Top 10

Relembre dez dos melhores momentos da Nintendo na história da E3

Relembre o que de melhor a empresa apresentou na feira ao longo dos anos.

A maior feira, e podemos dizer também que o maior evento, relacionada ao mundo dos videogames é sem sombra de dúvidas a Electronic Entertainment Expo, ou como é popularmente conhecida, E3. A feira ocorre uma vez por ano, e as empresas se empenham para mostrar seus maiores projetos com a intenção de conquistar o público. Já os jogadores, por sua vez, ficam empolgados, sempre especulando e sonhando com os jogos e as novidades que podem aparecer na E3. A Nintendo participa da feira desde a sua primeira edição, em 1995. E, durante todos esses anos, nós tivemos inúmeros momentos marcantes e emocionantes, no qual diversos jogos e consoles foram anunciados. A edição desse ano já está ocorrendo, mas antes de chegar o dia da apresentação da Big N, dá tempo de nós relembrarmos dez momentos em que a Nintendo deixou seus acionistas e/ou seus fãs muito felizes.


10 - Reggie's Body is Ready e o Nintendo DS

Reggie Fils-Aimé é hoje sem dúvidas uma das figuras mais carismáticas da Nintendo. Mas em 2004 não era bem assim, e foi durante a E3 daquele ano em que nós conhecemos o então atual presidente e diretor de operação da Nintendo of America. Reggie possui diversas frases memoráveis que se tornaram "memes" antes mesmo do conceito de "meme" existir. Mas o que nem todo mundo sabe é que em sua primeira aparição ele já deixou claro que tinha como objetivo afastar a ideia de que a Nintendo não tinha jogos hardcore, e a sua frase de introdução foi muito inesperada, em que ele disse inclusive que iria chutar traseiros.

Mas mesmo com a figura de Reggie e os diversos jogos que a Nintendo apresentou naquele ano, um dos melhores momentos foi a apresentação do seu novo portátil, o Nintendo DS. Ser o sucessor do Game Boy Advance não era uma tarefa fácil, e o conceito novo de duas telas, sendo uma delas touchscreen era um tiro no escuro. Vale ressaltar que a tecnologia touchscreen não era o que é hoje, na qual todos os smartphones possuem a sua tela sensível ao toque. Por fim nós sabemos que o NDS foi muito bem recebido e fez justiça ao legado dos portáteis da empresa.

09 - O céu é o limite

Partimos agora diretamente para 2010, ano em que a Nintendo revelou o novo título de uma das suas franquias mais amadas. The Legend of Zelda: Skyward Sword foi revelado com um vídeo que apelou bastante para a nostalgia, fazendo com que os jogadores se lembrassem de todos os jogos antigos, e logo em seguida nos mostrando um Link totalmente novo. Já desde o primeiro momento deixou clara a importância que o Wii Remote teria para a jogabilidade, e que o jogo seria uma mistura dos conceitos artísticos de Wind Waker e Twilight Princess.

Em seguida o próprio Shigeru Miyamoto sobe ao palco para apresentar o game, mostrando que seria necessário o uso do Motion Plus, para que os controles ficassem mais precisos e Link simulasse com a Master Sword os nossos movimentos com o Wii Remote. O problema foi que, por culpa de algum problema técnico, a apresentação não saiu como planejada, e o próprio criador da franquia não conseguiu controlar direito as armas de Link. Hoje em dia sabemos que tudo não passou de alguma interferência, já que o jogo possui uma mecânica de controle fascinante que nos faz sentir realmente que estamos em posse de uma espada.

8 - Um novo milênio, uma nova geração…

Nem sempre ocorre de a Nintendo renovar seu console portátil ao mesmo tempo em que renova o seu console de mesa. Agora com o conceito do Nintendo Switch é que isso não vai acontecer mesmo, já que temos um híbrido fazendo sucesso, e eu acredito que a Nintendo vai seguir essa linha no futuro. Mas, durante a E3 de 2001, nós tivemos a apresentação do Nintendo Game Cube, ao mesmo tempo em que conhecíamos o Game Boy Advance.

Um momento memorável, que mostrava o caminho que a empresa seguiria pelos próximos anos. Imaginem se ambos os consoles não fossem bem recebidos pelo público? Isso teria um impacto muito negativo para a Big N. E sabendo disso eles não devem ter pensado duas vezes em escolher a pessoa para tal tarefa. Shigeru Miyamoto adentra o palco segurando em cada mão um pequeno aparelho que no futuro deixaria a sua marca na história da Nintendo e na história dos videogames.


8 - O retorno de quem nunca deveria ter ido

Se você teve um Super Nintendo em algum momento da vida, é quase certo que tenha jogado algum jogo da franquia Donkey Kong Country. A trilogia do SNES é maravilhosa e marcou a infância de muitas pessoas. Quando a Rare foi comprada pela Microsoft, muitos pensavam que jamais veríamos novamente algum título com o nome "Country", mas o problema não era nem o nome, e sim a jogabilidade e as mecânicas que todos amavam e teoricamente jamais seriam utilizadas novamente. Para a nossa sorte, quem pensou dessa forma estava errado, o complicado mesmo foi o tempo que tivemos que esperar, apenas 14 anos.

Quatorze anos depois de o lançamento de Donkey Kong Country 3: Dixie Kong's Double Trouble!, nós tivemos o tão aguardado anúncio de um novo jogo da série. Foi durante a E3 de 2010, e os aplausos tímidos no começo da apresentação, mesmo com o DK já em cena, que foram ganhando intensidade conforme o público foi percebendo o que estava sendo mostrado, demonstra o quanto um jogo nesse estilo estava sendo esperado. E a cereja do bolo foi que a Big N pôde usar até mesmo o antigo nome, aquele era o começo de uma nova era para o nosso querido Donkey Kong, em Donkey Kong Returns.

6 - A lenda de The Legend of Zelda

A importância que a franquia The Legend of Zelda teve para a Nintendo, para seus fãs e para a indústria dos videogames desde 1986 até 2011 era indiscutível. Hoje em dia, após o lançamento de mais alguns títulos, essa importância só cresceu, mas temos que olhar para esse vídeo com os olhos que tínhamos durante a E3 de 2011.

E não foi atoa que muitos se sentiram profundamente emocionados, inclusive eu, quando fomos pegos de surpresa com uma orquestra tocando as músicas mais memoráveis dessa franquia tão amada durante uma E3. Ao fundo um vídeo ia acompanhando a banda, só para deixar tudo mais emocionante. Eu me pergunto como pode os jogos eletrônicos por muitos ainda não serem considerados arte, uma vez que os mesmos inspiram, emocionam e cativam o homem como qualquer outra forma de arte.

5 - Uma nova forma de jogar

A E3 de 2006 foi muito importante para a Nintendo. Lá foi finalmente revelado e explicado a nova forma de jogar videogames que a empresa estava trazendo para o mercado. Os controles de movimentos que seriam a premissa principal de seu novo console de mesa, o Nintendo Wii, fizeram algumas pessoas torcerem o nariz, enquanto outras arregalavam os olhos. Hoje em dia nós sabemos o sucesso indiscutível que esse console teve, mas na época foi tópico de diversas discussões.

Reggie disse algo nesse dia que eu jamais me esquecerei. Ele perguntou quantas pessoas nós conhecíamos que nunca haviam lido um livro, assistido televisão ou até mesmo um filme. A resposta, se não for "nenhuma", é "quase nenhuma". E logo em seguida ele perguntou quantas pessoas nós conhecíamos que nunca haviam jogado um videogame, a resposta foi bem diferente. Você pode até criticar e dizer que por culpa dos controles de movimento a Nintendo perdeu um pouco da força nos jogos hardcore, mas ver os meus pais, avós e tios jogando Wii Sports, se divertindo e se interessando por jogos após isso foi uma coisa que só uma empresa com o olhar da Nintendo poderia ter feito.

4 - Abra seus olhos…

A primeira coisa que a princesa Zelda nos diz nesse trailer, mostrado na E3 de 2016, é "open your eyes". Em seguida, a imagem, que até então estava completamente escura, revela uma Hyrule linda, com paisagens que impressionavam. Não havia pessoas além de Link, não havia cidades, Hyrule estava completamente selvagem, a natureza reinava. Depois de algumas cenas, enfim a música cresce e nós podemos ver Link fazendo diversas atividades, como montar em cavalos selvagens, cozinhar, rolar pedras pelas montanhas, cortar árvores, etc. Ao longe nós conseguimos ver o castelo tomado por um ser de proporções gigantescas, Link enfrenta mais alguns inimigos e por fim se depara com um guardião, que até então nós não fazíamos a menor ideia do que era. Para finalizar, A Master Sword deteriorada aguardava pelo chamado do Herói.

Esse trailer, além de toda emoção que nos passa, levantou diversas teorias e questionamentos que se prolongaram por muitos meses, fazendo com que o jogo já ganhasse certo destaque antes mesmo de ser lançado. E por mais que se especulasse ninguém conseguiu de fato prever o quanto esse título seria memorável, e o impacto que ele traria para a Nintendo e para a indústria de forma geral. Eu particularmente nunca pensei que fosse dizer, sem ter a menor sombra de dúvida, que o game é de fato o melhor que eu já joguei na vida.

3 - Super Mario OMG

Todos sabiam que teríamos um jogo da franquia principal do encanador mais famoso do mundo para Nintendo Switch. Já tínhamos informações de que seria um sanbox no estilo de Super Mario 64, que por si só já era mais do que motivo para deixar os fãs malucos. Mas o que nós vimos durante a E3 de 2017 foi algo absurdamente inesperado e fantástico. A  franquia sempre se renova, algumas vezes radicalmente como no Super Mario 64 e Super Mario Galaxy, outras vezes com mais sutileza, como em Super Mario Sunshine e Super Mario 3D World. Mas a revolução de Super Mario Odyssey superava todas as expectativas.

O trailer começa com um dinossauro, e como ele não era verde e muito menos carismático, nós nem associamos com a franquia Mario. Até que ele revela um chapéu, o icônico chapéu de Mario. O Bigodudo mascote da Nintendo salta de dentro do chapéu e começa a sua odisseia por diversos reinos. Cada cenário mais encantador que o outro. Ao fundo a primeira música da franquia que era cantada, e a letra não poderia ser mais perfeita. Mario começa a atirar seu chapéu, que vai matando os inimigos ou servindo de plataforma de pulo. Bowser aparece carregando a princesa Peach, ambos elegantes até demais. Tudo isso acontecendo enquanto a música dizia para nós pularmos e pegarmos moedas juntos, só isso já seria o suficiente para marcar a história da Nintendo na E3, mas então o inesperado acontece.

Mario lança seu chapéu em um sapo, o chapéu encaixa na cabeça do sapo e suga Mario para dentro do anfíbio. Nesse momento todo mundo que assistia a conferência fez uma expressão de "Ué?", o que seria aquilo? O sapo aparece com o chapéu e o bigode de Mario, e então Mario começa a lançar seu chapéu em diversos inimigos, Goombas, Koopa Troopa, Bullet Bill, etc. Não só nos inimigos, Mario começa a lançar seu chapéu em elementos do cenário. Praticamente nós poderíamos usar o chapéu de Mario para mudar constantemente a jogabilidade do game e isso era fantástico, as possibilidades eram tantas. Algo completamente novo, charmoso, divertido e criativo. Estava feito mais uma vez, a franquia principal de Mario se reinventava e deixava a sua marca na E3, ao mesmo tempo em que deixava o público boquiaberto.

2 - O maior crossover dos videogames

A Nintendo possui uma biblioteca de franquias que qualquer empresa gostaria de possuir. São tantos jogos memoráveis e personagens carismáticos que ao longo dos anos ela conseguiu um público apaixonado pelos seus jogos. Somente uma empresa com tantas franquias de sucesso como a Big N para criar um game em que a premissa fosse juntar todos esses personagens e fazer com que os mesmos lutassem. Você pode jogar só por diversão, casualmente. Assim como as mecânicas de Super Smash Bros, lhe permite treinar para ser um jogador mais hardcore, e durante a E3 de 2001 a Nintendo anunciava o segundo título de seu crossover, Super Smash Bros. Melee seria lançado para o Nintendo Game Cube.

A empolgação do público ao ver seus personagens remodelados para uma nova geração é emocionante. E vale lembrar que nessa E3 de 2018, dezessete anos depois,  nós vamos conhecer finalmente o Super Smash Bros, do Nintendo Switch, e tenho certeza que esse novo título vai arrancar mais uma vez esse tipo de reação dos fãs da Nintendo, e eu certamente serei um desses.

1 - A cereja do bolo…

A E3 de 2004 foi uma das melhores da Nintendo, não é à toa que ela foi a única a aparecer nessa lista duas vezes, e brigou por uma terceira aparição. Como eu disse antes, a Nintendo apresentou Reggie, que por sua vez apresentou o Nintendo DS e diversos jogos. No final da apresentação, todos já concordavam que aquele havia sido um ano marcante para os fãs da Big N, e algumas pessoas já estavam deixando até mesmo a conferência, afinal de contas, todos achavam que a Nintendo já havia tirado todas as cartas da manga. Foi então que Reggie disse que queria mostrar mais uma coisa antes que todos saíssem, e um trailer começa.

Eu gostaria de ressaltar que o jogo The Legend Of Zelda: Ocarina of Time foi um marco para a indústria, e embora essa discussão eu veja como desnecessária, ele é até hoje considerado por muitos o melhor game de todos os tempos. A franquia Zelda recebeu depois o título Majora's Mask, que embora seja muito bom, tem praticamente a mesma qualidade técnica que o Ocarina. O game da próxima geração foi Wind Waker. Esse fugiu completamente da proposta de seus antecessores, tendo uma direção de arte e premissas bem diferentes. E mesmo sendo um ótimo jogo, deixou uma lacuna no coração dos fãs mais puristas, que desejavam ver um Link menos cartunesco e um jogo menos colorido. 

The Legend of Zelda: Twilight Princess trazia todos os elementos que preencheriam essa lacuna. Sendo mais realista que cartunesco e tendo tons mais escuros, que destacariam sua história mais profunda. Desde 1998 a comunidade ansiava por um jogo assim, e a euforia que foi provocada no público emociona até hoje, e este se tornou um dos momentos mais memoráveis de toda a história da E3, sendo para mim de fato o mais memorável.

Depois de relembrar todos esses momentos, é impossível não se empolgar para com o que a Nintendo pode apresentar na E3 desse ano. Também vale lembrar que existem diversos outros momentos épicos que poderiam facilmente entrar nessa lista. Por exemplo, o anúncio relâmpago de Metroid Prime 4, e sendo assim não foi nada fácil escolher somente dez. E se você concorda ou discorda dessa lista, deixe seu comentário, vamos discutir e lembrar o que de melhor a Nintendo já nos apresentou na Electronic Entertainment Expo.

Revisão: Luigi Santana
Pedro Henrique escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook