Blast from the Past

Earthworm Jim 2: O retorno da minhoca espacial ao SNES

Entre vacas, porcos, ratazanas assassinas, discos voadores e um heróiminhoca, relembre uma das mais loucas e divertidas aventuras do Super Nintendo.

O início da segunda metade da década de 1990 marcava a transição definitiva para a era dos 32 bits, contudo, uma boa leva de jogos ainda deu as caras nas plataformas anteriores, como é o caso da sequência do aclamado Earthworm Jim, que, mesmo com as novas tecnologias disponíveis para CD, manteve o alto nível do seu antecessor. Gráficos maravilhosos, trilha sonora diversa e uma dose de humor característica da série fazem de Earthworm Jim 2 um game inesquecível para o Super Nintendo.


Loucura em dobro

Lançado em novembro de 1995 para SNES, o jogo ainda conta com versões para Mega Drive, PC, Saturn, PlayStation e mais tarde para GBA. Mas foi no 16 bits da Nintendo que o segundo jogo da minhoca intergaláctica marcou época.


Depois da sua aventura anterior, Jim estava em paz, curtindo a tranquilidade ao lado da princesa What’s Her Name?, quando de repente o maléfico Psy-Crow sequestra sua companheira, com a intenção de se casar e torna-se o imperador de toda a galáxia. Para não fugir dos tradicionais roteiros, o herói-minhoca não demora a seguir ao resgate.

Novas armas e habilidades anelídeas aumentaram o exótico repertório do Jim nessa aventura. Ao longo das dez fases do game, nosso herói conta com o auxílio de Snott, uma gosma verde que fica alojada em sua mochila e lhe ajuda a planar com um paraquedas e grudar nas melecas verdes que servem para atingir partes altas do cenário. As novas e absurdas armas duplicam o nível de loucura da ação, trazendo para o jogo novas possibilidades e muitas risadas. O novo arsenal conta com armas que disparam plasma, bolhas e  até casas (?).
Snott era de grande ajuda durante a louca aventura.
Os comandos do game são simples, não exigindo muito aprendizado antes de se jogar pelos belíssimos cenários do game. A usa o “Chicote”, B pula; B, B solta a meleca verde; X, L ou R seleciona a arma desejada; Y abre o paraquedas e atira; e segurando para cima e pressionado X, Jim pode bloquear.

Uma minhoca com enorme peso nas costas

Pouco mais de um ano e meio anos após o primeiro lançamento, Jim retorna de forma triunfal ao mundo dos games, trazendo consigo a enorme responsabilidade de manter o alto nível de excelência do seu jogo de estréia. Gráficos renovados, bem trabalhados e detalhados juntam-se a uma trilha sonora arrasadora, indo de Rock a música clássica sem enjoar. Além do aprimoramento visual, a modelagem e os movimentos do protagonista fluem muito melhor do que na primeira versão, contribuindo para uma jogabilidade mais refinada.

O bom gosto da direção artística do game é evidente, como no título anterior. Os cenários ostentam cores vivas, detalhes minuciosos e incríveis efeitos 3D que tornavam o game um dos mais belos da geração. Assim como na primeira aventura da minhoca maluca, as temáticas de cada fase são surreais e estonteantes.

A modelagem dos cenários e personagens era incrível.
Os efeitos sonoros continuam hilários. A todo o momento ouvimos os gritos e gemidos do herói principal, além de vacas, porcos e todo tipo de máquinas preenchendo a atmosfera do game. A trilha sonora, por sua vez, possui composições dos mais variados estilos, como uma faixa do repertório de Beethoven. Contudo, a eletrizante trilha eletrônica do primeiro game é, ainda, superior a este.

Um herói mais popular

Earthworm Jim 2 eleva o clima descontraído e nonsense estabelecido pela série com o premiado título anterior, criando situações antes inimagináveis num game de aventura plataforma. Mas, dessa vez, Jim 2 está mais acessível aos jogadores menos experientes, pois o grau de dificuldade teve uma leve adaptação ao jogadores iniciantes, tonando-se mais fácil concluir o jogo sem querer arremessar o console na parede como no primeiro game. Mesmo assim, alguns podem sentir certa dificuldade para chegar nas fases finais, pois mesmo diante da queda na dificuldade, o título ainda requer um bom nível de coordenação e destreza com o pequeno joystick.
Quem nunca ficou vários minutos apertando os botões sem parar só para ver as vacas falarem?

Criativo, original e sem sentindo: As incríveis fases de EarthWorm Jim 2

Anything But Tangerines

Com uma trilha daquelas que não sai da cabeça, nem mesmo quando dormimos, o jogo inicia colocando Jim nas mais diversas e cômicas situações que um game de plataforma pode proporcionar. Nosso herói é perseguido a todo o momento por alienígenas em discos voadores enquanto carrega porcos para desobstruir o caminho, e sobe escadas deslizantes com uma cadeira de escritório enquanto desvia de velhinhas que despencam do alto. Tudo é muito rico em detalhes e flui perfeitamente nos 16 bits do console da Nintendo.
Aposto que você já caiu nessa armadilha.

Lorenzen's Soil 

A aventura segue num estágio onde é preciso destruir o cenário feito de terra, criando novas plataformas e passagens para prosseguir. Estratégia e precisão são as chaves para continuar ajudando Jim a encontrar sua amada.

Uma corrida contra o tempo para encontrar o caminho correto.

Puppy Love

Em intervalos de fases, somos postos a prova nos loucos duelos contra Psy-Crow. Nestas fases, o maldito vilão arremessa os filhotinhos de cachorro, enquanto a minhoca corre alucinada para salvá-los da trágica morte. Salvando uma certa quantidade de filhotes, Psy acaba jogando uma bomba, que, quando levada até o cachorro do outro lado do cenário, é arremessada de volta no vilão. Algumas bombas depois, estamos livres para seguir.

O melhor era que os cachorros entravam em casa por um funil.

Villi People 

No próximo estágio, as habilidades do jogador são testadas numa fase que requer muita precisão controlando uma salamandra voadora (que na verdade é o Jim disfarçado). Por fim, ainda é preciso vencer um show de perguntas e respostas.
Jim disfarçado de salamandra voadora.

The Flyin' King 

Outra fase interessante é quando estamos sob o comando de Jim montando num veículo voador motorizado, ao melhor estilo jogos de naves. Nesta fase é preciso levar um balão explosivo até o final desviando de ataques de navios e naves espaciais atiradoras de gosma.
Aproveitando para curtir o belo cenário.

Udderly Abducted 

A loucura continua quando precisamos, em outro estágio, carregar vacas que brotam de flores no solo com as próprias mãos, para que seu leite desobstrua as passagens seguintes. Isso enquanto pinguins suicidas e naves alienígenas tentam atrapalhar seu caminho. Sem falar que algumas vacas são explosivas, e precisam ser jogadas numa banheira gigante antes de ter seu leite extraído.
Carregar uma vaca explosiva e cair numa cadeira dessas é uma combinação meio perigosa, não acha?

Inflated Head

Nessa fase, Jim precisa inflar sua própria cabeça, ou melhor, o corpinho de minhoca, para poder subir pelo cenário repleto de lâmpadas que estouram com um simples toque e desvia de ratazanas atiradoras de zarabatana.

Sempre tem uma ratazana querendo furar sua cabeça.

ISO 9000

Entre pilhas de papeis e armários assassinos, é preciso resolver enigmas e encontrar o caminho correto até o final do estágio.

Essa era a fase mais chata do game. Por sorte, a única.

Level Ate

Num dos últimos estágios, a minhoca intergaláctica é levada direto para um daqueles churrascos de fim de semana. A fase é toda formada por bacon, presunto, ovos mexidos e bolinhos de carne. Para atrapalhar a degustação, chapas quentes e uma sal perseguidor de minhocas e garfos espalhados por toda parte tiram a paciência do jogador. No final, ainda é preciso enfrentar um pedaço de pizza assassina como chefe.

Vai um churrasco aí?

See Jim Run, Run Jim Run

Por fim, precisamos tirar um racha contra o Psy, para ver quem chega primeiro no fim da fase e encontra a amada rainha abelhuda.
Enfim sós.
Jogabilidade precisa, gráficos soberbos, músicas excepcionais e muita, muita criatividade e diversão são os ingredientes deste clássico. Game obrigatório para os amantes de uma boa aventura 2D.
Revisão: Alberto Canen
Capa: Sybellyus Paiva



Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original.


Disqus
Facebook
Google