Game Music

Banjo-Kazooie (N64) e suas melodias inesquecíveis

As músicas do clássico para Nintendo 64 são memoráveis apelos à alta qualidade acústica dos games.


Há exatos 20 anos, Banjo-Kazooie foi lançado para Nintendo 64 pelo estúdio britânico Rare. Esse é o primeiro jogo da franquia do famoso urso Banjo e do pássaro Kazooie, com ambos tentando parar os planos da bruxa Gruntilda, que pretende mudar sua beleza com a irmã de Banjo, Tooty. O clássico emplacou inúmeras evoluções no mundo dos games e destacou-se como um dos jogos mais memoráveis da época, incluindo, em especial, sua trilha sonora cativante e única — que analisaremos a seguir.

Nos encaixando em 1998

É inquestionável a limitação técnica e sonora dos videogames duas décadas atrás. Com o Nintendo 64 não foi diferente, visto que dependia muito dos desenvolvedores para concluir um bom resultado da soundtrack — que felizmente aconteceu com Banjo-Kazooie. Convenhamos: a grande maioria do público alvo na época não se importava muito com esse requisito, principalmente pelos antecessores recentes ainda arcaicos nesse estilo e pelo espanto com o salto gráfico da geração, fato que destacou, e muito, a criação magnífica da Rare.

Felizmente, não apenas a Rare investiu nesse aspecto, como também a Konami, a Quest e a própria Nintendo fizeram um ótimo trabalho. Como third party, a excelente trilha sonora de Banjo-Kazooie foi cortesia de Grant Kirkhope, um gênio em músicas do ramo e que, sem dúvidas, merece ser lembrado pelos fãs do gênero de plataforma.
A soundtrack é composta oficialmente em 15 faixas: Main Title, Spiral Mountain, Witch’s Lair, Mumbo’s Mountain, Treasure Trove Cove, Clanker’s Cavern, Bubble Gloop Swamp, Freezeezy Peak, Gobi’s Valley, Mad Monster Mansion, Rusty Bucket Bay, Click Clock Wood, Quiz, Credits e Final Battle. Todas com suas peculiaridades e cada mundo composto, em geral, por versões musicais especiais diversas.

Clássicos dentro de um Clássico

É brilhante, saltitante e marcante. Muitas vezes é difícil descrever a genialidade das músicas de Banjo-Kazooie, que variam de acordo com estilos orquestrais, de jazz e das melodias em geral. Curiosamente, apesar de o título do jogo mencionar o instrumento Banjo, a trilha sonora está quase ausente do banjo, presente apenas em algumas faixas — se comparadas com a enorme soundtrack.

Um dos exemplos que trazem o famigerado instrumento Banjo são as músicas da Spiral Mountain. Esse é o local onde o jogador começa o game e, certamente, é um dos mais memoráveis para os fãs dessa franquia que adormece nos braços da Microsoft atualmente.
Um exemplo do cuidado dos produtores musicais do game está em Mad Monster Mansion. A fase inspirada em uma temática sombria e com uma pegada de Halloween tem uma música principal, porém há mais 7 soundtracks específicas, como quando o jogador está na área da capela com sons de sinos, debaixo d’água com a música com uma pegada mais suave e simples e quando está dentro da privada (sim, você está lendo isso), com sons bizarros de flatulências, arrotos e uma tonalidade bem nojenta — peculiaridades que muitos jogadores não dão muita atenção.

A maneira como Banjo-Kazooie usou sua música foi relativamente nova para a época. Cada mundo tem a sua própria música temática e diversas variações sobre as quais o jogo aproveita. Por exemplo, no mundo Mumbo's Mountain, há o tema principal do mundo, o arranjo de bateria tribal com um sax que toca perto da Conga’s tree, o principal arranjo com rufos de instrumentos militares e estridentes "hut two three four!" perto dos cupins gigantes, o arranjo de panpipe com cânticos tribais que tocam na aldeia ao redor da cabana de Mumbo e um arranjo de harpa que toca quando você mergulha no lago.
Além disso, acredito que a trilha sonora de Click Clock Wood merece destaque. Quem já jogou Banjo-Kazooie sabe que esse nível é marcado por uma grande árvore que muda durante as quatro estações do ano, sendo possível desbloquear novas áreas a cada passagem do relógio. As melodias foram embasadas em cada época, com a versão do inverno bem mais suave enquanto a do verão é animada e revigorante.
Na minha opinião, Gruntilda's Lair é, indubitavelmente, uma das melhores — se não a melhor — músicas de Banjo Kazooie. A genialidade por trás dessa melodia harmoniosa e cativante para os ouvidos remete a dias tranquilos de qualquer jovem e seu Nintendo 64. A abrangência dessa melodia de respeito deveria ser ouvida por todos os amantes dessa particularidade cultural dos games, principalmente pela forma única e nostálgica que é produzida. Caso Banjo e Kazooie sejam cotados para Super Smash Bros. algum dia, uma versão dessa música é, na minha visão, indispensável. Confira uma composição especial da criação de Grant Kirkhope feita com a variação instrumental de diferentes níveis do jogo pelo canal PPF:
Em síntese, são geniais e ilustres as composições de Grant Kirkhope em Banjo-Kazooie. Conseguir compor diversas músicas que conseguem, após duas décadas, arrepiar os fãs de boas lembranças pela magia que as acompanha não é para qualquer um. Com certeza o trabalho feito com esse clássico será reconhecido ainda por muitos anos e nós da Nintendo Blast, sem dúvidas, faremos questão de propagar essa obra prima que o Nintendo 64 teve o privilégio de carregar para sua história.
Paulo Vinícius é estudante e apaixonado por games desde seu primeiro contato com Duck Hunt e Ice Climbers do nintendinho em 2002. Fanático por Pokémon e admirador de diversas franquias, reúne seu tempo livre para escrever e tentar colocar suas séries em dia. Está no Facebook e Instagram.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook