Phil Spencer, chefe do Xbox, comenta parceria entre Nintendo e Microsoft

Em entrevista ao site Kotaku, o executivo disse ser insustentável lançar mais jogos da empresa no Switch sem o ecossistema Xbox.



Usuários de Nintendo Switch já se acostumaram a ter jogos e conteúdos no console que nasceram da parceria entre a Nintendo e a Microsoft. Os lançamentos de Cuphead, Ori and the Blind Forest e Ori and the Will of the Wisps na plataforma, além da presença de Banjo & Kazooie e Steve de Minecraft em Super Smash Bros. Ultimate (Switch) são exemplos da aproximação entre as duas empresas. Em entrevista ao portal Kotaku, o chefe da marca Xbox, Phil Spencer, comentou sobre sua relação com a Big N.


Spencer afirmou que sua companhia possui um bom relacionamento com a Nintendo e que vê o trabalho de ambas as empresas de maneira muito sinérgica em relação ao crescimento do mercado de jogos. Ele disse que tem boas conversas com o presidente global da Nintendo, Shuntaro Furukawa, e com o CEO da Nntendo of America, Doug Bowser.

Mesmo com essa parceria, o executivo declarou ser insustentável considerar o lançamento de novos títulos do Xbox Game Studios para Switch caso a caso. Segundo ele, "para realmente dar suporte, eu gostaria de ter um ecossistema Xbox completo em algum lugar. E isso provavelmente significaria coisas como Xbox Live, Game Pass e outros".

Ao ser lembrado de uma resposta que deu em entrevista ao veículo GameStar em julho desse ano, em que disse que outras plataformas não estão interessadas em ter a experiência Xbox em seus hardwares, Spencer disse não pode falar por outras companhias como Sony e Nintendo.

Já no caso específico de Ori and the Will of the Wisps, que chegou ao Switch em setembro, ele disse que o lançamento era um desejo da produtora Moon Studios, que, por não ter sido comprada pela Microsoft, firmou um acordo de publicação com a Take Two para lançar o jogo no console híbrido.

Fonte: Kotaku

Jornalista, analista de mídias e entusiasta de games desde que jogou Pokémon Azul no Game Boy Color nos anos 90. De lá para cá, tenta aproveitar ao máximo todos os consoles no pouco tempo que a vida adulta permite. Se não está escrevendo para o Blast ou demorando anos para zerar um jogo, está no Facebook e no Instagram (@daniel.skm)


Disqus
Facebook
Google