Desenvolvedor de Daemon X Machina critica o mercado de games e fala mais sobre o projeto

Kenichiro Tsukuda acredita que Daemon X Machina será um jogo diferente do que se tem visto e fala com mais detalhes como funcionará a substituição de peças dos mechas


Uma das grandes surpresas da Nintendo na conferência da E3 2018 foi o anúncio de Daemon X Machina, um novo exclusivo do Nintendo Switch que provavelmente fez muitos fãs de batalhas entre robôs gigantes pularem da cadeira. E se você é um daqueles que mal pode esperar para mais informações do game, o desenvolvedor de Daemon X Machina Kenichiro Tsukuda recentemente concedeu uma entrevista para o site Kotaku falando mais sobre o que podemos esperar do projeto.


Tsukuda acredita que Daemon X Machina tem algo de diferente em comparação ao que tem aparecido no mercado ultimamente. "Hoje em dia vários jogos tem cada vez mais parecido ser um pouquinho iguais demais", comenta o desenvolvedor, "mas nós (desenvolvedores de Daemon X Machina) adoraríamos que os jogadores apreciassem algo que ousasse e mostrasse algo diferente".

Além disso, o desenvolvedor falou sobre a intensa dinâmica de batalha em Daemon X Machina, dando mais detalhes sobre a possibilidade de substituir peças quebradas durante a missão. "Se você recebe uma determinada quantidade de dano em uma das partes do seu robô", explica Tsukuda, "você pode pegar essa mesma peça de um dos inimigos destruídos em campo para colocar em sua própria armadura".


Apesar de não entrar em muitos detalhes, Tsukuda também reafirmou que Daemon X Machina terá elementos multiplayer implementados no game. Por enquanto, o que se sabe é que o jogo terá suporte para multiplayer local e online com até quatro jogadores na partida. O game está em desenvolvimento a mais ou menos um ano e promete trazer muitas possibilidades de customização dos personagens e mechas.

Daemon X Machina tem previsão de lançamento para 2019 no Nintendo Switch. Confira abaixo o trailer do jogo divulgado na E3 2018:


Fonte: GoNintendo
Rafael Trinta é formado em Rádio e TV pela UFMA e pós-graduado em Roteiro Audiovisual para Cinema e TV pela FACHA. Como gamer, tem um gosto até diversificado: curte desde “filminhos interativos” estilo David Cage até um bom jogo de plataforma cheio de “coisinhas para catar na fase”. Porém, seu fraco mesmo está nos Adventure Games, dentre os quais cita como favoritos The Longest Journey, Life is Strange e a saga Blackwell.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook