#SuperMario35: Lições que a franquia trouxe para o mundo dos games

Ao longo dos últimos 35 anos, o encanador bigodudo revolucionou diversas vezes a maneira como se enxerga os videogames




Não é qualquer franquia de videogames que completa mais de 35 anos oferecendo jogos de extrema qualidade que sempre vendem como água no deserto. Super Mario conquistou todo esse sucesso por inúmeras razões, mas a principal delas se dá pelo fato de que os principais títulos do bigodudo costumam revolucionar com certa frequência a forma como se enxerga a indústria de videogames.


Desde a estreia do primeiro jogo da série nos anos 80, os irmãos Mario passaram um bom tempo de suas vidas ditando tendências de game design, definindo o padrão de qualidade dos jogos de sua época e inspirando diversos jogos ao mesmo tempo que divertiam a vida de crianças e adultos ao redor do mundo. Por essa razão, resolvemos listar algumas das principais lições que a franquia Super Mario trouxe para o mundo dos games nesses últimos 35 anos.

Super Mario Bros. (NES)

Não tinha como começar melhor do que isso. Super Mario Bros. (NES) é O JOGO que revolucionou e abriu águas para todos os jogos de plataforma 2D que vieram depois. São tantas lições relevantes ensinadas por esse título até hoje que fica difícil listar todas. A mais conhecida por todos nos dias atuais é a aula de game design intuitivo que Shigeru Miyamoto deu quando desenvolveu a primeira fase do título, que viria a se tornar o level mais icônico da história dos games.

Você pode encontrar todos os detalhes que fazem o level 1-1 de Super Mario Bros. ser tão especial neste vídeo explicativo do canal “Extra Credits” no Youtube. O aúdio da análise está em inglês, porém é possível assistir com legendas em português, que foram incluídas pelo humilde redator desta matéria. Caso esteja com dúvida de como ativá-la, basta clicar na engrenagem ao lado inferior direito do vídeo e selecionar a opção de “legendas/CC”.



Além da revolucionária fase 1-1, Super Mario Bros. também se tornou um marco na evolução da física de pulo nos jogos de plataforma. Antes dele, praticamente todos os títulos do gênero tentavam emular a realidade com pulos duros e lineares onde a trajetória do movimento não podia ser controlada no meio do ar. Esses pulos podiam ser realistas de acordo com a física, mas acabavam sendo chatos e frustrantes em jogos que requeriam uma grande precisão nos seus desafios de plataforma.

Ao implementar pulos flexíveis com alturas distintas, velocidades diferentes dependendo do momentum do personagem e a possibilidade de alterar o movimento do pulo mesmo após sair do chão, Super Mario Bros. acabou quebrando esse paradigma realista que impedia o controle total do jogador. Hoje em dia essa técnica se tornou algo tão importante para uma boa jogabilidade que praticamente qualquer jogo, seja realista ou fantasioso, faz uso de uma forma ou outra.

Outro aspecto de Super Mario Bros. que vale a pena citar foi a enorme evolução musical que o título proporcionou para a indústria de jogos. Naquela época as músicas de videogame podiam ser resumidas a chiados aleatórios com 3 segundos de duração e quase nenhum desenvolvedor se importava em propor uma solução ao problema. Foi justamente por causa do trabalho genial de Koji Kondo na composição da trilha sonora de Mario que fez com que todos percebessem a importância da utilização bem pensada de músicas e efeitos sonoros dentro de um jogo.

Apostando em técnicas criativas para poupar a memória do cartucho, o compositor reutilizou diversas vezes os mesmos sons e misturou eles de uma forma que não parecia repetitiva como era comum nos outros jogos da época. Quem poderia dizer que essa experimentação maluca acabaria se tornando a música tema mais icônica dos videogames? Realmente parece que Koji Kondo estava muito à frente de seu tempo.

Super Mario Bros. 3 (NES)

Pegue tudo o que Super Mario Bros. fez de bom e melhore cada detalhe ao máximo. É claro que estamos falando de Super Mario Bros. 3, um sério candidato a posição de jogo mais bonito, divertido e recheado de conteúdo da era 8-bits.

O jogo foi responsável por introduzir um imenso mapa para cada mundo no qual os jogadores podiam explorar caminhos diferentes para avançar, cada um com fases distintas que levavam a segredos, como casas de bônus, chaves para abrir novos caminhos e itens secretos.

Essa estrutura de progresso permitiu que cada mundo fosse desenvolvido a partir de uma temática cheia de carisma e personalidade. Mesmo não sendo pioneiro na criação do conceito, os mundos temáticos de Super Mario Bros. 3 consolidaram a ideia com uma execução impecável que nunca havia sido vista.

Mundo da praia? Cheque. Mundo em cima das nuvens? Cheque. Mundo do deserto? Cheque. Mundo onde tudo é gigante? Cheque. Mundo da neve? Cheque. Super Mario Bros. 3 solidificou todas essas temáticas distintas e as mecânicas particulares que elas trazem consigo como um verdadeiro padrão de diversidade necessário para qualquer jogo de aventura que veio depois.

O foco em mecânicas baseadas na temática de um mundo se tornou tão recorrente na indústria que nos dias de hoje é considerado um grande clichê. Chegamos a um ponto onde a diversidade de lugares “temáticos” se tornou um ícone para representar videogames sempre que eles são retratados em mídias diferentes, como filmes, desenhos e paródias. Tudo isso por causa da tendência criada e aperfeiçoada com maestria por Super Mario Bros. 3 (NES).

Super Mario Kart (SNES)


Super Mario Kart (SNES) não faz parte da série principal de jogos do Mario, mas ainda assim detém uma influência tão grande no mundo dos videogames que chega a rivalizar com a própria franquia principal. Apesar de sua dificuldade acima da média, o jogo de corrida do encanador marcou a primeira vez que a filosofia de multiplayer da Nintendo foi posta à prova.

Além de dar a luz ao gênero de Kart Racing, copiado com exaustão até hoje, Super Mario Kart é o primeiro jogo que solidificou a ideia do multiplayer desenvolvido especialmente para ser divertido até mesmo para quem era leigo em videogames. Graças à mecânicas que auxiliavam os piores jogadores a ter uma chance de ganhar e ao caos imprevisível que gerava boas risadas, a estreia de Mario nas pistas de corrida ditou diversas regras para os jogos multiplayer que almejavam juntar toda a família para se divertir junto.

Super Mario 64 - Nintendo 64

Se Super Mario Bros é o jogo que definiu a evolução dos jogos de plataforma 2D, então Super Mario 64 é o jogo que definiu a evolução de todos os jogos com movimentação em três dimensões. Um título tão influente e divertido que é considerado até hoje como um dos melhores jogos de todos os tempos, mesmo tendo que enfrentar as limitações gráficas que assombravam os primeiros jogos poligonais. A obra-prima do bigodudo é um marco na história dos videogames não só por influenciar o futuro, mas também por ser um jogo extremamente divertido e carismático até hoje.

Durante o desenvolvimento do título, Shigeru Miyamoto e sua equipe precisavam realizar pela primeira vez a difícil transição dos jogos de Mario do 2D para o mundo 3D. Enquanto outras franquias de sucesso fracassaram diante de controles duros e outros problemas alarmantes, Super Mario 64 apresentou a solução para todos os problemas que o desenvolvimento de jogos 3D apresentava na época.

O foco em oferecer uma gama de movimentos fluidos e divertidos para se locomover pelos cenários foi o elemento essencial para começar essa nova era com o pé direito. Inicialmente, Miyamoto queria que o simples ato de controlar o Mario por um espaço em branco fosse divertido. O que ele atingiu acabou sendo muito mais do que isso. Super Mario 64, nada mais, nada menos, apenas ditou o padrão de como seria o futuro dos jogos em 3D.

Atire a primeira pedra quem nunca ficou horas apenas tentando subir pelas árvores do castelo da princesa Peach ou fazendo cambalhotas espalhafatosas para alcançar um lugar que parecia impossível de chegar. Super Mario 64 não é um jogo onde a grande diversão se encontra em avançar na campanha. Pelo contrário, a verdadeira graça de Super Mario 64 era simplesmente entrar na pele do Mario e explorar os segredos guardados por cada canto daquele pequeno, mas incrível, mundo.

Em uma decisão arriscada, a linearidade dos antigos jogos em 2D foi trocada pela exploração livre de pequenos mundos abertos com várias missões e segredos interligados por um grande hub world. Pela primeira vez em um console de videogame, havia nascido o esboço que ditou as regras com que os jogos de mundo aberto em 3D evoluiriam para se tornar os blockbusters que temos hoje.

Super Mario Galaxy - Wii

Lançado em uma época onde ter gráficos incríveis e realistas era a coisa mais importante que um jogo poderia ter, Super Mario Galaxy representou uma grande recordação do que realmente fazia os videogames serem especiais. O Nintendo Wii não chegava nem perto de ser o console mais poderoso ou com a maior biblioteca de grandes lançamentos da sua geração, mas ele ainda tinha algo especial que os destacava sobre os demais. Super Mario Galaxy é justamente a representação perfeita daquela misteriosa magia que só o Wii fazia os jogadores sentirem naquela época.

Divertido, criativo, cheio de conteúdo, emocionante e lindo visualmente. Super Mario Galaxy, e a sua incrível sequência também, são resultados diretos de tudo o que a franquia Mario desenvolveu e aperfeiçoou ao longo dos anos. Misturando a mágica da exploração em 3D com a precisão da plataforma 2D, o nível de qualidade e criatividade da aventura intergaláctica do bigodudo excedeu todos os limites possíveis e mostrou ao mundo, de novo, uma experiência única que apenas a Nintendo sabe fazer.


Revisão: Icaro Sousa

Estudante de jornalismo que não vê a hora de achar um estágio. Apaixonado por videogames e esperando o fim de Hunter x Hunter e Berserk desde que me entendo por gente.


Disqus
Facebook
Google