Entrevista

Em entrevista, presidente da Nintendo revela o futuro do 3DS

O CEO também comentou sobre o Switch, games mobile, eSports e o Labo.



Em entrevista ao Kyoto Shimbum [Jornal de Quioto], o atual presidente da Big N, Shuntaro Furukawa, comentou sobre os passos da companhia em um futuro próximo, como a meta de vender 20 milhões de cópias do Switch até o fim do ano fiscal da empresa e quais são os planos da empresa para o 3DS.

Vocês acham que chegarão a 20 milhões de unidades do Nintendo Switch vendidas até o final do ano fiscal?
Não é uma meta nada fácil de alcançar, por isso vamos examinar minuciosamente as tendências desde o final até o começo do ano. Nós entraremos em nosso terceiro ano do console em breve, e a "sensação de novo" do Switch começará a se esvair. Então, é crucial para nós lançarmos um fluxo constante de jogos. Queremos mostrar que os usuários podem alterar sua forma de jogar com o console híbrido e que ele pode ser levado com você em qualquer lugar.

Vocês [recentemente] mesclaram o jogo para smartphones "Pokémon GO" junto com [um jogo para] o Switch.
Os smartphones têm seus próprios estilos de jogo. Não pretendemos que os jogos do Switch sejam como jogos para smartphones ou vice-versa. Nosso objetivo é fazer com que as pessoas se interessem pelos personagens da Nintendo e aumentem nossa base de fãs. No entanto, os jogos em celulares são diferentes dos [jogos para] consoles - um jogo de celular não esgota. Em vez disso, depois que o jogo é distribuído, mais conteúdo continua sendo adicionado. Um fluxo estável de renda está ligado a essa melhoria constante do jogo. Continuaremos nosso ritmo de lançamento de dois ou três jogos para smartphones por ano.

O Nintendo Labo era um novo e inovador conjunto de jogos que incorporava aspectos da engenharia. Como está indo?
Não vendeu tão bem quanto os nossos outros jogos de sucesso, mas tivemos um aumento nas vendas do Labo durante o final do ano. Há muitas maneiras novas de experimentar o Labo, e estamos trabalhando na formulação de novos métodos que transmitam o seu encanto, para que as vendas do Labo se expandam.

Quais são os seus planos para o seu portátil, o Nintendo 3DS?
Estamos quase no 8º ano de vida do 3DS, portanto, a quantidade de jogadores que queriam comprá-lo já existe. O 3DS tem suas vantagens em ser um portátil simples e leve, que também é bastante barato. Planejamos continuar nossos negócios 3DS no futuro, já que nos preparamos para que ele exista lado ao lado com Switch.

Quais são seus pensamentos sobre eSports, onde os jogadores qualificados competem uns contra os outros?
O ânimo por isso é claro. Os fundamentos básicos da alegria da competição e do espectador estão alinhados com a nossa mentalidade em criar jogos na Nintendo. Queremos que uma ampla faixa etária de jogadores aproveite isso, independentemente da experiência, por isso, atualmente patrocinamos muitos eventos e convenções de jogos, tanto aqui [no Japão] quanto no exterior. Por exemplo, no ano passado realizamos dois grandes eventos em Quioto e Tóquio pela primeira vez, chamados de “Nintendo Live”. No entanto, não é nossa intenção promover um grande prêmio. A partir daqui, estamos considerando eventos que expandem nossas interações com os fãs.

Como sobre suas estratégias de negócios para mercados estrangeiros?
Estamos prevendo que a Ásia cresça no futuro próximo. A esse respeito, ainda há muitas coisas que podemos fazer. Então, queremos nos desafiar no mercado chinês. Agora, jogos em smartphones são comuns. Por isso, não estamos necessariamente preocupados com a necessidade de conquistarmos [o mercado de] consoles. Queremos expandir para esse mercado da melhor forma possível.¹
São os comentários do presidente, em tradução nossa. Será mesmo que o 3DS se manterá firme e forte ao lado do Switch? E quais serão os próximos títulos mobile da Nintendo?

¹Tradução do japonês por Oni Dino, para a Nintendo Everything.


Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook