentar desafios cada vez mais difíceis ao longo de sua carreira como piloto intergaláctico é necessário estar sempre fazendo a manutenção e a melhoria do seu veículo, comprando peças novas ou semi-novas. No jogo, você tem a oportunidade de comprar novos componentes ou usados, que saem mais baratos, mas não têm o mesmo efeito e resistência. O dinheiro é conquistado a cada vitória ou colocação conquistada, e antes de cada prova, você decide o quanto quer apostar em você: pode querer correr com todo o prêmio destinado ao primeiro colocado ou dividido entre os três primeiros.

Sendo assim, a jogatina pelos circuítos ao redor Orla Exterior exige planejamento do jogador, tanto no aspecto financeiro como no competitivo. Pelas características da pista, o corredor precisa escolher quais as melhores peças a serem compradas, para melhorarem determinadas características da pod (velocidade, aceleração, dirigibilidade, estabilidade, dentre outras) necessárias para melhor desempenho em cada pova.


E a vitória nunca vem fácil, com as pods andando andando numa média de 900 km/h, mas atingindo picos superiores a 1.000 km/h, é necessária, muita, mas muita precisão na pilotagem. Para fazer uma curva perfeita, o piloto deve desacelerar (como nos jogos de corrida convencionais), mas também executar uma série de manobras: é possível fazer com a pod "deslize" - quase como um "drift" - como também pode ser preciso inclinar o eixo do veículo para esquerda ou para direita. Qualquer erro não apenas te deixa comendo poeira, como pode destruir sua pod instantanemente, o que deixa anda mais atrás na corrida.

Um dos legados de Guerra nas Estrelas e da LucasArts

A recentemente finada LucasArts (fechada pela Disney) fez um trabalho fenomenal neste jogo. Os controles que, devem ser precisos, respondem tão precisos quanto deveriam, o que é um desafio e tanto para a complexa pilotagem. Explorando, também, o potencial da alavanca analógica, marca do Nintendo 64. E toda a jogabilidade trabalha também nesse limite como foi transtimida a experiência de correr de pod pelo filme, sempre exigindo do jogador os reflexos Jedi de Anakin. Isto não apenas nas corridas em si, com seus circuítos complexos e desafiadores, mas também com o planejamento da manuntenção do veículo (levando em conta também a existência de 25 carruagens diferentes para jogar).

Episode I: Racer Foi um dos jogos do Nintendo 64 a utilizar o Cartucho de Expansão para melhoria do desempenho. Contou também com gráficos e efeitos sonoros arradores para época, e, embora trilha sonora um pouco repetitiva, possuiu uma dublagem um tanto quanto bacana. Tendo o próprio Jake Llodyd dublando Anakin, também investiu na dublagem dos demais alienígenas, que mesmo pronunciando idiomas incompreensíveis, a entonação das falas nos permite ter ideia quase perfeira do sentido de suas falas. Quando joguei na adolescência (e até hoje para ser sincero) me pegava repetindo as falas dos extraterrestres durante o jogo.

Circuito de Abyss em Ord Ibanna, um dos mais difíceis.
Figurando na oitava posição de nosso Top 10: Melhores jogos de Guerra nas Estrelas, é mais um exemplo perfeito de jogos baseados em filmes, que tanto a LucasArts nos ofereceu com Star Wars. Ainda hoje é o jogo de corrida futurística mais vendido de todos os tempos (segundo o Guiness), estando à frente de consagradas séries como a nossa F-Zero e Wipeout da concorrência. Também foi portado posteriormente para PCs e DreamCast (além de uma versão para GameBoy Color), mas é, sem dúvida, no Nintendo 64 que ele brilhou, tornando-se um título obrigatório para os fãs do console e, claro, de Guerra nas Estrelas.


Star Wars: Episode I: Racer - Nintendo 64. LucasArts: 1999
Revisão: Jaime Ninice

Capa: Welligton Aciole

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.


Disqus
Facebook
Google