Presidente da Nintendo fala sobre a importância da flexibilidade para o futuro da empresa

Segundo Shuntaro Furukawa, as estratégias para alcançar o público podem até mesmo incluir o afastamento dos consoles de mesa, se necessário.


Em entrevista publicada no site do veículo japonês especializado em negócios e economia, Nikkei, o presidente da Nintendo, Shuntaro Furukawa, comentou sobre uma série de temas a respeito da empresa. Entre os assuntos debatidos estão a importância de ser flexível no momento de inovar, os riscos de se estar na indústria do entretenimento e as maneiras que a Big N espera evitar oscilações nas performances de seus produtos.


Ao falar sobre os riscos no lançamento de consoles e jogos, Furukawa afirmou que a companhia busca oferecer maneiras únicas de jogar aos consumidores e que, para decidir os caminhos que a empresa deve tomar, leva em consideração as opiniões dos líderes de desenvolvimento.
Nikkei: Vocês lançam vários consoles e softwares, mas sempre há um risco bem grande que vem com isso. 

Furukawa: Nós estamos na indústria do entretenimento; não há muito que podemos fazer sobre esse risco. Para nós, o princípio orientador pelo qual nós operamos é oferecer aos consumidores de todo o mundo maneiras inovadoras e únicas de jogar.

Eu não quero que nossos desenvolvedores pensem muito na linha de "O que eu deveria fazer se nós falharmos?" Meu papel mais importante é facilitar um ambiente em que eles podem demonstrar suas habilidades. Eu não sou um desenvolvedor profissional, então eu deixo o desenvolvimento de fato aos líderes que podem dizer o que é um bom game e o que não é.

Nikkei: Você completamente não intervém?

Furukawa: Bom, deixar tudo para os outros seria irresponsável. Eu poupo muito tempo tendo certeza que as pessoas que eu deixo no comando e eu temos uma compreensão mútua. Em relação a decisões sobre como deveríamos aprimorar nossa tecnologia e a direção em que a Nintendo deveria seguir, eu baseio minhas decisões finais na maneira de pensar dos líderes de desenvolvimento.

Eu não acho que é uma boa ideia dar liberdade completa. Eu quero que haja mais um balanceamento entre liberdade e disciplina.
Ao ser perguntado se a Nintendo já teve dificuldade em inovar devido aos sucessos do passado, o presidente disse que a empresa irá continuar a pensar de forma flexível nos modos de entregar suas experiências. Entre essas maneiras, ele não descarta um possível afastamento dos consoles de mesa a longo prazo, já que, segundo ele, a Big N não é fixada somente em seus consoles.
Nikkei: Vocês já se depararam com um "dilema de inovação" - em que os sucessos passados da companhia foram muito grandes, tornando a inovação impossível?

Furukawa: Nós não somos realmente fixados em nossos consoles. No momento, estamos oferecendo o unicamente desenvolvido Nintendo Switch e seu software - e é nele em que nós estamos nos baseando em como entregar a "experiência Nintendo". Dito isso, a tecnologia muda. Vamos continuar a pensar flexivelmente sobre como entregar essa experiência com o passar do tempo.

Faz mais de 30 anos desde que começamos a desenvolver consoles. A história da Nintendo é ainda mais antiga que isso, e em meio a todas as dificuldades que foram enfrentadas, a única coisa pensada foi sobre o que fazer em seguida. A longo prazo, talvez nosso foco como empresa possa se afastar dos consoles de mesa - flexibilidade é tão importante quando a capacidade de criação.
Comentando sobre como está se planejando para evitar instabilidades no desempenho da empresa, Furukawa afirmou que pretende focar em modos diferentes de fazer com que as pessoas entrem em contato com suas franquias, incluindo jogos mobile, filmes e o futuro parque de diversões temático que será construído na Universal Studios.
Nikkei: Você espera que oscilações na performance da empresa continuem daqui para frente?

Furukawa: Estou pensando sobre pequenas maneiras como podemos reduzir esse tipo de instabilidade. Eu gostaria de aumentar a quantidade de games em smartphones que possuem um fluxo contínuo de receita. Também estamos nos envolvendo com parques temáticos e filmes - maneiras diferentes de termos nossos personagens fazendo parte do cotidiano. Estou antecipando uma forte sinergia como essa.
A entrevista com Shuntaro Furukawa foi traduzida para o português pelo Nintendo Blast a partir de uma tradução em inglês produzida pelo site Nintendo Everything.


Jornalista, analista de mídias e entusiasta de games desde que jogou Pokémon Azul no Game Boy Color nos anos 90. De lá para cá, tenta aproveitar ao máximo todos os consoles no pouco tempo que a vida adulta permite. Se não está escrevendo para o Blast ou demorando anos para zerar um jogo, está no Facebook. Outras mídias sociais só quando criar coragem.

Comentários

Google
Disqus
Facebook