Pokémon Blast

O caminho de um mestre: as participações de Ash Ketchum na Liga Pokémon [Parte 1]

Todos os caminhos trilhados pelo treinador de Pallet o levam para competir na liga, onde busca, algum dia, alcançar o título de Campeão.


Criado por Satoshi Tajiri em 1996, os jogos Pokémon são, certamente, uma das franquias mais conhecidas e admiradas ao redor do mundo por apresentar uma mecânica de JRPG diferenciada e à frente do seu tempo. A popularidade dos monstrinhos de bolso se deve, principalmente, ao desenho animado lançado em 1997. O anime apresenta a jornada de Ash Ketchum para se tornar um mestre Pokémon e ao lado de Pikachu, conhece diversos treinadores que também buscam alcançar o mesmo sonho do protagonista.

Além das diversas pessoas que Ash encontra durante a jornada, ele deve enfrentar líderes de ginásio para poder competir na Liga Pokémon que, no anime, é um torneio em que se encontram alguns dos melhores treinadores da região. Nessa competição muitas situações inexplicáveis acontecem, ocasionando a derrota do treinador de Pallet. Porém, quando o protagonismo de Ash é acionado, ocorrem batalhas espetaculares que estão até hoje na memória dos fãs da série.

Liga Índigo

Pôster oficial da Liga Índigo
A Conferência do Planalto Índigo foi a primeira competição em que Ash participou. O interessante é que, assim como nos jogos olímpicos, a Liga Pokémon de Kanto se tem início com uma cerimônia de abertura em que diversas pessoas escolhidas carregam uma tocha com a chama da ave lendária Moltres para acender a pira que vai inspirar os treinadores durante a competição.
Na edição da liga em que Ash participou houve 256 treinadores, sendo dividida em oito etapas. Nas quatro rodadas preliminares os participantes deviam competir em quatro campos elementais: Gelo, Água, Pedra e Grama. Para a competição, Ash utilizou os seguintes Pokémon: Pikachu, Pidgeotto, Bulbasaur, Charizard, Squirtle, Krabby (que evoluiu para Kingler) e Muk.

A primeira batalha do protagonista foi no campo de Água contra o treinador Mandi que utilizou Exeggutor, Seadra e Golbat. Para a disputa, Ash decidiu buscar com o professor Carvalho Krabby por poder apresentar vantagem no campo selecionado. No entanto, a escolha do Pokémon foi contestada, pois desde a captura ele nunca foi treinado, tornando questionável o seu desempenho. A dúvida gerada em torno de Krabby logo se tornou uma bela surpresa. Após derrotar o Exeggutor de Mandi com bastante facilidade, o Pokémon caranguejo evoluiu para Kingler, trazendo uma rápida vitória para o treinador de Pallet.

O episódio seguinte já se inicia com o final da segunda rodada de Ash, batalhando no campo de Pedra contra um treinador desconhecido. O único momento revelado foi a vitória de Squirtle sobre um Nidorino. No final do mesmo episódio Ash se encontra no campo de Gelo, lutando contra Pete Pebbleman. Na batalha, ambos os treinadores perderam o primeiro Pokémon, apresentando uma disputa de força entre o Kingler de Ash contra o Cloyster de seu adversário. Após Cloyster ficar fora de combate Pete envia Arcanine, que derruba Kingler com apenas um golpe. Como última esperança de vitória quem vai ao campo é Pikachu, que faz uso de sua agilidade para evitar as labaredas do Pokémon de fogo. Pete então decide acabar com o terreno do rato elétrico e decide derreter todo o campo, restando apenas uma enorme piscina. Ash então aproveita essa situação, aconselhado por Brock e Misty, de utilizar a água como condutor para aumentar o poder do choque do trovão, derrotando Arcanine.


No quarto e último turno, Ash foi selecionado para enfrentar a treinadora Jeanette Fisher no campo de Grama. Para a disputa o protagonista escolhe Bulbasaur que, sozinho, derrota os dois primeiros Pokémon da treinadora: Beedril e Scyther. No entanto, para a surpresa de todos, a expectativa de uma vitória impecável de Ash foi destruída por um Bellsprout que derrota Bulbasaur e Pikachu com poucos golpes. Apesar de uma aparente invencibilidade, o Pokémon de planta é derrotado por Muk que absorve todos os golpes do adversário.

Após vencer a última partida preliminar, Ash se encontra com Ritchie, um treinador que também está participando da competição. Enquanto enfrentava a equipe Rocket de roubar os Pokémon dos treinadores, os dois descobrem que têm muito em comum, não somente pelo amor aos Pokémon, mas no sonho de algum dia se tornarem mestres. No entanto, o sorteio para definir as partidas das oitavas de final determina que a próxima batalha será entre Ash e Ritchie, frustrando os dois treinadores que se tornaram amigos tão íntimos.


A batalha foi preocupante antes mesmo de começar, pois horas antes da disputa Ash foi enganado pela equipe Rocket em mais um plano de roubar o Pikachu, o que custou muito de seu tempo. Com a ajuda de Pidgeotto, e pendurado no balão em formato de Meowth, Ash chegou ao estádio no último segundo, quase sendo desclassificado por atraso. Tendo que alterar a estratégia para o combate, pois seu único Pokémon voador estava exausto para batalhar, Squirtle é escolhido para enfrentar o Butterfree de Ritchie, mas foi nocauteado pelo pó do sono. Porém, Pikachu decidiu que ainda era capaz de lutar e derrotou o tipo inseto com um choque do trovão. Apesar de vencer o Pokémon borboleta, Pikachu não foi capaz de suportar as chamas de Charmander e ficou fora de combate. Nesse momento Ash entra em conflito, pois o único capaz de derrotar um Pokémon do tipo fogo é Charizard que, por sua vez, nunca o obedecia. Mesmo sabendo ser arriscado, a última evolução de Charmander entra em campo e, ao perceber que seu adversário era outro Pokémon do tipo fogo, decide batalhar. Porém, a faísca de esperança de Ash logo se apaga, pois na última luta contra um Pikachu, Charizard se recusa a lutar, o que levou a derrota do protagonista na competição, ficando no Top 16 da Conferência do Planalto Índigo.


OPINIÃO: Muito possivelmente, parte da derrota de Ash se deve por influência da equipe Rocket que esgotaram as energias de Pidgeotto, fazendo toda a estratégia do protagonista ser alterada. Porém, isso não exclui a ineficiência de Ash em domesticar Charizard que, caso tivesse recebido mais treino, derrotaria o Pikachu de Ritchie com extrema facilidade,o que permitiria o treinador de Pallet chegasse bem mais longe na competição.

Liga Laranja

Ao contrário de todas as competições que Ash já participou, a Liga Pokémon do Arquipélago Laranja consiste em superar quatro desafios a fim de lutar contra o campeão da região. O primeiro duelo de Ash é contra Cissy e a disputa é dividida em duas etapas: uma prova de tiro ao alvo e uma
Pôster oficial da Liga Laranja
corrida de surfe Pokémon. Após Squirtle empatar com Seadra no primeiro round, Ash escolhe seu recém-capturado Lapras e usa o raio de gelo como estratégia para aumentar a velocidade e vencer a corrida, conquistando a insígnia Olho-de-Coral. 

A segunda disputa é contra o líder Danny e para que o desafio de Ash seja aceito, ele deve, primeiramente, escalar uma montanha sem a ajuda de seus Pokémon. Após se provar apto, o líder de ginásio revela que a competição consiste em três etapas: congelar jatos de gêiseres o mais rápido possível, construir um trenó com o gelo formado e, por fim, vencer uma corrida na descida da montanha. Na primeira rodada o Nidoqueen de Danny é mais veloz e derrota o Lapras de Ash. Já para a segunda etapa é necessário o uso de três Pokémon e os escolhidos são Bulbasaur, Pikachu e Charizard. Apesar do Pokémon de fogo não obedecer às ordens de Ash, o protagonista faz uso das labaredas, direcionadas ao seu rosto para esculpir o trenó, vencendo a segunda etapa. No final, aos trancos e barrancos, Ash ga a corrida contra Danny, conquistando a insígnia Mar de Rubi, a segunda vitória no Arquipélago Laranja. 

O terceiro confronto de Ash é contra Rudy, e o desafio consiste em uma batalha. A única regra da partida é: as lutas devem ser de Pokémon do mesmo tipo. Apesar da dificuldade na batalha, o Squirtle de Ash aprende o movimento Hydro Pump (Bomba Hidráulica) e vence a disputa, concedendo ao treinador a insígnia Concha Espinho.

Pode-se dizer que a quarta e última batalha de Ash para se classificar na Liga Laranja foi inovadora, pois antecipou as batalhas de duplas que seriam introduzidas apenas na terceira geração, nos jogos Ruby e Sapphire. Pikachu e Charizard são os escolhidos para formar a equipe que vai lutar contra o Marowak e Alakazam de Luana, a líder da ilha Kumquat.  Apesar de ter um início conturbado, os Pokémon do protagonista acabam se entendem e vencem a batalha. Com a insígnia Estrela de Jade em mãos, Ash se torna apto para a disputa contra o campeão da Liga Laranja.

O nosso heróis finalmente chega ao final de uma competição oficial e, pela primeira vez, vai ser uma batalha completa (seis contra seis). A final é contra o campeão Drake e quem jogou os primeiros jogos da franquia devem notar uma leve semelhança com Lance do Elite 4, principalmente pelo fato de ambos os treinadores usarem um Dragonite. Na batalha, os Pokémon usados por Drake são Ditto, Onix, Gengar, Venusaur, Electabuzz e Dragonite. A única regra da disputa era que somente o treinador desafiante poderia realizar trocas durante a partida, o que trouxe uma enorme vantagem para Ash. Apesar da batalha ter sido equilibrada o destaque certamente é para o Dragonite de Drake que, sozinho, nocauteou três Pokémon do protagonista. Porém, o Pokémon dragão não suportou a eletricidade de Pikachu, concedendo a Ash o título de campeão da Liga Laranja e um espaço no Hall da Fama da região.

OPINIÃO: Não há o que se contestar sobre o desempenho de Ash na Liga Laranja. Além de finalmente ter conseguido treinar o Charizard, o protagonista fez bom uso das vantagens dos tipos, algo que ele costuma ignorar em diversos episódios. O confronto contra Drake prova exatamente isso, se tornando uma das batalhas mais memoráveis em todo o anime. No entanto, apesar do ótimo desempenho, a Liga Laranja não costuma ser considerada como uma das principais competições, por nunca ter aparecido nos jogos. 

Liga Johto

Localizada em uma cidade na base do Monte Silver, a Conferência de Prata é a segunda grande liga que Ash participa. Assim como na Conferência do Planalto Índigo, a competição só se inicia após uma cerimônia de abertura em que uma tocha, com a chama de Ho-Oh, passa de mão em mão até chegar à pira. No entanto, em Johto a simbologia por trás da chama é bem mais aprofundada, mencionando que o local onde ocorre a competição já foi palco de uma grande guerra que tirou a vida de vários Pokémon que lá habitavam. Ho-Oh, porém, usou o seu fogo sagrado para trazê-los de volta à vida e, após a ação da ave lendária, uma árvore continuava a queimar com sua chama, e esse fogo hoje é guardado no santuário do Monte Silver, cujo calor simboliza o espírito da competição.

Diferentemente da liga na região de Kanto, em Johto há a presença de regras para a qualificação do treinador. A competição, que teve a participação de 200 treinadores, foi dividida em três partes: Grande Atlética, Semifinais e Finais. As batalhas para a primeira etapa são definidas de maneira aleatória em um formato de um contra um. Além disso, outra diferença da Liga Johto para a Liga de Kanto é a de que os treinadores deveriam registrar os Pokémon que seriam utilizados na partida antes do início da batalha. Para a competição Ash utilizou os seguintes Pokémon: Pikachu, Bayleef, Cyndaquil, Totodile, Noctowl, Phanpy, Heracross, Muk, Tauros, Snorlax, Squirtle e Charizard. Após essa rodada preliminar apenas os 48 treinadores melhor classificados podem seguir para a próxima fase. Pouco foi revelado sobre as batalhas de Ash nessa primeira rodada, mostrando apenas a vitória de Pikachu sobre um Furret; a vitória de Phanpy sobre um Machoke e, por fim, Cyndaquil derrotando um Exeggutor.


A etapa seguinte da conferência é uma fase de grupos, na qual Ash deve enfrentar dois treinadores em batalhas de três contra três, a fim de se classificar para as oitavas de final. A maneira como foi planejada essa etapa é similar, por exemplo, ao modelo da Copa do Mundo de Futebol, em que a cada vitória um treinador ganha três pontos, a cada empate ganha um ponto e caso seja derrotado não ganha pontos. A primeira batalha de Ash é contra Macy, uma treinadora do tipo fogo que cruzou o caminho do protagonista durante a jornada por Johto. Por conhecer o elemento preferido da treinadora, Ash fez uso de seus dois Pokémon do tipo água: Totodile e Squirtle. No entanto, a garota trouxe um Electabuzz para evitar a desvantagem. Mas Squirtle salvou a partida para o nosso herói, ao utilizar as técnicas aprendidas durante o seu treino com o Esquadrão Squirtle.

A segunda disputa de Ash na fase de grupos é contra Jackson e apesar da batalha ter sido equilibrada, o destaque se deve ao confronto final entre Meganium e Bulbasaur. A luta foi um incrível combate entre dois poderosos Pokémon do tipo planta, com Folhas Navalha e Chicote de Cipó. A batalha foi tão bem balanceada que a cada golpe qualquer um podia cair. Porém, como última tentativa de vitória os dois treinadores ordenam seus Pokémon a utilizar o raio solar e, para a surpresa de todos, tanto Meganium quanto Bulbasaur caem, fazendo com que a partida termine empatada entre os treinadores. Com o empate, o protagonista termina na liderança de seu grupo e se classifica para as oitavas de final.


As oitavas de final começam e pode-se dizer que a próxima batalha é uma das mais memoráveis da história do anime, pois o adversário de Ash é ninguém menos que seu maior rival, Gary Carvalho. Apesar de serem muito competitivos, foram poucas as vezes em que os dois treinadores se enfrentaram, e uma disputa na Liga Pokémon era algo que os fãs sonhavam desde as primeiras temporadas na região de Kanto.

Com o início dessa nova rodada as batalhas passaram a ser disputas mata a mata de seis contra seis. Para o confronto, Gary escolheu os seguintes Pokémon: Golem, Arcanine, Magmar, Scizor, Nidoqueen e Blastoise, seu Pokémon inicial. Por outro lado, Ash surpreendentemente não registrou Pikachu para a disputa, escolhendo: Muk, Bayleef, Tauros, Snorlax, Heracross e Charizard. Apesar de Gary assumir a liderança, e a aparente vantagem durante toda a partida, o poder do protagonismo falou mais alto quando restou apenas Charizard para batalhar. O Pokémon de fogo derrotou Scizor e Golem com facilidade, mesmo a vantagem do tipo ser extremamente a favor de Gary. O último confronto, no entanto, se tornou algo que vive no imaginário dos fãs até hoje: Charizard Vs. Blastoise. Qualquer um que imagine um confronto entre esses dois Pokémon já deve especular a vitória do tipo aquático, por outro lado, ninguém imaginaria que a estratégia utilizada por Ash para vencer seria derreter todo o campo. O plano funcionou, fazendo com que Charizard tivesse a oportunidade de aplicar um arremesso sísmico que pôs um fim na batalha.

Com a vitória, o nosso herói se classificou para as quartas de final e reconheceu o próprio potencial ao derrotar seu maior rival. Já Gary, por outro lado, antes mesmo da derrota decidiu que seguiria os passos de seu avô (professor Carvalho) e se tornaria um pesquisador Pokémon, deixando de lado a vida como treinador.


Após uma vitória memorável contra Gary, Ash alcançou as quartas de final da Conferência de Prata, tendo que enfrentar Harrison, um treinador de Hoenn que se tornou amigo do protagonista na mesma competição. Assim como o confronto anterior, a partida foi de seis contra seis e os Pokémon de Ash foram Pikachu, Noctowl, Totodile, Snorlax, Bayleef e Charizard. Já Harrison usou um time com Pokémon inéditos até então: Kecleon, Houndoom, Steelix, Sneasel, Hypno e Blaziken. Em geral, a batalha não teve momentos notáveis. Por outro lado, a luta final entre Blaziken e Charizard pode ser considerada uma das melhores batalhas entre dois Pokémon de fogo já exibidas no anime. Os dois trocaram golpes brutais um no outro e após um Lançamento Sísmico do inicial de Kanto, a vitória estava quase nas mãos de Ash. Porém, Blaziken se ergueu e começou a desferir uma série de chutes flamejantes no adversário, incapacitando-o de continuar a lutar. Assim, a campanha pela Liga Johto do treinador de Pallet chegou ao fim, terminando entre os oito melhores da Conferência de Prata.


OPINIÃO: Pode-se dizer que a Liga Johto foi uma das competições que mais trouxe batalhas inesquecíveis para a série e apesar do Ash não ter vencido, o protagonismo agiu em diversos momentos, como na vitória do Squirtle contra o Electabuzz e na vitória consecutiva de Charizard sobre Golem e Blastoise. No entanto, o contraditório é o fato de Charizard, um Pokémon voador, perder para Blaziken, um tipo lutador. Acredito que a derrota de Ash na batalha final se deve, principalmente, ao fato de ele não ter se preparado efetivamente contra Harrison, um treinador com Pokémon nunca antes vistos. Mas deve-se considerar que a capacidade de Ash em superar a desvantagem dos tipos é algo assombroso, o que torna imprevisível o desfecho de suas batalhas.
Apesar de uma boa classificação na Liga Johto, a jornada de Ash Ketchum pelas ligas Pokémon ainda não chegou ao fim. A continuação da sua busca para se tornar um mestre continua nos próximos episódios.

Revisão: Ícaro Sousa

Escreve para o Nintendo Blast sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.

Comentários

Google
Disqus
Facebook