Brigandine: The Legend of Runersia é anunciado para Switch

RPG estratégico é um sucessor espiritual de um jogo lançado no PlayStation original.


A Happinet Games anunciou Brigandine: The Legend of Runersia. O RPG estratégico será lançado mundialmente para Switch no outono de 2020 e é um sucessor espiritual de Brigandine: The Legend of Forsena (PS).


O jogo se passa no continente de Runersia, uma terra abençoada com o poder místico conhecido como mana desde os tempos antigos. Receber esse poder é uma forma de obter força impressionante além da habilidade de invocar e controlar monstros antigos e seus usuários são conhecidos como Rune Knights.

No passado, as lendas diziam que cinco Mana Stones protegiam os humanos das criaturas mágicas, mas elas foram usadas para criar o equipamento dos Rune Knights. Em especial, um tipo particular de armadura conhecida como Brigandine se tornou ao longo das eras em um símbolo das nações e suas ideologias.


Estabelecido pelo herói Adessa com a Brigandine of Justice, Norzaleo Kingdom está localizado em uma grande ilha a noroeste do continente. Seus cidadãos tem como principal valor a justiça e o trabalho duro. Sua principal fonte de economia é têxtil e essa especialidade a tornou capaz de se manter em pé de igualdade com as maiores potências de Runersia.

No entanto, com a morte do rei Rubino III e a invasão do reino por parte do Holy Gustava Empire, Norzaleo agora está sofrendo os reflexos da guerra. Caberá ao príncipe Rubino, ainda com 17 anos, acabar com o conflito e trazer justiça ao campo de batalha. Amado pelo povo, o jovem é sensível e gentil, mas ao mesmo tempo é forte para fazer o que é correto.


Outra nação importante é a Republic of Guimoule, que foi estabelecida por Mohana Carradine depois que as cinco Mana Stones foram cravadas no continente. De posse da Brigandine of Glory, Guimoule afirma ser o berço dos Rune Knights. Quando a religião que venera o Rune God se dividiu em duas facções - a seita Mohana da Republic of Guimoule e a seita Zai da Mana Saleesia Theocracy - uma guerra de 30 anos irrompeu. Apesar de ter acontecido no passado, as marcas desse evento ainda trarão uma nova guerra ao continente.

Sua líder é Eliza Uzala, a filha da 15ª presidente da Republic of Guimoule, Alden Uzala, que atualmente se encontra acamada. Graças a uma crise nacional e uma convocação pela Sword of Ange, a personagem, que antes escondia sua identidade e vivia como uma dançarina, assume o papel de líder de Guimoule e a Brigandine of Glory. Cabe a ela devotar sua vida a proteger a glória de sua nação.


Ocultos na fortaleza da extinta Nação Hazamu, a Shinobi Tribe é autorregulada por um grupo constituído apenas por mulheres. Apesar de desejar total independência das outras nações, seus membros acabam trabalhando como espiões e mercenários para poder se manter. O desejo profundo dessa tribo também é representado pela sua Brigandine of Freedom.

Sua líder é Talia. Apesar de ainda Ser muito inocente, essa jovem é um membro da elite de poderosas guerreiras Shinobi. Quando as chamas da guerra ameaçarem todo o continente, a liberdade de sua tribo também será ameaçada. Após a morte de sua irmã mais velha, Rei, Talia irá assumir a Brigandine of Freedom e ir para guerra para garantir que seu povo alcance a verdadeira liberdade.


A principal nação do continente é a Mana Saleesia Theocracy. As lendas dizem que foi a Mana Spring presente em suas terras que deu origem às cinco Mana Stones. Além disso, eles se auto-intitulam os "verdadeiros seguidores do Rune God" e possuem a Brigandine of Sanctity. Apesar de quase ter conseguido reconciliar as seitas Zai e Mohana, o Holy See Romanov acabou falhando em chegar a um acordo e isso levará o continente a uma nova erra de conflito.

Seu filho, Rudo Marco, é o responsável por isso e, após matar o antigo líder, irá assumir a Brigandine of Sanctity. Sob suas ordens, a nação vai fazer uma revolução para tomar o controle de todo o continente e torná-lo um domínio da seita Zai.


A última brigandine está em posse das United Islands of Mirelva, uma aliança entre sete pequenas ilhas ao sul do continente e seus líderes piratas. O representante da aliança é escolhido entre os líderes das ilhas e junto com o encargo recebe a Brigandine of Ego.

Sua líder é Stella Hamett, descendente do lendário pirata Capitão Hamett. Decidida e espontânea, ela decide que a melhor forma de proteger a aliança de um eventual ataque é partir para o ataque e tomar o continente para si. Com um pavio curto e um coração generoso, a personagem é bastante direta e confiante em suas habilidades.


Por fim, existe também uma nação sem brigandine, o Holy Gustava Empire. Em uma área ao norte do continente, as bençãos de mana não chegaram. Nesse local inóspito, Asid Gustav liderou um grupo de aventureiros que foram abandonados de seu país de origem e formaram uma nação que foi governada pelo clã Gustav.

Por se tratar de um reino tão diferente dos outros, ele é tratado com muito desprezo pelas outras nações. No entanto, o império ainda se tornou poderoso e unificado em torno da figura do herói Sin Gustav e de uma religião própria. Seu atual líder é Tim Gustav, o 13º imperador que decide conquistar o continente como uma forma de revolta ao tratamento que seu clã recebe.

Cabe ao jogador agora escolher entre uma das seis nações e tentar unificar o continente. O jogo segue um sistema de estações que se dividem em fases de organização (onde o jogador pode organizar suas tropas) e fases de batalha. Ao dominar novas bases, o jogador também terá mais fontes de mana, um recurso importante que será necessário para invocar monstros e fazer alterações nas tropas.

Fonte: Gematsu

é formado em Comunicação Social pela UFMG e costumava trabalhar numa equipe de desenvolvimento de jogos. Obcecado por jogos japoneses, é raro que ele não tenha em mãos um videogame portátil, sua principal paixão desde a infância.

Comentários

Google
Disqus
Facebook