Jogamos

Análise: Tied Together — você vai (literalmente) se amarrar nesse multiplayer do Switch

Diversão garantida se você tem um grupo de amigos disposto a essa amarração toda.


Sabe aquele jogo que você não dá nada? Aquele indie meio "genérico" que você (e ninguém) nunca ouviu falar e aí, do nada, surge na sua vida? Pois é, Tied Together é um desses títulos. Ele aparece de repente, meio sem querer, não necessariamente tem muito a oferecer, só que é simplesmente muito divertido. A premissa da NapalmTree de amarrar você a alguns amigos, durante um jogo de plataforma tradicional, é tão boa que é maior do que o próprio jogo.

Multiplayer na sua essência

Esse desconhecido título indie que, pasmem, não possui um modo single player (isso aí, mínimo de dois jogadores para o modo 'principal'), basicamente me proporcionou alguns dos momentos mais engraçados (em videogames) dos últimos tempos. Tied Together é um jogo bastante específico e que tem um enorme potencial para ser muito mais do que ele realmente é. 

Um grupo de cientistas malucos decidiu criar monstros e testar as suas habilidades de cooperação, para isso, a solução não foi tão científica assim: amarrá-los com uma boa e velha corda e deixá-los testarem a sorte ao longo de uma série de desafios. Imagine o Mario, só que ele precisa passar pelos clássicos estágios de plataforma 2D enquanto está amarrado com o Luigi, o Toad e a Peach, por exemplo. Sim, o resultado é uma confusão louca. Só que, infelizmente, ao contrário dos intrincados e pouco breves estágios da franquia do bigodudo, as fases de Tied Together se assemelham à uma rápida resolução de puzzle em um jogo de celular.

A sensação é de que a desenvolvedora entrega a faca e o queijo, mas com apenas duas fatias de queijo prato. Ou melhor, a experiência acaba rápido demais. Tied Together lhe conquista ao mesmo tempo em que ele não tem mais nada a oferecer, e isso é uma pena. A "campanha" (se podemos chamar assim) principal é composta por 40 fases que só podem ser jogadas por duas pessoas ao mesmo tempo. Ao longo destes 40 estágios, algumas ideias e mecânicas realmente criativas são apresentadas: além da física específica proporcionada pela corda que une os monstros, saltos especiais, lava, balões voadores e fortes ventos compõem cada pequena aventura em busca das chaves que abrem o portão do final da fase. Você depende do seu amigo para cada pulo e decisão a ser tomada e, beleza, existe uma boa quantidade de desafio envolvida. Agora, e se essas decisões dependessem de outros três amigos?



É nesse ponto que Tied Together brilha e, simultaneamente, mais decepciona . Os ínfimos 20 estágios separados para a verdadeira experiência multiplayer do título são, não só a alma do jogo, como se destacam em comparação à maioria dos jogos de multiplayer cooperativo do mercado. Como foi dito no início desta análise: é simplesmente muito divertido. Passar meia hora tentando realizar um simples pulo coordenado entre quatro pessoas é impagável e, por mais que possa chegar a ser frustrante, nunca é chato. Quem diria que algo tão banal quanto controlar um grupo de monstros amarrados por uma corda comum poderia ser tão legal.

Cada estágio, tanto no modo de 1-2 jogadores quanto no de 3-4, possui três diferentes níveis de completude que dependem unicamente do tempo. Aquela velha história: se acabar a fase rapidamente você ganha uma medalha de ouro, podendo também ficar no meio do caminho com a de prata ou pegar a de bronze. Esse tipo de incentivo para speedrun pode até combinar com jogos mais focados em puzzles para um jogador, no entanto, não funciona muito bem em um título multijogador em sua essência. Poucas pessoas se importam em "platinar" um jogo enquanto jogam casualmente com a galera — isso, afinal, requer atenção e concentração, algo difícil de se conquistar jogando videogame com amigos. Ganhar essas medalhas também não altera a experiência em nada, fazendo com que o recurso não ajude nem um pouco o problema da duração de Tied Together. 



Em conclusão, o jogo deixa um gostinho bom na boca logo quando acaba o doce. O replay infelizmente é totalmente limitado — as fases são muito curtas e com pouca variação entre elas, afinal — e a experiência completa talvez dure, no máximo, umas duas horas. Se você tem um grupo de amigos que joga alguns multiplayers locais de tempos em tempos, é simples: jogue Tied Together. Talvez a farra dure apenas uma tarde, mas com certeza vai valer a pena. 

Prós

  • Simplesmente muito divertido;
  • Perfeito para se jogar entre amigos.

Contras

  • Obrigatório jogar entre amigos;
  • Bastante curto e com poucas opções.
Tied Together - Nintendo Switch - Nota: 8.0
Revisão: Vinícius Fernandes
Análise produzida com cópia digital cedida pela Headup Games.
Raoni Pinheiro escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google+
Disqus
Facebook