Jogamos

Análise: A febre de super heróis não morreu em LEGO Marvel Super Heroes: Universe in Peril (3DS)

Parece que faz muito tempo, mas foi em 2012 que The Avengers chegou às telonas. Apesar de todo o hype e as pessoas citando ele como film... (por Unknown em 02/01/2014, via Nintendo Blast)

Parece que faz muito tempo, mas foi em 2012 que The Avengers chegou às telonas. Apesar de todo o hype e as pessoas citando ele como filme do ano, eu não me empolguei tanto assim. Como disse para alguns amigos na época, isso aconteceu por eu estar totalmente fora do ritmo das histórias de heróis que haviam tomado conta do cinema há algum tempo. Eu assisti Thor e Hulk, que convenhamos, foram os filmes mais fracos. Apesar de não acreditar que uma sequência terá o mesmo sucesso do primeiro filme, eu fui assistir os predecessores, como Iron Man, e amei. Se você, assim como eu, teve mais contato com os filmes, não ficará perdido em LEGO Marvel Super Heroes: Universe in Peril.

Todos precisamos de heróis

Como podem ver, meu nome é Jameson. Somado ao nome de minha irmã, Mary, dá pra ter uma noção de como meu pai é fã do cabeça-de-teia. Por ter nascido no fim dos anos 80, minha experiência com comics se resume aos meados da década de 90. Mas não precisa conhecer os quadrinhos para saber que Marvel e DC Comics são os nomes mais fortes quando a temática é super-heróis. Com o passar do tempo eu acabei me interessando pelo conteúdo da Vertigo, e deixando os super heróis de lado - tanto que nem acompanhei os filmes até o lançamento de The Avengers. Sou cercado por pessoas que apesar de conhecerem heróis, saberem seus nomes, não conhecem detalhes de suas histórias e não liam comics, mas passaram a entender mais sobre eles por causa dos filmes lançados nos últimos anos.

Minha questão é: o que faz pessoas gostarem tanto de heróis? A conclusão mais simples que chego é o fato de todos terem problemas e dificuldades que muitas vezes parecem insuperáveis. A fantasia do herói pode vencer qualquer desafio pode ser confortante. Ao mesmo tempo, esses personagens provocam nas crianças (que são facilmente influenciadas) uma chama de coragem e bravura para defender o que é importante e correto. Por fim, acabamos sendo todos heróis, mas sem os poderes especiais. Há quem se identifique mais com o esquentado Hulk,  "certinho" Captain America, ou com o malandro Iron Man. E por falar em Iron Man, o Tony Stark do jogo é baseado no personagem dos filmes. Por isso disse: se você tem uma experiência mais próxima com o filme, gostará do jogo.

Um vilão surge para dominar o mundo

A introdução para história do jogo é um tanto quanto longa, mas nada além dos muitos RPGs que já conhecemos. A história em si é bem simples e genérica: o vilão Dr. Doom decide criar um raio comicamente chamado de Dr. Doom's Doom Ray of Doom. E digo "comicamente" por ser uma das coisas que já me arrancou risos. A personalidade de Loki, sendo "sério" e irônico, dá aquele toque final aos vilões. Sim, tem o Magneto também, mas esse é o mais chato dos três. Pela linha da história dos comics, essa acontece exatamente depois do filme. Então, mais uma segurança de que se você assistiu apenas os filmes e não conhece comics, vai se divertir. Algo que pode chamar atenção de leigos é o Spiderman estar como personagem jogável. Ele não apenas é um personagem da Marvel, mas também faz parte do grupo Avengers. O Aranha não apareceu no filme pelos direitos de exibição do personagem nas telinhas serem da Sony Pictures (e que aliás, até lançou o "The Amazing Spiderman" recentemente).

Por falar em direitos, eu não esperava um jogo LEGO com personagens da Marvel justamente por questões de licenciamento. Após termos um jogo do Batman (DC Comics) em LEGO, as chances pareceram menores ainda. Mas como vivemos em um mundo onde tendo dinheiro tudo é possível, aqui está LEGO Marvel Super Heroes.

Sim, um jogo de 3DS

Mesmo com a existência dele confirmada, surgiu outro receio: multiplataforma. Sendo um título multiplataforma, eu não esperei tanto carinho e atenção para a versão de 3DS. O jogo chegou em outubro ao 3DS e no mês seguinte iria para o consoles da geração atual, sendo que em breve ainda terá a versão de DS (como assim?). Vocês devem entender minha preocupação de que a versão do 3DS fosse apenas um port daquelas para console de mesa. Foi uma expectativa real, porém desnecessária, já que a Traveler's Tales passou confiança em seus jogos de LEGO. Certamente os momentos de cinematic são bem fracos e nos lembram que estamos jogando em um portátil, mas nada além disso. LEGO Marvel Super Heroes: Universe in Peril usa o 3D do portátil como muitos títulos de peso não fazem. Não é algo desnecessário ou chamativo, mas bem preciso, simples e que mostra o potencial do 3DS.

Não apenas pelo uso do 3D que podemos elogiar esse título, mas também devido aos controles que apresentam ele como um legítimo jogo de 3DS, não um port qualquer. Quer voar com Iron Man? Risque a tela inferior na vertical. Fazer um ataque em equipe? Toque na foto do seu parceiro na tela inferior. Nada muito complexo, mas simples e intuitivo. A segunda tela serve exatamente como um suporte, algo que você toca brevemente sem desviar o foco da tela superior, onde a ação corre em um cenário vivo e realmente atraente. Por falar nele, há muitos "coletáveis" e pequenas missões que permitem a você retornar diversas vezes para completar a missão, pegando tudo o que precisar. Só isso basta para dar aquele efeito "replay" ao jogo, mas mesmo completando todos os colecionáveis, ainda fica uma sensação de "já acabou". Não significa que ele é curto, pelo contrário: tem a competência de divertir até o final, sem vacilar nesse quesito.
LEGO Marvel Super Heroes: Universe in Peril é um jogo que me pegou desprevenido. Ele tem ótimo humor, ação, e consegue divertir por longas horas. É aquele jogo capaz de te entreter numa viagem chata de 12h e certamente fará o tempo valer a pena. Se você acabou de assistir The Avengers, ele é uma boa opção, ou ainda caso simplesmente goste de histórias de super-heróis e personagens da Marvel e sentiu falta de Spiderman ou Wolverine no filme.


Prós


  •  Excelente uso do 3D
  •  Controles simples e intuitivos
  •  Diversão sem precisar conhecer toda história das comics

Contras


  •  Loading demorado quebra o clima algumas vezes
  •  Cinematic pobre, mas nada tão horrível
  •  Deixa aquele gostinho de quero mais, e isso é maldade
LEGO Marvel Super Heroes: Universe in peril - Nintendo 3DS - Nota: 9.5 

Revisão: Bruna Lima
Capa: Leonardo Correia

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.
Este texto não representa a opinião do Nintendo Blast. Somos uma comunidade de gamers aberta às visões e experiências de cada autor. Escrevemos sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0 - você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google