Jogamos

Análise: Stranded Sails: Explorers of the Cursed Islands (Switch) oferece aventura e exploração e você é quem dita o ritmo

Explore ilhas exóticas em busca de respostas para um mistério ancestral enquanto cuida da sua tripulação e lavoura.


Stranded Sails é um RPG de aventura muito carismático, do tipo que tenta conquistar pelo visual e por utilizar-se de mecânicas simples e já consagradas. O jogo mistura a exploração e investigação de ilhas e calabouços com a busca de materiais para construção de itens e recursos e o cultivo de alimentos para serem transformados em receitas. Todas essas atividades são interligadas e ditam o progresso umas das outras, exigindo a busca constante de maneiras de ir mais longe em sua investigação ou resgate. Stranded Sails é uma aventura onde cuidar de si e da sua tripulação é necessário, rendendo boas recompensas que te ajudarão a desvendar segredos.

Navegando em águas desconhecidas

O jogo se inicia com nosso protagonista (um menino ou menina e com nome à sua escolha) se preparando para uma grande viagem ao lado de seu pai, o Capitão Charles, que lidera uma tripulação de 8 pessoas (você incluso) rumo a uma nova terra, do outro lado do oceano, em busca de uma vida melhor. No meio da viagem o navio é pego por uma grande tempestade e é completamente destruído, fazendo com que todos os tripulantes sejam separados e fiquem isolados em várias ilhas. Você acorda sozinho numa dessas ilhas e deve procurar um meio para sair dali e se juntar mais uma vez a seus amigos e capitão.


Agora no papel de um líder, você precisará juntar sua tripulação e cuidar de todos, oferecendo-lhes abrigo e comida, ao mesmo tempo em que investiga maneiras de sair deste arquipélago são e salvo. Esse é o começo da aventura do nosso protagonista pelas Cursed Islands, um lugar misterioso e aparentemente inabitado, composto por cinco ilhas e com muita coisa a ser descoberta.

Um início meio arrastado

Logo nos primeiros segundos de jogo já podemos perceber como a progressão na história funciona: é necessário cumprir missões e comandos que aparecem no canto superior direito da tela indicando a próxima tarefa a ser realizada. É assim do começo ao fim do jogo. À cada ação realizada, essas pequenas tarefas são atualizadas, de forma sequencial e quase sempre acompanhadas de dicas sobre como cumpri-las. Especialmente na primeira hora de jogatina, essa quantidade de informação pode acabar sendo demais para alguns jogadores, que preferem descobrir as coisas por conta própria. Porém, ao mesmo tempo elas evitam uma viagem infrutífera ou esforço desnecessário rumo a um obstáculo.


Tanta informação assim se justifica pelo fato de Stranded Sails misturar mecânicas de vários estilos de jogos em um só, sendo necessário que se aprenda bem como cada uma delas funciona. A parte boa é que esse impacto inicial é minimizado e diluído ao longo do tempo, com os objetivos se tornando maiores e dando mais margem para a experimentação e descoberta de novas opções. Criar ferramentas e utensílios para permitir a exploração de novas áreas, plantas e colher vegetais para então cozinhar dezenas de receitas e alimentar sua tripulação e a si mesmo são algumas das atividades diárias do protagonista e requerem que cada ingrediente ou material seja cultivado ou refinado e então combinado para enfim termos o resultado desejado.

Plantar, colher, cozinhar, coletar materiais, construir, pescar…

Stranded Sails é sobre coletar materiais e transformá-los em melhorias para você e sua tripulação até que tenham descoberto uma maneira de fugir das ilhas amaldiçoadas. Mas para isso é preciso sobreviver em um ambiente hostil e sem condições mínimas. É aí que nosso herói entra: sua tarefa é construir um lugar habitável e que garanta o bem estar de todos. Com tanto trabalho à frente, haja disposição, certo? Certo. Aqui entra em cena a principal mecânica do jogo e que dita o ritmo de todo o resto delas: todas as suas ações consomem energia, até mesmo caminhar, correr, remar, cozinhar, pescar, etc. Essa energia é medida por meio de uma barra azul no centro superior da tela e pode ser regenerada ao se comer pratos deliciosos ou dormir em sua cabine. 


Uma das primeiras coisas que fazemos no acampamento é construir uma mesa de trabalho para que possamos transformar materiais como pedaços de madeira, cordas velhas e restos de metal em novas ferramentas, escadas e pontes. As novas descobertas são feitas por alguns do membros da tripulação à medida que novos obstáculos surgem ou quando você melhora o nível de felicidade de cada um deles.


No início, devido aos limites de ingredientes e espaço na bolsa, não se pode levar muitos suprimentos para repor as energias e por isso é recorrente fazer várias viagens entre o acampamento e o lugar onde se deve ir. Isso foi algo que realmente incomodou e tornou as primeiras horas um pouco frustrantes, ao ser preciso abandonar um objetivo que estava logo ali na sua frente porque você simplesmente não podia dar mais nenhum passo antes de desmaiar e acordar de volta no acampamento. Essa limitação é parcialmente superada quando se pode carregar mais suprimentos e ganhar buffs com receitas especiais.

Ilhas exóticas e visualmente belas

Stranded Sails tem um belo visual cell-shading, sendo todo o mundo e personagens do jogo modelados em polígonos multicoloridos, o que o torna ainda mais charmoso. As ilhas possuem ambientes únicos com vegetação e relevo diferenciado, cheias de entradas para cavernas labirínticas e lugares para escalar e encontrar tesouros. Pequenos animais como estrelas-do-mar, caranguejos e tartarugas decoram as praias e fogem quando você se aproxima, enquanto flores, árvores, lagartos e insetos decoram os campos, florestas e planícies do jogo. A fluidez da água ou magma reforçam o capricho com os visuais, que também conta com ciclos do dia como manhã, tarde, anoitecer e madrugada, dando uma nova cara ao ambientes explorados.


As músicas presentes são boas e adicionam clima de mistério e frequente tranquilidade enquanto corremos pelos ambientes isolados, mas nada muito memorável ou inovador. Ainda assim são agradáveis e somam pontos à experiência geral com este título.

A interface dos menus e os vários bolsos de equipamentos são simples e bem organizados, com cada ítem tendo um ícone único e bem desenhado, afastando a possibilidade de o jogador se confundir ao navegar por sua mochila. Cada item ainda conta com um parágrafo descritivo, que aparece ao pressionarmos o botão Y sobre o objeto escolhido, o que considero um cuidado em tornar o jogo mais acessível e envolvente até para os iniciantes no gênero.

Nadando no raso…

Como dito anteriormente, Stranded Sails tem várias mecânicas diferentes em um só mundo, mas é justamente por possuir essa mistura que o título acaba por oferecer uma experiência geral bastante rasa em cada uma delas. Os combates contra os raros inimigos que aparecem são enfadonhos e você só precisa apertar o botão A para golpeá-los com sua espada. Existem apenas três tipo de oponentes, todos com padrões de ataque muito fáceis de decorar. As lutas ocorrem em locais específicos apenas e infelizmente são todas obrigatórias. Pescar também é bastante simples, mas requer atenção, já que é preciso puxar a linha no momento certo de acordo com o movimento do peixe. A busca por materiais também é bem simples: podemos cortar árvores para obter até três tipos de madeira diferentes; quanto às outras matérias-primas, estas são encontradas em baús espalhados por todo o mundo do jogo e que se re-abastecem a cada ciclo de dia completo.

Plantar e colher legumes e temperos é a mais divertida das atividades e é essencial para explorar as ilhas. É preciso encontrar as sementes de milho, abóbora, batata, tomate, cenoura, pimenta, gengibre, berinjela, entre outras. ao se aventurar e então plantá-las em sua lavoura. Cavar as covas, regar, obter mais sementes, aumentar sua produção… e por aí vai. A variedade de produtos é interessante: eles podem ser combinados com os peixes pescados para criar receitas e repor suas energias.

Outra mecânica que não foi bem aproveitada é a de descobrir e preparar as receitas. Você precisa descobrir (literalmente) os ingredientes das receitas por tentativa e erro: aparece uma marca de interrogação no seu menu de opções para cozinhar, a partir daí é preciso combinar 2 ou mais itens e quem sabe ter a sorte de acertar. A única dica que o jogo oferece é sobre a posição deles, se estão no slot correto ou se precisam ser trocados de lugar ou retirados da panela. É uma atividade frustrante e pode tomar muito tempo. O lado bom é que não se gasta ingredientes para fazer essas experimentações e só é preciso fazê-las uma vez, já que após serem descobertas as receitas ficam registradas no menu.

Um bom potencial a ser lapidado

Stranded Sails: Explorers of the Cursed Islands é um belo e carismático RPG de aventura que oferece uma grande variedade de atividades a serem realizadas de acordo com a vontade do jogador, sem pressão de tempo ou limitações artificiais. A aventura instiga nossa curiosidade, despertando a vontade de ir até o fim e descobrir mais, mas também sofre por não oferecer um aprofundamento necessário em cada uma delas. Criar e cultivar a fim de fazer novas descobertas é recompensador, mas ambos são realizados de forma rasa e repetitiva. Os combates são irrelevantes e não oferecem nenhuma recompensa: o protagonista não aprende novas habilidades ou se desenvolve durante a história. Essas são falhas pontuais, mas que certamente afetam a experiência de forma negativa.

Este título tem bastante potencial e sinceramente torço por uma continuação, com todas essas melhorias e mais elementos de RPG, como níveis, o aprendizado de habilidades e novos elementos de exploração. Apesar dos vários pontos a serem melhorados, o jogo é garantia de horas de diversão de uma forma tranquila e sem pressão, podendo ainda oferecer um bom conteúdo para além do fim da história aos jogadores que gostam de aproveitar tudo ao máximo.

Prós:

  • Visual carismático e trilha sonora cativante;
  • Oferece várias atividades e mesclas de mecânicas consagradas;
  • Controles simples e instruções claras;
  • Menus e inventários caprichados;
  • Mundo vasto e instigante.

Contras:

  • Combates enfadonhos e repetitivos;
  • Viagens desnecessariamente repetitivas devido às restrições de energia;
  • Descobrir receitas é frustrante e leva tempo demais;
  • Pouca interação com os NPCs.

Stranded Sails: Explorers of the Cursed Island - Switch/PC/PS4/XONE - Nota: 7.5
Versão utilizada para análise: Switch

Revisão: Ícaro Sousa
Análise produzida com cópia digital cedida pela Merge Games

Estudante de Letras, apaixonado por vídeo-games e música. Gosta de conversar sobre hobbies em comum, receber dicas e recomendações e de capturar monstrinhos de bolso enquanto explora Hyrule.

Comentários

Google
Disqus
Facebook